A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
8 pág.
Questões da Prova Objetiva - Arquitetura da Segurança [ARQUIVO TEMPORÁRIO]

Pré-visualização | Página 1 de 3

Questões da Prova Objetiva
Arquitetura da Segurança
[ATENÇÃO! O gabarito da Prova Objetiva só sai ao término da data limite da realização da prova, deste modo, este arquivo só tem as questões que eram iguais as do compilado (que são a maioria da prova), e no fim, tem as idéias principais das outras questões que caíram na minha prova. Com isso é possível ter uma idéia do que caiu, e do que estudar. Até tentei montar as questões de cabeça, consegui algumas, mas lembrar das alternativas todas é impossível para mim, Sorry!] 								A. Brito
1- Questão 16 do Compilado
Leia o texto abaixo e depois responda:
“Na década de 1960, surgiram críticas à Escola de Chicago e à teoria da desorganização social”. (KARPINSKI, Marcelo Trevisan. Arquitetura contra o crime: prevenção, segurança e sustentabilidade”. Curitiba: InterSaberes, 2016).
Contudo, mesmo com críticas, a teoria da desorganização social apresentou contribuições, sendo assim, leia atentamente as alternativas abaixo e assinale a alternativa correta sobre o assunto:
	
A	A única conclusão que pode ser apontada, com toda a certeza, sem nenhuma ressalva, é a de que a delinquência tende a aglomerar-se em áreas comuns, sem características semelhantes, que habitam as populações mais protegidas. Caminhando para o entendimento sem relação disciplinar dos problemas relativos ao crime a violência, a criminologia e o urbanismo não somaram esforços.
B	A única conclusão que pode ser apontada, ainda com certa ressalva, é a de que a delinquência tende a aglomerar-se em áreas comuns, com características semelhantes, em que geralmente habitam as populações mais desprotegidas. Caminhando para o entendimento multidisciplinar dos problemas relativos ao crime a violência, a criminologia e o urbanismo somaram esforços.
C	Não foi apontada nenhuma conclusão que pode ser apontada, apenas comentou-se não há ligação da delinquência com a aglomeração em áreas comuns, sendo características semelhantes, que geralmente habitam as populações mais desprotegidas. Caminhando para o entendimento multidisciplinar dos problemas relativos ao crime a violência, a política e a religião somaram esforços.
D	Todas as conclusões definitivas que podem ser apontadas, não defendem que a delinquência tende a aglomeração em áreas comuns, com características semelhantes, em que geralmente habitam as populações mais desprotegidas, sejam parte da teoria da desorganização social. Caminhando para o entendimento semidisciplinar dos problemas relativos ao crime a violência, a antropologia e a sociologia somaram esforços.
E	A única conclusão que pode ser apontada, ainda com certa ressalva, é a de que a delinquência não tende a aglomerar-se em áreas comuns, apenas nas áreas privadas, sem características semelhantes entre si, caminhando para demonstrar que não há multidisciplinariedade dos problemas relativos ao crime a violência, sendo assim, a criminologia e o urbanismo, não somaram esforços.
2 - Questão 22 do Compilado
Leia o texto abaixo e depois responda: Em 1960, Jane Jacobs, em seu livro Morte e vida de grandes cidades, comentou sobre a segurança dos espaços públicos. (KARP INSKI, Marcelo Trevisan. Arquitetura contra o crime: prevenção, segurança e sustentabilidade”. Curitiba: InterSaberes, 2016). 
Sobre o assunto e considerando o autor, assinale a alternativa correta:
A	O comentário foi sobre “a teor ia da imaginabilidade, que também foi importante e transformou a forma como os urbanistas e pesquisadores sociais aborda riam o desenho urbano”. 
B	O comentário foi sobre “a segurança do espaço público o qual depende mais da vigilância involuntária dos seus usuários do que da presença de órgãos do Estado”. 
C	O comentário foi sobre “a cidade não poderia ser totalmente uniforme, de modo a acusar monotonia e desinteresse. Deveria sim, ser composta por acontecimentos e por um dramatismo que apelassem à imaginação do observador e o fizessem identificar -se com a cidade e com as suas peculiar idades inerentes”. 
D	O comentário foi sob re “estas zonas proporcionam momentos e locais com concentração de pessoas e alvos, num deter minado ambiente, que podem potencializar a prática de atos criminais”. 
E	O comentário foi sobre “é possível identificar zonas que são consideradas geradores (cri me generators) ou atratores de crime (crime attractors)”.
3 - Questão 32 do Compilado
Leia o texto abaixo e depois responda:
“Tendo em vista que os lugares em que ocorrem os crimes são determinantes para a prevenção destes, traçar estratégias adequadas é de especial relevância”. (KARPINSKI, Marcelo Trevisan. Arquitetura contra o crime: prevenção, segurança e sustentabilidade. Curitiba: InterSaberes, 2016).
De acordo com os estudos realizados e a bibliografia básica indicada para esta disciplina, leia e analise as assertivas abaixo, identificando – as como verdadeiras (V) ou falsas (F) e depois assinale a alternativa que corresponde à sequência correta, sobre o conceito de hot spots:
( ) Nas estratégias de prevenção, deve-se dar uma especial atenção aos lugares onde o crime se concentra – o que os ingleses chamam de ‘pontos quentes’.
( ) Estudos sobre hot spots devem receber especial atenção, pois, devemos dar importância a questões como: “Onde aconteceu o crime? “ da mesma maneira com que nos preocupamos com “Quem cometeu o crime?”. Isso porque o crime está aproximadamente seis vezes mais concentrado em locais do que em indivíduos.
( ) ‘Pontos quentes’ são locais privilegiados pelos comerciantes que acabam chamando a atenção dos criminosos.
Assinale a alternativa abaixo que apresenta a sequência correta:
 
