Bartholomeu, R. (2010) ANÁLISE DOS REGISTROS PALINOLÓGICOS COSTEIROS QUATERNÁRIOS NA ÁREA DA LAGOA DE ITAIPU , ESTADO DO RIO DE JANEIRO , BRASIL
186 pág.

Bartholomeu, R. (2010) ANÁLISE DOS REGISTROS PALINOLÓGICOS COSTEIROS QUATERNÁRIOS NA ÁREA DA LAGOA DE ITAIPU , ESTADO DO RIO DE JANEIRO , BRASIL


DisciplinaGeologia10.004 materiais71.938 seguidores
Pré-visualização36 páginas
11- Palinomorfo Indeterminado \u2013 neste grupo foram reunidos os microfósseis não 
identificados em hierarquias taxonômicas inferiores a Divisão, principalmente 
em função da má preservação. 
 
O termo zona palinológica foi usado informalmente para nomear biozonas cujos 
limites foram definidos com base em condições ambientais, fornecidas pelo conjunto 
palinológico. Em conseqüência, os limites destas biozonas são correlacionáveis apenas a 
condições ecológicas e não a intervalos de tempo, não sendo necessariamente isócronas 
(BARROS, 2003). 
 
7.2.8. FOTOMICROGRAFIAS 
As fotomicrografias foram obtidas em câmera digital Canon PowerShot A 640, 
acoplada a um microscópio PrimoStar (Zeiss). Foi utilizado um aumento constante de 
1.000x. Os palinomorfos mais representativos dos níveis e amostras analisadas foram 
ilustrados em pranchas (Anexo I). 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
45 
 
8. RESULTADOS 
 
8.1. DATAÇÕES RADIOMÉTRICAS. 
 
A análise cronológica (Quadro I) foi obtida através de datações por radiocarbono 
(
14
C) de amostras retiradas de cinco diferentes profundidades do testemunho ITA /01. 
As datações foram realizadas no Laboratório Beta Analytic Inc. (Flórida, Estados 
Unidos da América). Foram encontrados os seguintes resultados: 
 
Quadro I: Datações realizadas no Laboratório Beta Analytic Inc. 
 
Código/referência 
do Laboratório 
Idade 
14
C 
 
Profundidade no 
Testemunho ITA /01 
Natureza da 
Amostra 
Beta 212780 7.180 ± 60 anos A.P 030 \u2013 033 cm Lama com matéria 
orgânica vegetal. 
Beta 215781 29.350 ± 590 anos A.P 075 \u2013 078 cm Lama cinza escuro 
 
Beta 215782 31.100 ± 310 anos A.P 110 \u2013 113 cm Lama bioturbada 
 
Beta 215783 
 
31.440 ± 530 anos A.P 130 \u2013 133 cm Turfa 
Beta 215784 38.490 ± 940 anos A.P 
 
160 \u2013 166 cm Lama com matéria 
orgânica vegetal. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
46 
 
8.2. DESCRIÇÃO LITOLÓGICA 
 
 A descrição litológica do testemunho ITA /01 (Figura 14) foi realizada pelo 
professor Cleverson Guizan Silva no LAGEMAR/UFF. 
 
 
 
Figura 14: Testemunho ITA /01 da lagoa de Itaipu. 
 
 
 
 
 
 
47 
 
8.3. PALINOLOGIA 
 
8.3.1. AMOSTRAS DA SUPERFÍCIE DOS SEDIMENTOS DE FUNDO DE UM 
\u201cTRANSECT\u201d DA LAGOA DE ITAIPU (Tabelas 1 a 3; Figuras 15 a 28). 
 
Foram analisadas 6 amostras de um \u201ctransect\u201d efetuado segundo a direção SE-
NW na lagoa de Itaipu. 
Nas amostras de superfície, os palinomorfos encontrados estão bem preservados 
em sua maioria. Os tipos palinológicos e os tipos de vegetação respectivos identificados 
estão discriminados na Tabela 1. 
 
Amostra 1 (localizada a 43º03\u201f75\u201f\u201fW e 22º96\u201f39\u201f\u201fS). 
Foram encontrados nesta amostra 42 tipos polínicos. A vegetação de Campo 
(38,2% - 6.565 grãos de pólen de pólen/cm
3
) foi a predominante constando de 6 tipos 
polínicos: Amaranthus/Chenopodiaceae 0,4%, Asteraceae 2,8%, Poaceae 33%, Borreria 
1,6%, Lindernia 0,2%, Urticaceae 0,2%. 
A vegetação de Mata Pluvial (19,4% - 3334.4 grãos de pólen de pólen/cm
3
) tem 
como representantes: Schinus, Annonaceae, Araceae, Arecaceae, Bauhinia forficata, 
Clethra, Sebastiania, Machaerium, Flacourtiaceae, Lecythidaceae, Rapanea, 
Myrtaceae, Sapotaceae e Chrysophyllum. 
 Nas Pioneiras de Mata (4,2% - 721.9 grãos de pólen/cm
3
), foram encontrados 4 
tipos polínicos: Alchornea, Melastomataceae/Combretaceae, Mimosa e Trema. 
 Na vegetação de Brejo Herbáceo foram identificados (16.0% - 2750.0 grãos de 
pólen/cm
3
) 5 tipos polínicos: Cyperaceae, Desmodium, Scrophulariaceae, Smilax e 
Typha. 
 A vegetação de Ampla Distribuição (6,0% - 1031.2 grãos de pólen/cm
3
) aparece 
nesta amostra com 13 tipos polínicos: Apocynaceae, Bignoniaceae, Euphorbiaceae, 
Sapium, Fabaceae, Malpighiaceae, Mimosaceae, Oxalidaceae, Rubiaceae, Randia, 
Rutaceae, Solanaceae e Turnera. 
O Pólen não Identificado corresponde a 16,2%, Pteridophyta/Bryophyta 36,2%, 
Microforaminífero 1,0% e Palinomorfo não Identificado 7,2%. 
 
