Tópicos em Invertebrados Unidade I
75 pág.

Tópicos em Invertebrados Unidade I


DisciplinaUnip2.004 materiais5.750 seguidores
Pré-visualização23 páginas
abrigar diversos parasitas de grande 
importância para a saúde pública. Em razão de seu número de casos ou da intensidade da doença, 
30
Re
vi
sã
o:
 Ju
lia
na
 -
 D
ia
gr
am
aç
ão
: J
ef
fe
rs
on
 -
 2
5/
11
/1
4
Unidade I
podemos citar dois exemplos: os gêneros Plasmodium e Toxoplasma são causadores da malária e da 
toxoplasmose, respectivamente.
Quatro espécies de Plasmodium são responsáveis por causar a doença nos humanos: P. falciparum, 
P. vivax, P. malariae e P. ovale. As consequências são variadas, de acordo com a espécie, porém o ciclo de 
vida é praticamente o mesmo. Tais parasitas dependem de mosquitos do gênero Anopheles para alcançar 
o hospedeiro; atuando assim como um vetor, este inseto abriga em sua saliva os oocistos, que, ao serem 
inoculados no sangue humano, migram para as células do fígado, onde iniciam seu processo de divisão 
celular e fissão múltipla. Após esta etapa, tomam também as células vermelhas do sangue (eritrócitos). 
No Brasil, a região amazônica é a mais afetada. Os quadros apresentam sintomas graves, mas que, se 
tratados rapidamente, terão grande chance de cura (SUS, 2014). Os sintomas mais frequentes incluem 
dores de cabeça e febres intensas. Veja a seguir o ciclo de infecção de Plasmodium sp.
Zigoto
Esporozoítos
Esporozoítos
Hepatócito
Merozoítas
Merozoítas
Hemácia
Gameta 
masculino
Gameta 
masculino
Gameta 
Feminino
Gameta 
Feminino
Fecundação
Oocisto
Figura 20 \u2013 Ciclo de Plasmodium sp., gênero causador da malária. A transmissão ao homem acontece por meio do mosquito 
Anopheles, e este se infecta ao picar pessoas portadoras do protista. No corpo do homem, o parasita migra para o fígado através da 
corrente sanguínea. Na célula do fígado, o hepatócito, os esporozoítos se transformam em merozoítos, originando milhares destes. 
Ocorre divisão nas células sanguíneas, e o protista se diferencia em formas gaméticas, sexuadas, as quais infectam o mosquito, e 
dentro deste ocorre a fecundação. Os esporozoítos formados migram para a as glândulas salivares, e, no momento em que as fêmeas 
picarem o homem, sua saliva irá conter essa forma infectante do protista
31
Re
vi
sã
o:
 Ju
lia
na
 -
 D
ia
gr
am
aç
ão
: J
ef
fe
rs
on
 -
 2
5/
11
/1
4
Tópicos em inverTebrados
A toxoplasmose é causada em humanos pela espécie Toxoplasma gondii. Trata\u2011se de um parasito 
intestinal de gatos que pode se desenvolver em diferentes tecidos de outros hospedeiros, como 
humanos, aves e bovídeos (vacas, bois, búfalos, dentre outros). Nestes, ocorrerá a fase de reprodução 
assexuada, que provocará respostas de defesa do hospedeiro, quando serão formados cistos nos tecidos 
que poderão permanecer por muito tempo em latência. A principal forma de contaminação é por meio 
de contato com regiões de mucosa, por exemplo, ferimentos na pele, além da ingestão de alimentos 
contaminados com fezes e urina de gatos domésticos. Mundialmente, cerca de 70% a 100% dos 
adultos estão infectados por esse parasita e em geral não apresentam nenhum sintoma. Os quadros 
de gravidade estão entre portadores de doenças que comprometam o sistema imune e idosos, além de 
gestantes, que, no primeiro trimestre da gravidez, passam a ter chances de contaminação superiores 
que podem ocasionar abortos e má\u2011formação nos fetos, com doenças neurológicas e oftalmológicas, 
principalmente cegueira (FRENCKEL, 2002).
Célula epitelial 
dos brônquios
2 Protozoários
Extremidade 
ciliada
Figura 21 \u2013 Dois indivíduos Toxoplasma gondii próximos da célula que reveste o pulmão e que provocam a toxoplasmose, uma 
infecção crônica que atinge principalmente os pulmões
2.3.3 Filo Euglenozoa
Este filo é normalmente considerado monofilético pela avaliação de suas organelas durante a divisão 
celular. Divide\u2011se em dois subfilos: Euglenida e Kinetoplastea.
