SEMANA 6
1 pág.

SEMANA 6


DisciplinaProcesso Civil IV1.134 materiais2.567 seguidores
Pré-visualização1 página
SEMANA 6
ETAPA COMUM AO CUMPRIMENTO DE SENTENÇA/EXECUÇÃO POR QUANTIA CERTA CONTRA DEVEDOR SOLVENTE I: PENHORA
1a Questão: Determinado credor instaurou processo de execução, lastreado em título executivo extrajudicial, em face de um incapaz, que se encontra regularmente representado nos autos. A penhora recaiu sobre um determinado bem e não foram oferecidos embargos à execução. Como o exequente não manifestou interesse na adjudicação, o magistrado determinou a expropriação por alienação em leilão judicial. No segundo leilão, o bem constricto recebeu um lance equivalente a 75% do valor da avaliação, o que gerou a assinatura no auto de arrematação. Imediatamente, o executado peticionou ao juízo, postulando o reconhecimento da ineficácia da arrematação, uma vez que o bem foi expropriado por preço vil. Já o credor, por sua vez, ponderou que, de acordo com o art. 891, parágrafo único, do CPC, a arrematação teria sido perfeitamente válida. Indaga-se: como deve decidir o magistrado?

RESPOSTA Trata-se de arrematação realmente inválida, pois não foi atingido
o preço mínimo na hipótese em que incapaz é sujeito passivo da
execução. O tema é regulado pelo art. 896 do NCPC, que também
estabelece as providências que devem ser observadas na
sequência.

2a Questão. A respeito dos bens impenhoráveis, marque a alternativa incorreta:

a) o seguro de vida;
b) os materiais necessários para obras em andamento, salvo se essas forem penhoradas;
c) os móveis, os pertences e as utilidades domésticas que guarnecem a residência do executado, inclusive os de elevado valor ou os que ultrapassem as necessidades comuns correspondentes a um médio padrão de vida;
d) os vestuários, bem como os pertences de uso pessoal do executado, salvo se de elevado valor.

Gabarito: C
Justificativa: O art. 833, NCPC (Lei nº 13.105/15), enumera as hipóteses de
impenhorabilidade dos bens. A afirmativa incorreta está em desacordo com o inciso II