FISIOLOGIA DO EXERCÍCIO
66 pág.

FISIOLOGIA DO EXERCÍCIO


DisciplinaFisiologia e Fisiopatologia1.048 materiais6.960 seguidores
Pré-visualização17 páginas
há uma solução chamada matriz mitocondrial. Essa solução 
viscosa é formada por diversas enzimas, DNA, RNA, pequenos ribossomos e outras 
26
UNIDADE ÚNICA \u2502 BIOQUÍMICA E FISIOLOGIA DO EXERCÍCIO
substâncias. A mitocôndria é a organela onde ocorre a respiração celular. A respiração 
celular é, em linhas gerais, uma queima controlada de substâncias orgânicas, por meio 
da qual a energia contida no alimento é gradualmente liberada e transferida para 
molécula de ATP.
Cloroplastos
Como as mitocôndrias, são delimitados por duas membranas lipoproteicas. A membrana 
externa é lisa e a interna forma dobras para o interior da organela, constituindo um 
complexo sistema membranoso. Nesse sistema, destacam-se estruturas formadas por 
pilhas de discos membranosos, semelhantes a pilhas de moedas, cada uma chamada 
granum. Nas membranas internas dos cloroplastos, estão presentes os fotossistemas, 
cada um deles constituído por algumas moléculas de clorofila, reunidas de modo a formar 
uma microscópica antena captadora de luz. Nos cloroplastos ocorre a fotossíntese. 
27
CAPÍTULO 4
Homeostase
Figura 6. Ciclo de Krebs ou Ciclo do Ácido Cítrico.
Figura adaptada e disponível em: <http://www.fisiologia.kit.net/bioquimica/ck/ck.htm>. Acessado em: 7 dez. 2010.
Quando um organismo tem qualquer alteração em seu metabolismo, isso pode significar 
muitos problemas. Os sistemas apresentam propriedades especiais que devem ser 
mantidas para que funcionem adequadamente. Se a pressão sobe, se há muito sal, 
se o corpo esquenta, o organismo encontra meio para chegar a um equilíbrio. Para 
todas essas e outras circunstâncias, o indivíduo tem mecanismos para reverter a função 
alterada para padrões adequados, considerados normais. A estabilidade das funções de 
um organismo, garantida por mecanismos fisiológicos e comportamentais é chamada 
de homeostase. 
Por exemplo, qual a temperatura homeostática do corpo humano? É a nossa temperatura 
normal, ou seja, por volta de 36 graus. Para mantê-la, alguns mecanismos são utilizados. 
O sangue é importante condutor de calor. Sendo assim, quando o corpo tende a esquentar, 
promove-se uma dilatação dos vasos periféricos facilitando a irradiação desse calor 
através da superfície do corpo. Quando o corpo sente frio, ocorre a vasoconstrição dos 
vasos, o que naturalmente diminui essa perda. Outro mecanismo é a sudorese. Na pele, 
existem milhares de glândulas sudoríparas e são elas que eliminam suor quando o corpo 
esquenta. A liberação da água favorece a diminuição da temperatura. Vale dizer ainda 
que a gordura e o pelo têm papéis fundamentais. A presença de uma camada de gordura 
subcutânea auxilia na manutenção da temperatura final do corpo. A gordura age como 
28
UNIDADE ÚNICA \u2502 BIOQUÍMICA E FISIOLOGIA DO EXERCÍCIO
uma barreira térmica. Os pelos também são importantes para esse isolamento. Quando 
se arrepia, os pelos mantêm o ar estagnado rente à pele. Essa espécie de \u201ccolchão\u201d de 
ar reduz a troca de calor com o meio. Muitas das vezes, ações deliberadas do indivíduo 
ajudam na manutenção da temperatura. Buscar um lugar mais fresco, tomar um banho, 
vestir uma roupa mais quente, esfregar as mãos. Comportamento também ajuda a não 
sentir frio. Nem calor. 
O hipotálamo é responsável por várias ações do corpo ligadas à fome, à sede e ao sono. 
Também secreta hormônios que controlam a hipófise, glândula ligada a ele. É também 
nosso centro térmico. De acordo com a temperatura do corpo, ele aciona os mecanismos 
para regulá-la. Em algumas circunstâncias, é possível que ele não consiga efetivamente 
manter a temperatura. Fala-se em hipotermia e em hipertermia. As causas de hipotermia 
são quase sempre determinadas por fatores ambientais, ou seja, temperaturas baixas. 