2.3.3.1 Subfilo Euglenida
Também chamados popularmente de fitoflagelados, esses protistas apresentam um único flagelo e 
organelas características, cloroplastos com clorofila b.
Euglena, um dos gêneros mais representativos, são algas celulares que habitam rios e lagos e nutrem\u2011se 
principalmente por meio da fotossíntese, representando grande parte da biomassa fotossintetizante 
das águas doces e um número relativamente alto de cloroplastos por indivíduo. São fusiformes, com 
tamanho médio de 60 \u3bcm. As euglenas reproduzem\u2011se por fissão binária e geralmente se encistam 
diante de baixas de umidade ou temperaturas inadequadas (HICKMAN; ROBERTS; LARSON, 2014).
32
Re
vi
sã
o:
 Ju
lia
na
 -
 D
ia
gr
am
aç
ão
: J
ef
fe
rs
on
 -
 2
5/
11
/1
4
Unidade I
Reservatório
Citofaringe
Estigma
Cloroplasto
Flagelo
Núcleo
Vacúolo
contrátil
Moinema
Paramilo
(reserva)
Figura 22 \u2013 Euglena viridis é capaz de fagocitar outro protista, porém a principal forma de geração de energia é a fotossíntese por 
meio dos cloroplastos. Na imagem da esquerda, uma microscopia em que é possível observar o flagelo terminal
2.3.3.2 Subfilo Kinetoplastea
Abriga alguns dos parasitas mais importantes dentre os protistas, a maior parte pertencente ao 
Gênero Trypanosoma. São em geral incolores, os cloroplastos são ausentes e a nutrição é fagotrófica 
ou saprozoica.
Membrana ondulante
Núcleo
Flagelo
Figura 23\u2013 Trypanosoma sp. com sua membrana ondulante, característica diagnóstica para o gênero, 
e o flagelo, um dos fatores que o colocam em seu Filo Euglenozoa
Os indivíduos do gênero Trypanosoma apresentam uma membrana característica chamada de 
membrana ondulante que auxilia na movimentação. Esse gênero é conhecido, pois mais de uma espécie 
é agente etiológico causador de doenças. Trypanosoma brucei utiliza uma mosca do Gênero Glossina 
chamada popularmente de Tsé\u2011tsé para atingir o homem, seu hospedeiro final, e neste causam a doença 
do sono, em razão dos problemas neurológicos causados pela infecção.
33
Re
vi
sã
o:
 Ju
lia
na
 -
 D
ia
gr
am
aç
ão
: J
ef
fe
rs
on
 -
 2
5/
11
/1
4
Tópicos em inverTebrados
Figura 24 \u2013 Trypanosoma brucei, agente causador da doença do sono em 
humanos mediante sua transmissão pelas moscas do Gênero Glossina
Outra espécie desse mesmo gênero é o Trypanosoma cruzi, parasita causador da doença de Chagas 
em humanos na região entre a América Central e a do Sul. O seu hospedeiro intermediário e vetor da 
doença para os humanos é o percevejo chamado popularmente de barbeiro (Família Triatominae), que 
apresenta o hábito de picar a face do hospedeiro quando este dorme, o que teria originado seu nome. 
O parasita mantém\u2011se cronicamente, ocasionando, sobretudo, danos neurológicos e cardíacos com alta 
letalidade com o passar dos anos e severa para crianças menores de cinco anos (HICKMAN; ROBERTS; 
LARSON, 2014).
A) B) 
Figura 25 \u2013 A) Trypanosoma cruzi, agente causador da doença de Chagas e B) seu transmissor, um percevejo da família Triatominae
Em parte dos trópicos, uma doença atinge números elevados e debilita seus portadores. A leishmaniose, 
cutânea e visceral, é causada pelo protista Leishmania spp. podendo causar lesões graves em mucosas 
como nariz e garganta, ulcerações na pele e doenças no fígado e no baço. A transmissão desse protista 
ocorre por meio do mosquito flebotomíneo (Lutzomyia longipalpis) conhecido popularmente como 
mosquito\u2011palha (HICKMAN; ROBERTS; LARSON, 2014).
2.3.4 Filo Viridiplantae
Dentro desse filo existem diferentes espécies, entretanto vamos nos ater aos flagelados, também 
chamados popularmente de fitoflagelados, por realizarem fotossínteses. A maior parte é de vida livre, 
e podem ser coloniais. Chamamos cada célula da colônia de zooide. Embora exista divisão de tarefas, 
é importante se ter clara a ideia de que não formam um único organismo.