Direito da Seguridade Social   Senado Federal
197 pág.

Direito da Seguridade Social Senado Federal


DisciplinaIntrodução ao Direito I97.505 materiais719.791 seguidores
Pré-visualização50 páginas
da saúde e pelo ministério do trabalho e da Previdência social, será assegurado 
às secretarias estaduais e municipais de saúde ou órgãos congêneres, como suporte 
ao processo de gestão, de forma a permitir a gerencia informatizada das contas e a 
disseminação de estatísticas sanitárias e epidemiológicas médico-hospitalares.
Art. 40. (Vetado). 
Art. 41. as ações desenvolvidas pela Fundação das Pioneiras sociais e pelo ins-
tituto Nacional do Câncer, supervisionadas pela direção nacional do sistema Único 
de saúde \u2013 sus, permanecerão como referencial de prestação de serviços, formação 
de recursos humanos e para transferência de tecnologia.
163Direitos da Seguridade Social
Art. 42. (Vetado).
Art. 43. A gratuidade das ações e serviços de saúde fica preservada nos serviços 
públicos contratados, ressalvando-se as cláusulas dos contratos ou convênios estabe-
lecidos com as entidades privadas.
Art. 44. (Vetado).
Art. 45. os serviços de saúde dos hospitais universitários e de ensino integram-se 
ao sistema Único de saúde \u2013 sus, mediante convênio, preservada a sua autonomia 
administrativa, em relação ao patrimônio, aos recursos humanos e financeiros, ensino, 
pesquisa e extensão nos limites conferidos pelas instituições a que estejam vinculados.
§ 1o os serviços de saúde de sistemas estaduais e municipais de previdência social 
deverão integrar-se à direção correspondente do sistema Único de saúde \u2013 sus, con-
forme seu âmbito de atuação, bem como quaisquer outros órgãos e serviços de saúde.
§ 2o em tempo de paz e havendo interesse recíproco, os serviços de saúde das 
Forças armadas poderão integrar-se ao sistema Único de saúde \u2013 sus, conforme se 
dispuser em convênio que, para esse fim, for firmado.
Art. 46. o sistema Único de saúde \u2013 sus, estabelecerá mecanismos de incentivos 
à participação do setor privado no investimento em ciência e tecnologia e estimulará 
a transferência de tecnologia das universidades e institutos de pesquisa aos serviços 
de saúde nos estados, Distrito Federal e municípios, e às empresas nacionais.
Art. 47. o ministério da saúde, em articulação com os níveis estaduais e municipais 
do sistema Único de saúde \u2013 sus, organizará, no prazo de dois anos, um sistema 
nacional de informações em saúde, integrado em todo o território nacional, abrangendo 
questões epidemiológicas e de prestação de serviços.
Art. 48. (Vetado).
Art. 49. (Vetado).
Art. 50. os convênios entre a união, os estados e os municípios, celebrados para 
implantação dos Sistemas Unificados e Descentralizados de Saúde, ficarão rescindidos 
à proporção que seu objeto for sendo absorvido pelo sistema Único de saúde \u2013 sus.
Art. 51. (Vetado).
Art. 52. sem prejuízo de outras sanções cabíveis, constitui crime de emprego irre-
gular de verbas ou rendas públicas (Código Penal, art. 315) a utilização de recursos 
financeiros do Sistema Único de Saúde \u2013 SUS em finalidades diversas das previstas 
nesta lei.
Art. 53. (Vetado).
Art. 54. esta lei entra em vigor na data de sua publicação.
164 Direitos da Seguridade Social
Art. 55. são revogadas a lei no 2.312, de 3 de setembro de 1954, a lei no 6.229, 
de 17 de julho de 1975, e demais disposições em contrário.
Brasília, em 19 de setembro de 1990; 169o da independência e 102o da república.
FerNaNDo Collor \u2013 Alceni Guerra 
Ato Internacional
167Direitos da Seguridade Social
DeCreto no 5.722
De 13 De mArço De 2006
(Publicado no Dou de 14/3/2006)
Promulga o Acordo Multilateral de Seguridade 
Social do Mercado Comum do Sul e seu Regula-
mento Administrativo, de 15 de dezembro de 1997.
o PresiDeNte Da rePÚBliCa, no uso da atribuição que lhe confere o art. 84, 
inciso iV, da Constituição, e
Considerando que o Congresso Nacional aprovou o texto do acordo multilateral de 
seguridade social do mercado Comum do sul e seu regulamento administrativo, 
por meio do Decreto legislativo no 451, de 14 de novembro de 2001;
Considerando que o Governo brasileiro ratificou o citado Protocolo em 18 de de-
zembro de 2001;
Considerando que o Protocolo entrou em vigor internacional em 1o de junho de 2005, 
nos termos de seu artigo 17; 
DeCreta:
Art. 1o o acordo multilateral de seguridade social do mercado Comum do sul e seu 
regulamento administrativo, de 15 de dezembro de 1997, apenso por cópia ao presente 
Decreto, será executado e cumprido tão inteiramente como nele se contém.