Amostra 2, localizada a (43º03\u201987\u2019\u2019W e 22º96\u201922\u2019\u2019S). 
 Dentre as amostras analisadas, esta possui a maior riqueza de tipos polínicos de 
todas as amostras de superfície de fundo, compreendendo 51 tipos polínicos. A 
 
 
 
48 
 
vegetação de Campo (39,9% - 7.700 grãos de pólen/cm
3
) é representada nesta amostra 
por: Gomphrena 0,3%, Asteraceae 3,4%, Poaceae 30,7%, Polygonum 0,1%, Borreria 
5,1% e Spermacoce tenuir 0,1%. 
A vegetação de Mata Pluvial (17,0% - 3.275 grãos de pólen/cm
3
) é representada 
por 15 tipos polínicos: Anacardiaceae, Lithrea, Ilex, Arecaceae, Cassia, Peltogyne, 
Hedyosmum, Sebastiania, Machaerium, Flacourtiaceae, Lecythidaceae, Rapanea, 
Myrtaceae, Sapotaceae e Symplocos nitens. 
Foram encontrados em Pioneiras de Mata (5,1% - 975 grãos de pólen/cm
3
) 9 
tipos polínicos: Cecropia, Alchornea, Melastomataceae/Combretaceae, Mimosa, 
Pithecolobium, Piperaceae, Piper, Celtis e Trema. 
 Na vegetação de Brejo Herbáceo (20.3% - 3925.0 grãos de pólen/cm
3
) foram 
identificados 5 tipos polínicos: Apiaceae, Cyperaceae, Onagraceae, Scrophulariaceae e 
Typha. 
 No grupo ecológico Ampla Distribuição (7.0% - 1350.0 grãos de pólen/cm
3
), 
foram encontrados 15 tipos polínicos: Apocynaceae, Prestonia, Bignoniaceae, 
Caesalpiniaceae, Cassia, Convolvulaceae, Euphorbiaceae, Cleidion, Sapium, Fabaceae, 
Malphighiaceae, Mimosa, Rubiaceae, Solanaceae e Verbenaceae. 
Espécie Exótica (0,1% - 25.0 grãos de pólen/cm
3
) aparece pela primeira e única 
vez nas amostras analisadas, sendo representada pelo tipo polínico Leucaena 
pertencente à família Fabaceae. 
 Pólen não Identificado 10,6%, Pteridophyta/Bryophyta 19,2%, 
Microforaminífero 0,6% e Palinomorfo Indeterminado 1,2% também foram encontrados 
nesta amostra. 
 
Amostra 3, localizada a (43º05\u201923\u2019\u2019W e 22º05\u201978\u2019\u2019S). 
 A vegetação de Campo (39,9% - 4.932 grãos de pólen/cm
3
) continua com 
domínio nessa amostra tendo 5 tipos polínicos identificados: Asteraceae 4,7%, Poaceae 
32,1% e Borreria 2,1%. 
 Foram encontrados nesta amostra 30 tipos polínicos, entre eles 14 tipos polínicos 
de Mata Pluvial (28,5% - 3.616 grãos de pólen/cm
3
): Anacardiaceae, Schinus, Tapirira, 
Philodendron, Arecaceae, Arrabidae, Protium, Cassia, Peltogyne, Hedyosmum, 
Sebastiania, Lecythidaceae, Rapanea e Myrtaceae. 
 No grupo ecológico Pioneiras de Mata (5,7% - 723.4 grãos de pólen/cm
3
) foram 
encontrados 3 tipos polínicos: Alchornea, Melastomataceae/Combretaceae e Piperaceae. 
 
 
 
49 
 
Na vegetação de Brejo Herbáceo (14.5% - 1841.3 grãos de pólen/cm
3
), foram 
encontrados 2 tipos polínicos: Cyperaceae e Typha. 
 Ampla Distribuição (7.3% - 920.7 grãos de pólen/cm
3
) aparece nessa amostra 
com 6 tipos polínicos: Apocynaceae, Caesalpiniaceae, Convolvulaceae, Euphorbiaceae, 
Fabaceae e Rubiaceae. 
Pólen não Identificado 5,2%, Pteridophyta/Bryophyta 16,1%, Algas 1,6%, que 
aparecem pela primeira vez nas amostras e Palinomorfo não Identificado 2,1% também 
são grupos constituintes desta amostra. 
 
Amostra 4, localizada a (43º04\u201907\u2019\u2019W e 22º95\u201986\u2019\u2019S). 
 Nesta amostra, foram identificados 36 tipos polínicos. A vegetação de Campo 
(49,3% - 19.925 grãos de pólen/cm
3
) domina e tem os maiores valores de percentagem e 
concentração de todas as amostras analisadas tendo como tipos representantes nessa 
amostras: Amaranthus/Chenopodiaceae 0,2%, Asteraceae 3,3%, Poaceae 43,3% e 
Borreria 2,6%. 
A vegetação de Mata Pluvial (18,9% -7.628.3 grãos de pólen/cm
3
) aparece com 
15 tipos polínicos: