FEOHIFOMICOSE E MICETOMAS

@micologia-medica UFAM
#Feohifomicose#Micetomas

Pré-visualização

*
*

MICETOMAS

Conceito: Infecção crônica de pele e tecido subcutâneo, causada pela inoculação direta do agente por trauma. Clinicamente caracteriza-se pela tríade aumento de volume do membro ou região afetada (tumoração), formação de fístulas e drenagem de grãos. 
Os agentes etiológicos dos micetomas são os actinomicetos – bactérias filamentosas ( actinomicetomas) e os fungos verdadeiros (micetomas eumicóticos ou eumicetomas)

EUMICETOMA: Infecção onde predominam fibrose e fistulização, com escassa drenagem de pus. Rara e de natureza crônica, afeta mais os pés e não há comprometimento do estado geral do paciente.



*
*

HISTÓRICO – Em 1842, John Gill descreveu clinicamente o “pé de madura”, na região de Madura na Índia, com processo de localização podal ocasionado pelo fungo Madurella grisea, também denominada de Maduromicose.
 
 Em 1860 Vandyke Carter usou pela primeira vez o termo MICETOMA, para denominar tumores produzidos por fungos.

 1913 Pinoy fez a diferenciação entre etiologia bacteriana (actinomicetomas) e fúngica (eumicetomas).
MICETOMAS


*
*

Agentes: Cerca de 23 espécies de fungos estão implicadas na etiologia dos eumicetomas. A cor do grão varia podendo ser branca, amarela ou preta.

Agentes de Grão de Coloração Preta
Madurella Grisea, M. mycetomatis,
 Exophiala jeanselmei, 
Curvularia geniculata e Curvularia lunata.

Agentes de Coloração Branca
Acremonium kiliense, Acremonium falciforme, A. recifei
Pseudoallescheria boydii (Scedosporium apiospermum), 
Fusarium oxysporum, F. moniliforme, F. solani.
Aspergillus fumigatus, Aspergillus nidulans

EUMICETOMAS


*
*

Habitat: sapróbios ou patógenos de plantas, são encontradas em espinhos de acácias, lodo e solos arenosos

Distribuição Geográfica: áreas de climas tropical e subtropical. Os países da África ( Senegal, Somália, Sudão), Índia e América do Sul.

Mecanismo de Infecção: traumatismo com inoculação do agente, associado a precárias condições de higiene e nutrição.

Incidência: Mais freqüentes em homens (3:1) na faixa etária de 20 a 45 anos.

EUMICETOMAS


*
*

EUMICETOMAS

QUADRO CLÍNICO –
	A partir da inoculação, ocorre edema, eritema e posterior fistulização. Pouca dor , a inflamação evolui com invasão do tecido subcutâneo ao longo dos meses. Enfartamento de vasos com aumento do volume do membro com limitação funcional. Devido a fibrose a área é dura a apalpação, com elevações mamelonadas e saída de pouca secreção pelas fístulas. Comprometimento ósseo com osteoesclerose e osteólise. Disseminação para outras áreas rara.

Diagnostico Laboratorial –
Visualização dos grãos a fresco clareados com KOH, caracterizados por filamentos micelianos de parede dupla, clamidosporos abundantes e ausência de Clavas. Biópsia com H.E. 
Histopatologia – Na fase aguda, processo inflamatório supurativo ao redor do grão. Com a evolução, hiperplasia pseudo-epiteliomatosa, células gigantes e formação de granulomas. Na periferia, intensa fibrose. 


*
*

Cultura – SAB, em temperatura adequada, a identificação pode ser feita de 3 a 4 semanas

MACROMORFOLOGIA – Pseudoallescheria boydii – Scedosporium apiospermum
Crescimento rápido,  Agar Sabouraud  de 30 a 37oC. Micélio aéreo abundante, castanho acizentado.

MICROMORFOLOGIA – 
Hifas hialinas septadas, conidióforos simples, conídios unicelulares piriformes . Aglomerados de hifas formando estruturas denominada corêmio (sinêmio).