Art. 2o são sujeitos à aprovação do Congresso Nacional quaisquer atos que possam 
resultar em revisão do referido Protocolo ou que acarretem encargos ou compromissos 
gravosos ao patrimônio nacional, nos termos do art. 49, inciso i, da Constituição.
Art. 3o este Decreto entra em vigor na data de sua publicação. 
Brasília, 13 de março de 2006; 185o da independência e 118o da república.
luiZ iNÁCio lula Da silVa \u2013 Celso luiz Nunes amorim
169Direitos da Seguridade Social
ACorDo muLtILAterAL De SeGurIDADe 
SoCIAL Do merCADo Comum Do SuL
os Governos da república argentina, da república Federativa do Brasil, da república 
do Paraguai e da república oriental do uruguai,
Considerando o tratado de assunção de 26 de março de 1991 e o Protocolo de ouro 
Preto de 17 de dezembro de 1994; e
Desejosos em estabelecer normas que regulem as relações de seguridade social entre 
os países integrantes do merCosul;
Decidiram celebrar o presente acordo multilateral de seguridade social nos seguintes 
termos:
tÍtuLo I
Disposições Gerais
ArtIGo 1
1. os termos e expressões que se enumeram a seguir possuem, para os efeitos de 
aplicação do Acordo, o seguinte significado:
a) \u201cEstados Partes\u201d designa a República Argentina, a República Federativa do Brasil, 
a república do Paraguai e a república oriental do uruguai, ou qualquer outro estado 
que venha a aderir de acordo com o previsto no artigo 19 do presente acordo;
b) \u201cLegislação\u201d, leis, regulamentos e demais disposições sobre Seguridade Social 
aplicáveis nos territórios dos estados Partes;
c) \u201cAutoridade Competente\u201d, os titulares dos organismos governamentais que, confor-
me a legislação interna de cada estado Parte, tenham competência sobre os regimes 
de seguridade social;
d) \u201cOrganismo de Ligação\u201d, organismo de coordenação entre as instituições que 
intervenham na aplicação do acordo;
e) \u201cEntidades Gestoras\u201d, as instituições competentes para outorgar as prestações 
amparadas pelo acordo;
f) \u201cTrabalhador\u201d, toda pessoa que, por realizar ou ter realizado uma atividade, está 
ou esteve sujeita à legislação de um ou mais estados Partes;
170 Direitos da Seguridade Social
g) \u201cPeríodo de seguro ou contribuição\u201d, todo período definido como tal pela legislação 
sob a qual o trabalhador esteja acolhido, assim como qualquer período considerado 
pela mesma como equivalente a um período de seguro ou contribuição;
h) \u201cPrestações pecuniárias\u201d, qualquer prestação em espécie, renda, subsídio ou in-
denização previstos pelas legislações e mencionadas no acordo, incluído qualquer 
complemento, suplemento ou revalorização;
i) \u201cPrestações de saúde\u201d, as destinadas a prevenir, conservar, restabelecer a saúde 
ou reabilitar profissionalmente o trabalhador nos termos previstos pelas respectivas 
legislações nacionais;
j) \u201cFamiliares e assemelhados\u201d, pessoas definidas ou admitidas como tais pelas le-
gislações mencionadas no acordo.
2. Os demais termos ou expressões utilizados no Acordo possuem o significado que 
lhes atribui a legislação aplicável.
3. os estados Partes designarão e comunicar-se-ão as entidades Gestoras e orga-
nismos de ligação.
tÍtuLo II
Âmbito de aplicação pessoal
ArtIGo 2
1. os direitos à seguridade social serão reconhecidos aos trabalhadores que prestem 
ou tenham prestado serviços em quaisquer dos estados Partes, sendo-lhes reconhe-
cidos, assim como a seus familiares e assemelhados, os mesmos direitos e estando 
sujeitos às mesmas
Carregar mais