codigo civil
375 pág.

codigo civil


DisciplinaDireito Civil I61.117 materiais666.803 seguidores
Pré-visualização50 páginas
\u2013 o civilmente identificado não será 
submetido a identificação criminal, salvo nas 
hipóteses previstas em lei;
LIX \u2013 será admitida ação privada nos crimes 
de ação pública, se esta não for intentada no 
prazo legal;
LX \u2013 a lei só poderá restringir a publicidade 
dos atos processuais quando a defesa da intimi-
dade ou o interesse social o exigirem;
LXI \u2013 ninguém será preso senão em flagrante 
delito ou por ordem escrita e fundamentada 
de autoridade judiciária competente, salvo nos 
casos de transgressão militar ou crime propria-
mente militar, definidos em lei;
LXII \u2013 a prisão de qualquer pessoa e o local 
onde se encontre serão comunicados imediata-
mente ao juiz competente e à família do preso 
ou à pessoa por ele indicada;
LXIII \u2013 o preso será informado de seus di-
reitos, entre os quais o de permanecer calado, 
sendo-lhe assegurada a assistência da família e 
de advogado;
LXIV \u2013 o preso tem direito à identificação 
dos responsáveis por sua prisão ou por seu 
interrogatório policial;
LXV \u2013 a prisão ilegal será imediatamente 
relaxada pela autoridade judiciária;
LXVI \u2013 ninguém será levado à prisão ou 
nela mantido, quando a lei admitir a liberdade 
provisória, com ou sem fiança;
LXVII \u2013 não haverá prisão civil por dívida, 
salvo a do responsável pelo inadimplemento vo-
luntário e inescusável de obrigação alimentícia 
e a do depositário infiel;
LXVIII \u2013 conceder-se-á habeas corpus sem-
pre que alguém sofrer ou se achar ameaçado de 
sofrer violência ou coação em sua liberdade de 
locomoção, por ilegalidade ou abuso de poder;
LXIX \u2013 conceder-se-á mandado de segu-
rança para proteger direito líquido e certo, não 
amparado por habeas corpus ou habeas data, 
quando o responsável pela ilegalidade ou abuso 
de poder for autoridade pública ou agente de 
pessoa jurídica no exercício de atribuições do 
Poder Público;
LXX \u2013 o mandado de segurança coletivo 
pode ser impetrado por:
a) partido político com representação no 
Congresso Nacional;
b) organização sindical, entidade de classe 
ou associação legalmente constituída e em fun-
cionamento há pelo menos um ano, em defesa 
dos interesses de seus membros ou associados;
LXXI \u2013 conceder-se-á mandado de injunção 
sempre que a falta de norma regulamentadora 
torne inviável o exercício dos direitos e liberda-
des constitucionais e das prerrogativas inerentes 
à nacionalidade, à soberania e à cidadania;
LXXII \u2013 conceder-se-á habeas data:
a) para assegurar o conhecimento de in-
formações relativas à pessoa do impetrante, 
constantes de registros ou bancos de dados de 
entidades governamentais ou de caráter público;
b) para a retificação de dados, quando não 
se prefira fazê-lo por processo sigiloso, judicial 
ou administrativo;
LXXIII \u2013 qualquer cidadão é parte legítima 
para propor ação popular que vise a anular ato 
lesivo ao patrimônio público ou de entidade 
de que o Estado participe, à moralidade admi-
nistrativa, ao meio ambiente e ao patrimônio 
histórico e cultural, ficando o autor, salvo 
comprovada má-fé, isento de custas judiciais e 
do ônus da sucumbência;
LXXIV \u2013 o Estado prestará assistência jurí-
dica integral e gratuita aos que comprovarem 
insuficiência de recursos;
LXXV \u2013 o Estado indenizará o condenado 
por erro judiciário, assim como o que ficar preso 
além do tempo fixado na sentença;
LXXVI \u2013 são gratuitos para os reconhecida-
mente pobres, na forma da lei:
a) o registro civil de nascimento;
b) a certidão de óbito;
LXXVII \u2013 são gratuitas as ações de habeas 
corpus e habeas data, e, na forma da lei, os atos 
necessários ao exercício da cidadania;
LXXVIII \u2013 a todos, no âmbito judicial e 
administrativo, são assegurados a razoável 
duração do processo e os meios que garantam 
a celeridade de sua tramitação.
