A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
7 pág.
manual do proprietario de instalaçao eletrica

Pré-visualização | Página 1 de 2

7
manual do proprietário da instalação elétrica
prof[1: Professor.]
alunos. [2: Graduandos do Curso Eng. Civil .][3: ]
Resumo 
O presente artigo visa apresentar o manual do proprietário, baseando-se no uso e manutenção do imóvel das instalações elétricas, assim como suas normas e obrigações atreladas as partes, estabelecendo as responsabilidades do proprietário, a descrição de todos elementos que compõem o sistema elétrico da residência, cuidados de uso, manutenção corretiva e seus principais problemas e ações a serem tomadas, ou seja, estabelecendo garantias ao proprietário e obrigações de manutenção para que todo sistema funcione da melhor forma possível sem acidentes.
Palavras-chave: Manual do proprietário. Projeto elétrico. Instalação elétrica
1 Introdução
Os sistemas prediais elétricos representam parte fundamental de uma edificação, sendo eles regulamentados pela ABNT NBR 5410/2004 (Instalações Elétricas de Baixa Tensão), e auxiliados pelos Regulamentos de Instalações Consumidoras (RICs) das concessionárias de energia, que tentam padronizar e estabelecer condições gerais para o fornecimento de energia elétrica. 
Contudo, os manuais do proprietário de edificações entregues aos usuários, pelas construtoras, trazem poucas informações sobre os procedimentos comuns nas edificações como operação, manutenção e alterações das instalações elétricas feitas posteriormente à entrega do imóvel.
Com base no apresentado, o presente memorial tem como objetivo fornecer as informações básicas relativas ao projeto, à execução, também esclarecer as formas de operação, uso e manutenção, bem como as ampliações em instalações elétricas de baixa tensão, visando garantir a integridade da edificação e a segurança dos usuários, também esclarecer as responsabilidades do proprietário a partir do momento em que é realizada a entrega do imóvel.
2 REVISãO bibliográfica
As instalações elétricas, diferentemente de outras partes de uma edificação que são regulamentadas pela ABNT NBR 15575/2008 (Norma de Desempenho de Edificações), são regulamentadas pela ABNT NBR 5410/2004 (Instalações Elétricas de Baixa Tensão), sendo este um conjunto mais amplo de normas e, por tanto, o desempenho destes sistemas são estabelecidos por norma própria. Além desta norma, devem ser também consultadas as normas especificas das concessionárias que fornecem energia elétrica para a edificação ou empreendimento.
Para a execução do projeto e posterior ligação de energia elétrica, são necessários vários serviços que são regidos pela NR 10 (Segurança em instalações e serviços em eletricidade). E para a elaboração do desenho do projeto elétrico é necessária a NBR 5444/98 (Símbolos gráficos para instalações elétricas prediais) onde estão os símbolos gráficos relativos ao projeto.
Com o objetivo de garantir a segurança do usuário, bem como também proteger a edificação, os sistemas elétricos e demais bens que possam estar na edificação, a NBR 5410/04 exige a execução conforme projeto específico realizado por um profissional qualificado contendo documentação mínima para instalação e uso das instalações. 
São exigidas documentações de plantas dos sistemas, esquemas unifilares, memorial descritivo de instalação, contendo detalhes de montagem e especificações úteis de componentes e parâmetros de projetos, também uma ART com registro no CREA que descreve o objetivo do projeto e indica o responsável técnico.
Segundo a NBR 5410/04 para as instalações que não tenham equipe permanente de operação, supervisão ou manutenção, como é o caso de residências, deve ser feita a elaboração de um manual do proprietário escrito em linguagem de fácil entendimento para leigos que contemple os elementos:
a) Esquema(s) do(s) quadro(s) de distribuição com indicação dos circuitos e respectivas finalidades, incluindo relação dos pontos alimentados, no caso de circuitos terminais;
b) Potências máximas que podem ser ligadas em cada circuito terminal efetivamente disponível;
c) Potências máximas previstas nos circuitos terminais deixados como reserva, quando for o caso;
d) Recomendação explícita para que não sejam trocados, por tipos com características diferentes, os dispositivos de proteção existentes no (s) quadro(s).
