A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
47 pág.
APOSTILA DE ANATOMIA TOPOGRÁFICA DOS ANIMAIS DOMÉSTICOS - UNIPAMPA, 2013

Pré-visualização | Página 1 de 9

ROTEIRO DE 
DISSECAÇÃO 
 
 
Roteiro de dissecação da disciplina de Anatomia Topográfica dos Animais 
Domésticos do curso de graduação em Medicina Veterinária da Universidade 
Federal do Pampa – campus Uruguaiana, RS. 
 Prof. Paulo de Souza Junior 
 
 
 
 
Uruguaiana 
2013.01 
 
2 
 
 
Sumário 
1. ROTEIRO PARA DISSECAÇÃO E ESTUDO DO MEMBRO TORÁCICO .............. 4 
1.1 Face Lateral do Ombro e Braço ............................................................................ 4 
1.2 Axila ...................................................................................................................... 9 
1.3 Face Medial do Braço.......................................................................................... 11 
1.4 Antebraço e Mão ................................................................................................. 13 
1.5 Revisão Geral do Membro Torácico .................................................................... 17 
2. ROTEIRO PARA DISSECAÇÃO E ESTUDO DA CABEÇA E PESCOÇO ............ 18 
2.1 Face .................................................................................................................... 18 
2.2 Região Retrofaríngea .......................................................................................... 21 
2.3 Pescoço ............................................................................................................... 22 
2.3.1 Face Lateral Do Pescoço ................................................................................. 22 
2.3.2 Face Ventral do Pescoço ................................................................................. 23 
3. ROTEIRO PARA DISSECAÇÃO E ESTUDO DO TRONCO ................................. 25 
3.1 Parede Torácica e Músculos Epaxiais ................................................................ 25 
4. ROTEIRO PARA DISSECAÇÃO E ESTUDO DO MEMBRO PÉLVICO ................ 28 
4.1 Face Lateral da Pelve ......................................................................................... 28 
4.2 Face lateral da coxa ............................................................................................ 30 
4.3 Face medial da coxa. .......................................................................................... 32 
4.4 Crura e pé. .......................................................................................................... 34 
5. ROTEIRO PARA DISSECAÇÃO E ESTUDO DA CAVIDADE TORÁCICA ........... 38 
6. ROTEIRO PARA DISSECAÇÃO E ESTUDO DA PAREDE E CAVIDADE 
ABDOMINAL ............................................................................................................. 42 
7. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ...................................................................... 47 
 
 
 
 
 
 
 
 
3 
 
 
LEIA COM ATENÇÃO ANTES DE COMEÇAR A DISSECAÇÃO: 
 
1. Use sempre luvas! 
2. Cuidado no manuseio de instrumental cortante! 
3. Retire o cadáver da solução de formol um dia antes da dissecação e 
mantenha-o umedecido. Se a peça for de cão, coloque-o em uma caixa com água. 
Se for de ovino, coloque sobre uma maca e recubra com pano umedecido. 
Mantenha as extremidades (membros e cauda) sempre umedecidas mesmo durante 
a dissecação. 
4. Ao término da atividade, limpe a bancada e o instrumental utilizado. 
Descarte o material pérfuro-cortante (agulhas, lâminas de bisturi) no local designado. 
5. Anote todas as etapas da dissecação (cronologia) e ilustre com fotografias 
da peça preparada. Isto será importante para a confecção do relatório final. 
6. A pele deve ser rebatida e a fáscia removida (com pinça dente-de-rato ou 
bisturi) até que a musculatura seja exposta e as fibras tenham suas direções 
identificadas. 
7. Caso não vá manipular o cadáver por mais de 24h, suture a pele e devolva-
o à solução de formol para conservação adequada. 
8. Este guia é autoexplicativo desde que o aluno recorra às ilustrações dos 
atlas de anatomia e informações complementares dos livros textos para melhor 
entendimento. 
 
