A interpretação dos contos de fada   Marie Louise Von Franz
139 pág.

A interpretação dos contos de fada Marie Louise Von Franz


DisciplinaPsicologia Analítica744 materiais3.316 seguidores
Pré-visualização50 páginas
Coleção AMOR E PSIQUE 
 
 
O feminino 
\u2022 Aborto - perda e renovação, Eva Pattis 
\u2022 A prostituta sagrada, N. Q. Corbett 
\u2022 As deusas e a mulher, J. S. Bolen 
\u2022 A virgem grávida, Marion Woodman 
\u2022 Caminho para a iniciação feminina, S. B. Perera 
\u2022 Destino, amor e êxtase, J. A. Sanford 
\u2022 Os mistérios da mulher, Esther Harding 
\u2022 O medo do feminino, E. Neumann 
\u2022 Variações sobre o tema mulher, J. Bonaventure 
O masculino 
\u2022 A busca fálica, J. Wyly 
\u2022 A tradição secreta da jardinagem, G. Jackson 
\u2022 Castração e fúria masculina, E. Monik 
\u2022 Curando a alma masculina, G. Jackson 
\u2022 Falo, a sagrada imagem do masculino, E. Monik 
\u2022 Hermes e seus filhos, R. L. Pedraza 
\u2022 Os mistérios da sala de estar, G. Jackson 
\u2022 Sob a sombra de Saturno, J. Hollis 
Psicologia e religião 
\u2022 A doença que somos nós, J. P. Dourley 
\u2022 A jornada da alma, J. A. Sanford 
\u2022 Bíblia e Psique, E. F. Edinger 
\u2022 Deus, sonhos e revelação, M. Kelsey 
\u2022 Do inconsciente a Deus, E. van der Winchel 
\u2022 Uma busca interior em Psicologia e religião, J. Hillman 
Sonhos 
\u2022 Aprendendo com os sonhos, M. R. Gallbach 
\u2022 Breve curso sobre os sonhos, R. Bosnak 
\u2022 Sonhos e ritual de cura, C. A. Meier 
\u2022 Sonhos de um paciente com AIDS, R. Bosnak 
\u2022 Os sonhos e a cura da alma, J. A. Sanford 
\u2022 Sonhos e gravidez, M. R. Gallbach 
Envelhecimento 
\u2022 A passagem do meio, J. Hollis 
\u2022 A solidão, A. Storr 
\u2022 A velha sábia, R. Weaver 
\u2022 Despertando na meia-idade, K. A. Brehony 
\u2022 Envelhecer, J. R. Pretat 
\u2022 Meia-idade e vida, A. Bermann 
\u2022 Menopausa, tempo de renascimento, A. Mankowitz 
\u2022 O velho sábio, P. Middelkoop 
Contos de fada e histórias mitológicas 
\u2022 A individuação nos contos de fada, M.-L. von Franz 
\u2022 A interpretação dos contos de fada, M.-L. von Franz 
\u2022 A sombra e o mal nos contos de fada, M.-L. von Franz 
\u2022 Gato, M.-L. von Franz 
\u2022 O que conta o conto?, J. Bonaventure 
\u2022 O significado arquetípico de Gilgamesh, R. S. Kluger 
O puer 
\u2022 O livro do puer, J. Hillman 
\u2022 Puer aeternus, M.-L. von Franz 
Relacionamentos 
\u2022 Amar, trair, A. Carotenuto 
\u2022 Eros e pathos, A. Carotenuto 
\u2022 Incesto e amor humano, R. Stein 
\u2022 Não sou mais a mulher com quem você se casou, A. B. Filenz 
\u2022 No caminho para as núpcias, L. S. Leonard 
\u2022 Os parceiros invisíveis, J. A. Sanford 
Sombra 
\u2022 Mal, o lado sombrio da realidade, J. A. Sanford 
\u2022 Os pantanais da alma, J. Hollis 
\u2022 Psicologia profunda e nova ética, E. Neumann 
Outros 
\u2022 Ansiedade cultural, R. L. Pedraza 
\u2022 Alimento e transformação, G. Jackson 
\u2022 Conhecendo a si mesmo, D. Sharp 
\u2022 Consciência solar, consciência lunar, M. Stein 
\u2022 O caminho da transformação, E. Perrot 
\u2022 Meditações sobre os 22 arcanos maiores do tarô, anônimo 
\u2022 O despertar de seu filho, C. de Truchis 
\u2022 No espelho de Psique, E. Neumann 
\u2022 Psicoterapia, M.-L. von Franz 
\u2022 Psiquiatria junguiana, H. K. Fierz 
\u2022 Rastreando os deuses, J. Hollis 
 
 
 
 
hhttttpp::////ggrroouuppss..ggooooggllee..ccoomm//ggrroouupp//ddiiggiittaallssoouurrccee 
 
 
 
 
MARIE-LOUISE VON FRANZ 
 
A INTERPRETAÇÃO DOS CONTOS DE 
FADA 
 
 
Título original 
L'lnterprétation des "contes de Fée" 
© Marie-Louise von Franz, 1981 
Tradução 
Maria Elci Spaccaquerche Barbosa 
Revisão Ivo Stornioio 
Coleção AMOR E PSIQUE dirigida por 
Dr. Léon Bonaventure - Pe. Ivo Stornioio - Profa. Maria Elci S. Barbosa 
 
Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) (Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil) 
 
 
Franz, Marie-Louise von, 1915- 
A interpretação dos contos de fada / Marie-Louise von Franz ; [tradução Maria Elci Spaccaquerche Barbosa; revisão Ivo 
Stornioio]. \u2014 São Paulo : Paulus, 1990. \u2014 (Coleção amor e psique) 
Bibliografia. 
ISBN 85-349-1464-8 
1. Contos de fada \u2014 História e crítica 2. Psicanálise e folclore I. Título. II. Série. 
90-0587 CDD-398.042 
-150.195 
 
índices para catálogo sistemático: 
1. Contos de fada: História e crítica 398.042 
2. Folclore e psicanálise 150.195 
3. Psicanálise e folclore 150.195 
 
©PAULUS-1990 
Rua Francisco Cruz, 229 04117-091 São Paulo (Brasil) Fax (11) 5579-3627 Tel. (11)5084-3066 www.paulus.com.br editorial @ paulus.com.br 
ISBN 85-349-1464-8 
CONTRA-CAPA 
Marie-Louise Von Franz, uma das mais criativas discípulas de Jung, foi também sua 
colaboradora por mais de vinte e cinco anos, tendo com ele assinado vários trabalhos. Especialista de 
fama mundial em interpretação de contos de fada foi fundadora do Instituto CG. Jung, lá lecionando. 
Analista de longa experiência iniciou seus estudos no campo da filologia. 
A Interpretação dos contos de fada contém as ideias básicas da autora sobre o assunto, 
preparando o leitor para seus livros subsequentes. Trata-se de um exame completo dos estudos já 
realizados nesse campo, retomando as várias teorias sobre a origem, a natureza e a interpretação dos 
contos de fada; apresenta uma análise detalhada de um tema específico e um capítulo especial sobre 
anima, animus e sombra. 
INTRODUÇÃO A COLEÇÃO AMOR E PSIQUE 
Na busca de sua alma e do sentido de sua vida, o homem descobriu novos caminhos que o 
levam para sua interioridade: o seu próprio espaço interior torna-se lugar novo de experiência. Os 
viajantes destes caminhos nos revelam que somente o amor é capaz de gerar a alma, mas também o 
amor precisa da alma. Assim, em lugar de buscar causas, explicações psicopatológicas às nossas feridas 
e aos nossos sofrimentos, precisamos, em primeiro lugar, amar a nossa alma, assim como ela é. Deste 
modo é que poderemos reconhecer que estas feridas e estes sofrimentos nasceram da falta de amor. 
Por outro lado, revelam-nos que a alma se orienta para um centro pessoal e transpessoal, para a nossa 
unidade e a realização de nossa totalidade. Assim a nossa própria vida carrega em si um sentido, o de 
restaurar a nossa unidade primeira. 
Finalmente, não é o espiritual que aparece primeiro, mas o psíquico, e depois o espiritual. É a 
partir do olhar do imo espiritual interior que a alma toma seu sentido, o que significa que a psicologia 
pode de novo estender a mão para a teologia. 
Esta perspectiva psicológica nova é fruto do esforço para libertar a alma da dominação da 
psicopatologia, do espírito analítico e do psicologismo, para que volte a si mesma, à sua própria 
originalidade. Ela nasceu de reflexões durante a prática psicoterápica, e está começando a renovar o 
modelo e a finalidade da psicoterapia. É uma nova visão do homem na sua existência cotidiana, do seu 
tempo, e dentro de seu contexto cultural, abrindo dimensões diferentes de nossa existência para 
podermos reencontrar a nossa alma. Ela poderá alimentar todos aqueles que são sensíveis à necessidade 
de inserir mais alma em todas as atividades humanas. 
A finalidade da presente coleção é precisamente restituir a alma a si mesma e "ver aparecer uma 
geração de sacerdotes capazes de entenderem novamente a linguagem da alma", como C.G. Jung o 
desejava. 
Léon Bonauenture 
 
PRIMEIRA PARTE 
 
UMA INTRODUÇÃO À PSICOLOGIA DOS CONTOS DE FADA 
 
1 
Teorias dos contos de fada 
Contos de fada são a expressão mais pura e mais simples dos processos psíquicos do 
inconsciente coletivo. Consequentemente, o valor deles para a investigação científica do inconsciente é 
sobejamente superior a qualquer outro material. Eles representam os arquétipos na sua forma mais 
simples, plena e concisa. Nesta forma pura, as imagens arquetípicas fornecem-nos as melhores pistas 
para compreensão dos processos que se passam na psique coletiva. Nos mitos, lendas ou qualquer 
outro material mitológico mais elaborado, atingimos as estruturas básicas da psique humana através de 
uma exposição do material cultural. Mas nos contos de fada existe um material cultural consciente 
muito menos específico e, consequentemente, eles espelham mais claramente as estruturas básicas da