3 Conhecimento do Imovel
3.1 Responsabilidade do proprietário
O objetivo deste manual é fornecer as informações básicas sobre a reponsabilidade do proprietário a partir do momento que ele recebe a chave de domicilio.
“É imprescindível que o proprietário repasse as informações contidas neste Manual aos demais usuários do imóvel”. (ENZAFER EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS LTDA.)
A leitura do manual pelos usuários do imóvel é de extrema importância. Em caso de venda do imóvel, o manual deve ser repassado ao novo morador. Para eventuais esclarecimentos a empresa coloca-se a disposição. 
3.2 Descrição do imóvel
	O imóvel possui uma área de 175,63m², é composto por 2 dormitórios, 1 suíte com closet, sala intima, sala estar/jantar, hall, cozinha, lavanderia. Detalhes de situação e localização da residência demostradas em planta no ANEXO A.
4 instalação elétrica
A instalação elétrica, demostrada em planta no Anexo B, é constituída por diversos elementos:
Tomadas de energia para uso geral;
Tomadas de energia uso específico, para ligação de lavadora, secadora de roupas, forno micro-ondas, chuveiro elétrico, torneira elétrica, entre outros;
Pontos de iluminação, para ligação de lâmpadas e luminárias;
Interruptores para acionamento dos pontos de iluminação;
Quadro de distribuição ( QGBT), para controlar as sobrecargas dos circuitos, dividindo as cargas de acordo com sua localização e utilização, compostos de disjuntores termomagnéticos que servem para proteção direta dos circuitos e os DR ( dispositivo diferencial residual que protege contra choque elétrico e fuga de corrente de corrente em eletrodomésticos ou em instalações elétricas em más condições de conservação), segundo a NR -10 (instalações e serviços em eletricida) cada circuito deve conter um disjuntor, os DRs, devem ser instralados em áreas como lavanderias, cozinhas (chaos molhados) e em tomadas que alimentam equipamentos externos à edificação. ;
Circuito é um conjunto de componentes da instalação ( condutores, interruptores, tomadas, pontos de energia e iluminação), alimentados a partir de uma mesma origem ( mesmo disjuntor do QGBT )
Circuitos:
	Conforme a NBR 5410: A instalação eletrica deve ser dividida em tantos circuitos quantos necessários, sem risco de realimentação. A divisão dos circuitos , demostrada no Anexo C,deve atender as exigências de: segurança, conservação de energia, funcionais, produção, manutenção. 
Atendendo as normas foi disposto os seguintes circuitos: 
Circuito 01- 220V - Disjuntor Tripolar 10A – Iluminação e tomadas (TUG) suite closet.
Circuito 02- 220V - Disjuntor Tripolar 10A – Iluminação dormitorios banheiros e sala intima.
Circuito 03- 220V - Disjuntor Tripolar 20A – Tomadas banheiros (TUG).
Circuito 04- 220V - Disjuntor Tripolar + DR 10A – Tomadas dormitorios e sala intima(TUG).
Circuito 05- 220V - Disjuntor Tripolar + DR 20A – Iluminação: hall, sala/jantar, cozinha, lavanderia. Tomadas (TUG): hal e sala estar/ jantar.
Circuito 06- 220V - Disjuntor Tripolar 20A – Tomadas cozinha.
Circuito 07- 220V - Disjuntor Tripolar + DR 10A – Tomadas lavandeira.
Circuito 08- 220V - Disjuntor Tripolar 10A – Climatização suíte.
Circuito 09- 220V - Disjuntor Tripolar 20A – Climatização dormitorios (1 e 2).
Circuito 10- 220V - Disjuntor Tripolar 10A – Climatização sala intima.
Circuito 11- 220V - Disjuntor Tripolar 10A – Climatização sala estar.
Circuito 12- 220V - Disjuntor Tripolar 40A – Chuveiro suíte.
Circuito 13- 220V - Disjuntor Tripolar 40A – Chuveiro banheiro social.
	A carga prevista para instalação dos chuveiros nos banheiros é de 7800 W. Ao adquirir o aparelhor é importante atentar à este dado, pois caso o chuveiro necessite uma carga maior haverá sobrecarga, recomenda-se a compra de chuveiro com resistência