A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
Escala_distrib_pessoal

Pré-visualização | Página 1 de 1

�PAGE �
�PAGE �2�
ESCALAS DE DISTRIBUIÇÃO DE PESSOAL DE ENFERMAGEM
1 - A distribuição do pessoal de enfermagem deve ser feita de maneira racional para assegurar que a assistência de enfermagem seja prestada à clientela da melhor forma possível. É feita sob a forma de escala mensal, escala diária e de escala de férias.
 
1.1 - Escala mensal:
É também denominada de escala de pessoal e de escala de folgas, refere-se à distribuição dos elementos da equipe de enfermagem, de uma unidade, durante todos os dias do mês, seguindo os turnos de trabalho (manhã, tarde e noite). É onde são registradas as folgas, férias e licenças dos elementos das equipes.
1.1.1 - Pontos a serem considerados na elaboração da escala mensal:
a) Conhecimento das leis trabalhistas que subsidiam a elaboração da escala:
Entre uma jornada de trabalho e outra, deve haver intervalo mínimo de 11 horas consecutivas;
O trabalho noturno corresponde ao trabalho das 22 horas às 05 horas. A hora noturna equivale a 52 min e 30 seg. Portanto, 7 horas noturnas = 8 horas diurnas.
A mulher tem direito durante a jornada de trabalho, a dois descansos especiais, de meia hora cada um, para amamentar o próprio filho, até que complete seis meses de idade.
É obrigatória a concessão de um intervalo de no mínimo 1 hora e de no máximo 2 horas, para repouso ou alimentação, em trabalho cuja jornada exceda a 6 horas.
Os intervalos de descanso não são computados na jornada de trabalho.
b) Condições em que a ausência do funcionário não é considerada falta ao serviço, não havendo portanto, prejuízo do salário:
Até 15 dias, em caso de doença devidamente comprovada, ou seja, mediante atestado fornecido por médico da instituição de providencia social a que estiver filiado o empregado;
Até dois dias consecutivos, em caso de falecimento de cônjuge, ascendente, descendente, irmão, ou pessoa que declarada em sua carteira de trabalho que, viva sob sua dependência econômica;
Até 3 dias consecutivos em virtude do casamento;
Até 5 dias, para os homens, em caso de nascimento de filho;
Por um dia, a cada 12 meses de trabalho em caso de doação voluntária de sangue, devidamente comprovada;
Até 2 dias, consecutivos ou não, para alistamento eleitoral, nos termos da lei respectiva;
No período de tempo em que tiver de cumprir as exigências do serviço militar;
Durante a suspensão preventiva para responder a inquérito administrativo, ou de prisão preventiva quando for impronunciado ou absolvido;
Quando o funcionário servir como testemunha, devidamente arrolada ou convocado;
Durante 15 dias após o período de licença gestante, mediante atestado médico, quando a mãe amamenta e na Instituição não têm creche;
Por 15 dias, em caso de aborto não criminoso;
Se a falta ao trabalho estiver fundamentada na lei sobre acidente de trabalho.
c) Humanização na elaboração da escala:
Os funcionários podem registrar e solicitar os dias do mês em que preferem ter folgas, com as respectivas justificativas; ajuda o responsável pela elaboração da escala mensal a distribuir as folgas de forma a satisfazer, na medida do possível, os funcionários da unidade. 
A escala deve ficar em local visível a ser fixada em tempo hábil, para que os funcionários possam programar suas atividade pessoais.
- Recomendações para a elaboração da escala mensal:
Colocar o nome completo da cada funcionário e o cargo que ocupa;
Usar código para escalonamento do turno: M (manhã); T (tarde); N (noite) e, F (folga);
Ressaltar na escala os domingos e feriados;
Certificar-se do número de folgas correspondentes ao mês, registrando o mesmo no rodapé da escala;
Anotar no espaço das observações, alguma alteração significativa;
Evitar deixar folgas de um mês para outro, pois o acúmulo de folgas poderá dificultar a elaboração da escalas subseqüentes;
Verificar se há equilíbrio em número de qualificação profissional do pessoal nos plantões;
Procurar distribuir as folgas em domingos ou feriados de forma eqüitativa entre os funcionários.
a) Determinação de um cronograma para elaboração de escala:
 É importante que sejam estabelecidos os períodos a serem seguidos na elaboração da escala mensal:
Até que dia do mês os funcionários poderão solicitar as folgas;
O período para a elaboração da escala;
A data de entrega para a chefia do serviço de enfermagem.
1.2 - Escala diária:
É também determinada de escala de atividades e de escala de serviço. Objetiva dividir as atividades de enfermagem, diariamente, de maneira eqüitativa, entre os elementos da equipe de enfermagem a fim de garantir que a assistência de enfermagem seja prestada e de evitar sobrecarga para alguns funcionários e ociosidade para outros.
 - Escala de férias
 Também denominada de escala anual. As férias devem ser distribuídas racionalmente, para o bom andamento do serviço e satisfação pessoal.
A legislação trabalhista determina sobre férias
Após cada período de 12 meses de vigência de contrato de trabalho, o funcionário terá:
30 dias - quando não houver faltado mais de 5 vezes;
24 dias - quando houver de 6 a 14 faltas;
18 dias - quando houver de 15 a 23 faltas;
12 dias - quando houver de 24 a 32 faltas.
Aos menores de 18 anos e aos maiores de 50 anos de idade, as férias sempre serão concedidas de um só vez. Em casos especiais as férias serão concedidas em dois períodos um dos quais não poderá ser inferior a 10 dias.
Membros de uma mesma família que trabalham na mesma instituição, terão o direito a gozar as férias no mesmo período, se assim o desejarem e se disto não resultar prejuízo para o serviço.
O funcionário estudante menor de 18 anos, terá direito a fazer coincidir suas férias com as férias escolares.
Em suma, independendo do tipo de distribuição de pessoal, representado pelas escalas mensal, de atividades e de férias, é tarefa que deve ser feita de maneira a refletir um tratamento imparcial e justo para todos os funcionários.
BIBLIOGRAFIA
KURCGANT, Paulina. Gerenciamento em Enfermagem. São Paulo: EPU, 2005.