§ 1o As normas definidoras dos direitos e 
garantias fundamentais têm aplicação imediata.
22
C
ód
ig
o 
C
iv
il
§ 2o Os direitos e garantias expressos nesta 
Constituição não excluem outros decorrentes 
do regime e dos princípios por ela adotados, ou 
dos tratados internacionais em que a República 
Federativa do Brasil seja parte.
§ 3o Os tratados e convenções internacionais 
sobre direitos humanos que forem aprovados, 
em cada Casa do Congresso Nacional, em dois 
turnos, por três quintos dos votos dos respec-
tivos membros, serão equivalentes às emendas 
constitucionais.
§ 4o O Brasil se submete à jurisdição de Tri-
bunal Penal Internacional a cuja criação tenha 
manifestado adesão.
CAPÍTULO II \u2013 Dos Direitos Sociais
Art. 6o São direitos sociais a educação, a saúde, 
a alimentação, o trabalho, a moradia, o lazer, 
a segurança, a previdência social, a proteção 
à maternidade e à infância, a assistência aos 
desamparados, na forma desta Constituição.
...................................................................................
CAPÍTULO III \u2013 Da Nacionalidade
Art. 12. São brasileiros:
I \u2013 natos:
a) os nascidos na República Federativa do 
Brasil, ainda que de pais estrangeiros, desde que 
estes não estejam a serviço de seu país;
b) os nascidos no estrangeiro, de pai bra-
sileiro ou mãe brasileira, desde que qualquer 
deles esteja a serviço da República Federativa 
do Brasil;
c) os nascidos no estrangeiro de pai brasileiro 
ou de mãe brasileira, desde que sejam registra-
dos em repartição brasileira competente ou ve-
nham a residir na República Federativa do Brasil 
e optem, em qualquer tempo, depois de atingida 
a maioridade, pela nacionalidade brasileira;
II \u2013 naturalizados:
a) os que, na forma da lei, adquiram a nacio-
nalidade brasileira, exigidas aos originários de 
países de língua portuguesa apenas residência 
por um ano ininterrupto e idoneidade moral;
b) os estrangeiros de qualquer nacionali-
dade, residentes na República Federativa do 
Brasil há mais de quinze anos ininterruptos e 
sem condenação penal, desde que requeiram a 
nacionalidade brasileira.
§ 1o Aos portugueses com residência per-
manente no País, se houver reciprocidade em 
favor de brasileiros, serão atribuídos os direitos 
inerentes ao brasileiro, salvo os casos previstos 
nesta Constituição.
§ 2o A lei não poderá estabelecer distinção 
entre brasileiros natos e naturalizados, salvo 
nos casos previstos nesta Constituição.
§ 3o São privativos de brasileiro nato os 
cargos:
I \u2013 de Presidente e Vice-Presidente da Re-
pública;
II \u2013 de Presidente da Câmara dos Depu-
tados;
III \u2013 de Presidente do Senado Federal;
IV \u2013 de Ministro do Supremo Tribunal 
Federal;
V \u2013 da carreira diplomática;
VI \u2013 de oficial das Forças Armadas;
VII \u2013 de Ministro de Estado da Defesa.
§ 4o Será declarada a perda da nacionalida-
de do brasileiro que:
I \u2013 tiver cancelada sua naturalização, por 
sentença judicial, em virtude de atividade no-
civa ao interesse nacional;
II \u2013 adquirir outra nacionalidade, salvo nos 
casos:
a) de reconhecimento de nacionalidade 
originária pela lei estrangeira;
b) de imposição de naturalização, pela 
norma estrangeira, ao brasileiro residente em 
estado estrangeiro, como condição para per-
manência em seu território ou para o exercício 
de direitos civis.
...............................................................................
TÍTULO III \u2013 Da Organização do Estado
CAPÍTULO I \u2013 Da Organização Político-
administrativa
Art. 18. A organização político-administrati-
va da República Federativa do Brasil compre-
ende a União, os Estados, o Distrito Federal e 
os Municípios, todos autônomos, nos termos 
desta Constituição.
...............................................................................
23
D
is
po
si
tiv
os
 c
on
st
itu
ci
on
ai
s 
pe
rt
in
en
te
s
CAPÍTULO II \u2013 Da União
Art. 20. São bens da União:
I \u2013 os que atualmente lhe pertencem e os que 
lhe vierem a ser atribuídos;
II \u2013 as terras