No caso da hipertermia, além do ambiente, algumas drogas são capazes de induzi-la, 
como as anfetaminas e o ecstasy. A febre é um quadro hipertérmico. 
Febre
Quando há uma infecção, os leucócitos (nossas células de defesa) liberam a substância 
pirogênica. Essa substância atinge o hipotálamo provocando-lhe um ajuste na 
temperatura a ser obtida para o corpo. Como essa temperatura é maior que a atual, o 
corpo sente frio, é a fase do calafrio. Aos poucos, a temperatura aumenta ocasionando 
a febre. A febre é benéfica, pois favorece uma maior atividade imunológica. Quando 
se faz uso de um antitérmico, ou após algum tempo, o nível de substância pirogênica 
cai. Assim, o hipotálamo volta a destacar para o corpo a temperatura de 36\u2070C. Como a 
temperatura ainda está acima disso começa a sudorese. Essa fase marca o fim da febre. 
O termo homeostasia é utilizado pelos fisiologistas para significar a constância do meio 
interno. No corpo humano, todos os órgãos e tecidos contribuem para a manutenção 
dessa constância. Em síntese, os grandes sistemas contribuem, de maneira particular, 
para a constância homeostática de todo o organismo. 
Os sistemas funcionais básicos, e suas contribuições para a homeostase do organismo, 
guardam relações fundamentais com os seguintes conceitos: 
 » O sistema de transporte do líquido extracelular. 
 » A origem dos nutrientes do líquido extracelular. 
 » A remoção das escórias metabólicas. 
 » A regulação das funções corporais. 
 » A reprodução. 
29
BIOQUÍMICA E FISIOLOGIA DO EXERCÍCIO \u2502 UNIDADE ÚNICA
O sistema de transporte do líquido extracelular
O líquido extracelular é transportado pelo corpo em duas etapas distintas, a primeira 
quando o sangue flui pelos vasos sanguíneos, e a segunda, quando ele flui dos capilares 
até as células. Em um indivíduo no estado de repouso, o sangue leva cerca de um minuto 
para percorrer todo o corpo, e quando este se encontra em intensa atividade física, ele 
pode percorrer o corpo até seis vezes em cada minuto. Enquanto o sangue percorre 
o seu trajeto, há uma intensa troca entre a porção plasmática do sangue e o líquido 
intersticial, devido à permeabilidade dos capilares sanguíneos que permite a difusão de 
grande parte dos constituintes dissolvidos no sangue, à exceção de grandes moléculas. 
Esse processo de difusão se deve ao movimento cinético das moléculas do plasma e 
do líquido intersticial, que estão continuamente em movimento. Como poucas células 
encontram-se afastadas mais de 50 micrômeros de um capilar, é assegurado o aporte 
de substâncias a qualquer parte do corpo, dentro de poucos segundos. 
A origem dos nutrientes do líquido extracelular
Cada vez que o sangue completa uma volta pelo organismo, ele passa pelos pulmões, 
e capta o oxigênio nos alvéolos, configurando uma das características fundamentais 
do sistema respiratório. Em seu circuito, o sangue passa também pelos capilares do 
trato gastrintestinal, onde incorpora substâncias oriundas do processo de digestão. 
Nem todas as substâncias incorporadas no trato gastrintestinal podem ser diretamente 
utilizadas, necessitando, portanto, de um processamento prévio. O fígado, assim como 
os rins, as células gordurosas, a mucosa intestinal e as glândulas endócrinas, modifica 
a estrutura química de muitas dessas substâncias, tornando-as utilizáveis para os 
demais tecidos. O sistema musculoesquelético também tem um papel fundamental 
na manutenção da homeostasia, pois é ele que propicia a movimentação até o local 
adequado para a retirada dos nutrientes necessários da alimentação, além de promover 
a mobilidade para a proteção de todo o sistema.
A remoção das escórias metabólicas
Ao mesmo tempo em que o sangue capta o oxigênio nos pulmões, ele libera o dióxido 
de carbono, a mais abundante das escórias metabólicas. As demais substâncias, 
tais como a ureia e o ácido úrico, são eliminadas juntamente com a água e os íons 
pelos rins. Os rins respondem, não só pela função de filtragem do plasma sanguíneo, 
mas também pela reabsorção de substâncias necessárias ao metabolismo, que são 
filtradas