*
*

MICROMORFOLOGIA
Hifas pigmentadas septadas, tortuosas. Conídios septados ( macroconideos), encurvados, pigmentados.
MACROMORFOLOGIA – Curvularia sp.
Colônia filamentosa pigmentada, lanosa de verde-olivacea a negra. Crescimento lento.


*
*

ACTINOMICETOMAS

Conceito: Infecções causadas por bactérias da ordem Actinomycetales, de natureza endógena ou exógena, anaeróbias ou aeróbias, produzindo lesões granulomatosas com formação de abcessos múltiplos, duros, fistulosos que atingem a face, pescoço, tórax, abdômen e órgãos genitais.

Histórico: Libert fez o 1º. Relato de casos (38 pacientes) acometidos por A. israelii

A presença de âcido murâmico, a ausência de membrana nuclear e de mitocôndria, medindo de  0,5 a 1m de diâmetro  e a sensibilidade a antibióticos, definem os actinomicetos como bactérias e não fungos. São ainda Gram + e álcool–ácido-resistentes. 


*
*

MICETOMA ACTINOMICOTICO ENDÓGENO

	Entidade clínica que consiste em supuração crônica determinada pela penetração, implantação e proliferação de filamentos de Actinomyces sp. e conseqüente formação de focos múltiplos de drenagem e secreção purulenta.

Etiologia: Vários membros da família Actinomicetaceae foram isolados da cavidade oral (cáries dentárias e criptas tonsilares) e outras áreas de mucosas (intestino e vagina)

Mecanismo de Transmissão: Traumatismo, inalação e ingestão

Agentes Anaeróbios (endógenos)         Agentes Aeróbios (exógenos)
Actinomyces israelli                              Nocardia brasiliensis
Actinomyces odontolyticus                      Nocardia caviae
Actinomyces bovis                                  Nocardia asteroides
Actinomyces sp.                                      Actinomadura pelletieri, A. madurae
                                                                 Streptomyces somaliensis
ACTINOMICETOMAS


*
*

Distribuição Geográfica: Cosmopolita 

Manifestações Clínicas
	Acometem regiões cervico-faciais, toracopulmonares e abdominais. Associada em geral a condições predisponentes como: trauma de mucosa, cáries, extração dentária e diminuição temporária da defesa do hospedeiro.
A lesão esta representada por tumefação ao nível da mandíbula, que evolui formando trajetos fistulosos, com aparecimento de secreção e presença ou não de grãos branco-amarelado. Sem comprometimento ganglionar.

Diagnostico Laboratorial: 
Exame direto ou anatomopatológico – Grão composto por um entrelaçado de finos filamentos bacterianos, com clavas na periferia sem estrutura interna, reação eosinofílica de Splendore-Hoepplii.


ACTINOMICETOMAS


*
*

MICETOMA ACTINOMICOTICO EXOGENO
	Doença aguda ou crônica, supurativa, causada por actinomicetos aeróbios , habitantes do solo.

Etiologia: na sua maioria são saprófitos do meio ambiente, encontrados nos vegetais e solos ricos em matérias orgânicas. 

Distribuição Geográfica: encontrado em todo o mundo, e principalmente em regiões tropicais e subtropicais. Atinge qualquer raça ou profissão. Não se considera doença rural.

Mecanismo de Transmissão: Traumatismo, inalação e ingestão



*
*

Manifestações Clínicas
 As lesões são adquiridas por ferimentos na pele, sendo em geral as extremidades as mais envolvidas, caracterizam-se por um aumento de volume, presença de fistulas com saída de material seroso, onde se encontram os grãos parasitários.

Diagnostico Laboratorial 
Exame direto ou anatomopatológico – presença de grão de branco a laranja,  composto por filamentos finos bacterianos, com ou sem clava na periferia.
Crescimento rápido, em Agar Sabouraud, ou meios especiais

Colorações: Brown-Brenn, Gram
MICETOMA ACTINOMICOTICO EXOGENO

Ainda não temos comentários aqui
Seja o primeiro!