4 
 
 
1. ROTEIRO PARA DISSECAÇÃO E ESTUDO DO MEMBRO 
TORÁCICO 
1.1 Face Lateral do Ombro e Braço 
 
1.1.1 A dissecação começa com a retirada da pele, que deve ser 
demonstrada pelo instrutor. A remoção da pele deve ser feita cuidadosamente, a fim 
de se evitar cortar estruturas mais profundas. Faça uma incisão na pele sobre a 
linha mediana ventral, desde o terço médio do pescoço até a cicatriz umbilical (figura 
1). Em seguida, faça mais três incisões perpendiculares àquela. Uma, a partir do 
ponto de origem da primeira incisão até a linha mediana dorsal, cruzando a região 
lateral do pescoço. Outra, da linha mediana ventral até a face medial da articulação 
do cotovelo, atravessando a axila. A terceira, começa na cicatriz umbilical e passa 
sobre a região abdominal lateral até a linha mediana dorsal. Remova a pele desde a 
linha mediana ventral até a linha mediana dorsal. Na altura do cotovelo, faça uma 
incisão contornando esta articulação. A pele do antebraço e da mão não será 
removida nesta fase. 
 
 
Figura 1. 
 
 
5 
 
 
1.1.2 Identifique, logo abaixo da pele, o m. cutâneo do tronco. Este é um 
músculo de forma laminar que se estende da face lateral do ombro até as faces 
laterais da pelve e da coxa, cobrindo o tórax e abdome (figura 2). 
 
 
Figura 2. 
 
1.1.3 Proceda a limpeza (remoção das fáscias e gordura) de todos os 
músculos extrínsecos do membro torácico, permitindo a visualização dos mesmos. 
1.1.4 Comece identificando os músculos peitorais. Estes músculos ocupam o 
espaço entre o esterno e a face medial do braço. De acordo com o sentido de suas 
fibras, podemos reconhecer o m. peitoral superficial e o m. peitoral profundo. 
Como o nome indica, o m. peitoral superficial cobre parcialmente o peitoral profundo. 
Reconheça as porções descendente e transversa do m. peitoral superficial. Em 
algumas peças, é necessário remover o tecido conjuntivo, predominantemente 
adiposo, que recobre estes músculos. 
1.1.5 Neste item, deverão ser identificados, no sentido craniocaudal, os 
músculos braquiocefálico, omotransverso, trapézio e grande dorsal. Este último 
está encoberto pelo m. cutâneo do tronco. Após limpar todo o m. braquiocefálico 
desde o úmero até a cabeça, identifique a intersecção clavicular. Ela divide o 
músculo em clidobraquial e clidocefálico. O clidocefálico, por sua vez, divide-se 
em clidomastóideo e clido-occipital nos ruminantes (figura 3) e em clidomastóide 
e clidocervical em carnívoros. O clidomastóideo é sempre a porção mais fina entre 
6 
 
 
as duas. Estes músculos servem para prender o membro torácico ao pescoço e ao 
tronco. Rebata ventralmente o cutâneo do tronco para visualizar o grande dorsal. 
 
Figura 3. 
 
1.1.6 Identifique a v. cefálica, que corre sobre o m. braquiocefálico, vindo da 
face cranial do antebraço em direção ao pescoço para encontrar a v. jugular 
externa. 
1.1.7 A próxima etapa consiste na remoção do membro torácico esquerdo. 
Neste antímero, corte os músculos extrínsecos supramencionados em seus terços 
médios. O m. trapézio deve ser cortado em suas porções cervical e torácica, 
contornando sobre a borda dorsal da escápula em forma de “arco”. O m. peitoral 
superficial deve ser cortado longitudinalmente a 2 cm e o m. peitoral profundo a 1 cm 
do plano mediano e ambos rebatidos em direção ao membro com sua inserção no 
úmero preservada (figura 4). Os vasos e nervos da região axilar devem ser cortados 
o mais rente possível do tronco, permanecendo o máximos destas estruturas junto 
ao membro que será retirado. Após estas manobras, o membro está preso ao tronco 
apenas pelos