A	V, V, F.
B	V, V, V.
C	F, V, V.
D	V, F, F.
E	F, F, V.
4 - Questão 42 do Compilado
Leia o texto abaixo e depois responda:
“Empregar recursos adequados para a eliminação de barreiras visuais torna-se fator importante para melhorar o campo de observação a partir de edifícios. Materiais transparentes, grades, janelas e uma boa iluminação potencializam a vigilância natural”. (KARPINSKI, Marcelo Trevisan. Arquitetura contra o crime: prevenção, segurança e sustentabilidade. Curitiba: InterSaberes, 2016.).
Sobre a Vigilância natural é correto afirmar:
A	A vigilância natural é um dos conceitos mais importantes de toda a arquitetura contra o crime, por não ser dissuasória de atitudes antissociais ou ilícitas.
B	A invigilância natural é um dos conceitos mais importantes de toda a arquitetura contra o crime, como dissuasória de atitudes antissociais ou ilícitas.
C	A vigilância natural é um sonho dos estudiosos sobre o assunto, pois suas indicações, como alterações de muros para grades, por exemplo, são atitudes não resolvem os problemas sociais ou as ações ilícitas.
D	A vigilância natural é um dos conceitos mais importantes de toda a arquitetura contra o crime, como a dissuasória de atitudes antissociais ou ilícitas.
E	A vigilância natural não é reconhecida como um dos conceitos mais importantes de toda a arquitetura contra o crime, como dissuasória de atitudes antissociais ou ilícitas.
5 - Questão 43 do Compilado
Leia o texto abaixo e depois responda:
“Bondaruk (2015, p79 – 80) fala a respeito dos espaços de determinados pela psicologia e pela cultura que os autores costumam denominar de zonas de distância.”. (KARPINSKI, Marcelo Trevisan. Arquitetura contra o crime: prevenção, segurança e sustentabilidade. Curitiba: InterSaberes, 2016.).
As zonas de distância, são classificadas como: zona íntima, zona pessoal, zona social e zona pública. Assinale a alternativa correta sobre a zona íntima:
A	Também chamada de zona imediata, vai de 14 cm a 46 cm de distância do nosso corpo. Nela só pessoas com maior nível de intimidade pode penetrar, como cônjuges, pais, filho, amigos íntimos e parentes.
B	De 46 cm a 1,20, é a distância em que pessoas ficam em reuniões sociais, como festas, atividades, coquetéis e reunião de amigos.
C	De 1,20 m a 3,60 m é a distância que mantemos de estranhos, como um encanador que possa prestar um serviço em casa, um carteiro ou entregador de supermercado

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.