A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
Tema 5 - Direito Constitucional II - Limitações ao poder de reforma

Pré-visualização | Página 1 de 2

Edison Yague Salgado 
Advogado e Professor de Direito 
__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ 
 
1 
 
Tema DC I – 5 – 2017 
LIMITAÇÕES AO PODER DE REFORMA CONSTITUCIONAL 
 
 
1. CONCEITOS 
 
As Constituições pretendem ser eternas, porém não devem ser "imodificáveis", 
precisam ser atualizadas principalmente na sua parte social que deve acompanhar 
a evolução e progresso do seu povo. 
 
Se não forem atualizadas, acabam sendo substituídas por outras, o que nem sempre 
é bom para o povo, pois podem perder alguns direitos já conquistados; 
 
Para que isto não aconteça, as constituições, devem possuir dispositivos para 
possibilitar a reforma ou revisão, para atualizá-la. 
 
No entanto, estes dispositivos, também não podem ser amplos e irrestritos, pois 
precisam modificar, atualizar as constituições, porém, também não podem perder 
direitos já conquistados. 
 
Por isto, a constituição precisa de dispositivos que garantam a sua atualização, sem 
perder a sua integridade. 
 
Com isto o Constituinte de 1988, outorgou competência para o Congresso Nacional, 
que é o Poder Reformador, para efetuar estas modificações e atualizações, na 
Constituição Federal de 1988, porém com certas limitações, para que ela não fique 
em desacordo com os seus objetivos iniciais, principalmente de “Constituição Cidadã”. 
 
Estas mudanças devem ser feitas, para que continue atingindo os seus objetivos, 
novos impulsos, novas forças, sem que para tanto seja preciso fazer uma revolução 
para instituir uma nova constituição. 
 
 
 
2. LIMITAÇÕES DO PODER DE REFORMA 
 
O Poder Constitucional Originário, estabelece o poder revisional, com as limitações 
do Art. 60, parágrafo 4, que são considerados como “Cláusulas Pétreas" que é 
matéria intocável, considerado como o “cerne fixo da Constituição”, que não pode ser 
alterado. 
 
O Congresso exerce a competência Constituinte Reformador que é limitado pela 
própria Constituição, sob pena de inconstitucionalidade em razão de desobediência 
"à forma". 
 
Estas vedações ou limitações às alterações constitucionais são conforme o 
estabelecido no Artigo 60 da própria Constituição. (Ver artigo 60, § 4º). 
 
 
 
Edison Yague Salgado 
Advogado e Professor de Direito 
__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ 
 
2 
 
A. PROCEDIMENTAIS 
 
As limitações procedimentais dizem respeito a quem tem competência para propor 
uma PEC – “Projeto de Emenda Constitucional” para modificar ou alterar a 
Constituição de 1988 
 
Art. 60. A Constituição poderá ser emendada mediante proposta: 
I - de um terço, no mínimo, dos membros da Câmara dos Deputados ou do Senado 
Federal; 
II - do Presidente da República; 
III - de mais da metade das Assembleias Legislativas das unidades da Federação, 
manifestando-se, cada uma delas, pela maioria relativa de seus membros. 
 
Observa-se desta forma, que as propostas de Emendas, podem partir: 
 
A- Dos Deputados Federais ou Senadores, contanto que o pedido seja assinado 
por um terço (1/3) dos membros de cada casa; (171 Deputados ou 27 
Senadores) 
B- Pode ser proposta pelo Presidente da República 
C- Pela maioria relativa dos membros das Assembleias Legislativas dos Estados. 
 
 
B. CIRCUNSTANCIAIS 
§ 1º A Constituição não poderá ser emendada na vigência de intervenção federal, de 
estado de defesa ou de estado de sítio. 
 
Esta limitação destina proporcionar garantias, para que a Constituição não seja 
alterada em certas situações de conflitos ou guerra civil, como nos casos do estado 
de defesa (art. 136) e estado de sítio (art. 137) onde são suspensos alguns direitos 
fundamentais. 
 
Portanto, se fosse possível alterar a Constituição durante estes conflitos, poderiam 
retirar alguns direitos fundamentais, o que não seria conveniente para o povo. 
 
 
C. VOTAÇÃO: 
§ 2º A proposta será discutida e votada em cada Casa do Congresso Nacional, em 
dois turnos, considerando-se aprovada se obtiver, em ambos, três quintos dos votos dos 
respectivos membros. 
 
A proposta será discutida e votada em cada Casa do Congresso Nacional, em 
dois turnos, considerando-se aprovada se obtiver, em ambos, três quintos dos 
votos dos respectivos membros. 
 
Na Câmara precisa ser aprovada por 308 deputados e no Senado por 49 senadores, 
em dois turnos. 
 
Este processo complicado de aprovações, é para dificultar o processo, para que não 
sejam criadas emendas da noite para o dia, ocasionando a perda da “estabilidade 
jurídica”. 
Edison Yague Salgado 
Advogado e Professor de Direito 
__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ 
 
3 
 
D. PROMULGAÇÃO: 
§ 3º A emenda à Constituição será promulgada pelas Mesas da Câmara dos 
Deputados e do Senado Federal, com o respectivo número de ordem. 
 
Após a aprovação, a Emenda será Promulgada pelos componentes das mesas da 
Câmara dos Deputados e do Senado Federal, com o respectivo número de ordem. 
 
Importante destacar que Presidente da República não participa do processo de 
votação, aprovação ou promulgação. Apenas pode propor, ou seja apresentar uma 
proposta de emenda (PEC) na secretaria da Câmara. 
 
 
E. TEMPORAIS 
§ 5º A matéria constante de proposta de emenda rejeitada ou havida por prejudicada 
não pode ser objeto de nova proposta na mesma sessão legislativa 
 
 
A matéria constante de proposta de emenda rejeitada ou havida por prejudicada 
não pode ser objeto de nova proposta na mesma sessão legislativa. 
 
Sessão Legislativa 
 
Ordinária : período de 15/02 a 30/06 e 01/08 a 15/12. 
 
Extraordinária : período de 01/07 a 31/07 e 16/12 a 14/02 (recesso) 
 
Foi prevista uma revisão constitucional, prevista no Art. 3º dos Atos das Disposições 
Transitórias (ADCT), após 5 anos da promulgação da Constituição, ou seja 1993, 
oportunidade onde foram apresentadas 6 Emendas de Revisão. 
 
Foi previsto também um Plebiscito, que foi realizado em 1993, de acordo com o Art. 
2º do ADCT, para a opção entre a forma (república ou monarquia constitucional) e o 
sistema de governo (parlamentarismo ou presidencialismo). O povo brasileiro optou 
pela permanência da República Presidencialista. 
 
 
F. LIMITAÇÕES MATERIAIS (CLÁUSULAS PÉTREAS) 
§ 4º Não será objeto de deliberação a proposta de emenda tendente a abolir: 
I - a forma federativa de Estado; 
II - o voto direto, secreto, universal e periódico; 
III - a separação dos Poderes; 
IV - os direitos e garantias individuais. 
 
1. Limitações Explícitas 
 
Estas Limitações são aquelas que constam do próprio texto da Constituição, ou seja, 
o Constituinte indicou que em todos os lugares da Constituição, onde estiver indicado: 
a Forma Federativa de Estado, o voto direto, secreto, universal e periódico, a 
separação dos poderes e os direitos e garantias fundamentais, NÃO PODE SER 
OBJETO de emenda tendente a ABOLIR. 
Edison Yague Salgado 
Advogado e Professor de Direito 
__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________