A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
47 pág.
Aula 03

Pré-visualização | Página 2 de 13

entre pontos fortes e 
ameaças, a organização se decida pela manutenção. 
Gabarito: letra C 
 
5. (ESAF/ CGU/ ÁREA ADMINSITRATIVA/ 2012) Considerado uma importante 
ferramenta de gestão estratégica, o Balanced Scorecard busca a maximização 
dos resultados com base nas seguintes perspectivas, exceto: 
a) Concorrência e tecnologia. 
b) Financeira. 
c) Clientes. 
d) Processos internos. 
e) Aprendizado e crescimento. 
 
Aula 3 
ADMINISTRAÇÃO GERAL EM EXERCÍCIOS 
AUDITOR FISCAL DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL 
PROFa. LILIAN LIMA QUINTÃO 
 
Prof
a
. Lilian Lima Quintão www.pontodosconcursos.com.br 5 de 47 
Comentários: 
 
Gabarito: letra A 
 
 
 
QUESTÕES ESAF 
 
6. (ESAF/ CGU/ ÁREA ADMINSITRATIVA/ 2012) De acordo com o Guia Referencial 
para Medição do Desempenho da Gestão, de lavra da Secretaria de Gestão do 
Ministério do Planejamento, indicadores de desempenho devem ser 
especificados por meio de métricas estatísticas, comumente formadas por 
porcentagem, média, número bruto, proporção e índice. Isso posto, a grandeza 
qualitativa ou quantitativa que permite classificar as características, resultados 
e consequências dos produtos, processos ou sistemas refere-se ao seguinte 
componente básico de um indicador: 
a) Medida. 
b) Fórmula. 
c) Índice. 
d) Padrão de comparação. 
e) Meta. 
 
Comentários: 
A seguir, transcrevo alguns trechos importantes retirados do Guia Referencial para 
Medição do Desempenho da Gestão disponibilizado pelo Ministério do 
Planejamento. É importante uma leitura desse guia! Segue o link de acesso: 
 
http://www.gespublica.gov.br/ferramentas/pasta.2010-05-
24.1806203210/guia_indicadores_jun2010.pdf 
 
Aula 3 
ADMINISTRAÇÃO GERAL EM EXERCÍCIOS 
AUDITOR FISCAL DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL 
PROFa. LILIAN LIMA QUINTÃO 
 
Prof
a
. Lilian Lima Quintão www.pontodosconcursos.com.br 6 de 47 
INDICADORES DE DESEMPENHO 
 
Os indicadores são instrumentos de gestão essenciais nas atividades de 
monitoramento e avaliação das organizações, assim como seus projetos, 
programas e políticas, pois permitem acompanhar o alcance das metas, identificar 
avanços, melhorias de qualidade, correção de problemas, necessidades de 
mudança etc. 
Assim sendo, pode-se dizer que os indicadores possuem, minimamente, 
duas funções básicas: a primeira é descrever por meio da geração de informações 
o estado real dos acontecimentos e o seu comportamento; a segunda é de caráter 
valorativo que consiste em analisar as informações presentes com base nas 
anteriores de forma a realizar proposições valorativas. 
De forma geral, os indicadores não são simplesmente números, ou seja, são 
atribuições de valor a objetivos, acontecimentos ou situações, de acordo com 
regras, que possam ser aplicados critérios de avaliação, como, por exemplo, 
eficácia, efetividade e eficiência. 
 
Uma combinação dos elementos da cadeia de valor com as dimensões do 
desempenho permite identificar seis categorias básicas de indicadores de 
desempenho: 
• Efetividade são os impactos gerados pelos produtos/serviços, processos ou 
projetos. A efetividade está vinculada ao grau de satisfação ou ainda ao valor 
agregado, a transformação produzida no contexto em geral. Esta classe de 
indicadores, mais difícil de ser mensurada (dada a natureza dos dados e o 
caráter temporal), está relacionada com a missão da instituição. Por exemplo, 
se uma campanha de vacinação realmente imunizar e diminuiu a incidência de 
determinada doença entre as crianças, a campanha foi efetiva. Indicadores de 
efetividade podem ser encontrados na dimensão estratégica do Plano Plurianual 
(PPA); 
• Eficácia é a quantidade e qualidade de produtos e serviços entregues ao 
usuário (beneficiário direto dos produtos e serviços da organização). Por 
exemplo, se, na mesma campanha citada, a meta de vacinação é imunizar 
100.000 crianças e este número foi alcançado ou superado, a campanha foi 
eficaz. Indicadores de eficácia podem ser definidos a partir da Carta de 
Serviços do órgão; 
• Eficiência é a relação entre os produtos/serviços gerados (outputs) com os 
insumos utilizados, relacionando o que foi entregue e o que foi consumido de 
recursos, usualmente sob a forma de custos ou produtividade. Por exemplo: 
uma campanha de vacinação é mais eficiente quanto menor for o custo, ou 
seja, quanto menor for o custo da campanha, mantendo-se os objetivos 
propostos. 
• Execução refere-se à realização dos processos, projetos e planos de ação 
conforme estabelecidos. 
 
Aula 3 
ADMINISTRAÇÃO GERAL EM EXERCÍCIOS 
AUDITOR FISCAL DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL 
PROFa. LILIAN LIMA QUINTÃO 
 
Prof
a
. Lilian Lima Quintão www.pontodosconcursos.com.br 7 de 47 
• Excelência é a conformidade a critérios e padrões de qualidade/excelência 
para a realização dos processos, atividades e projetos na busca da melhor 
execução e economicidade; sendo um elemento transversal. 
• Economicidade está alinhada ao conceito de obtenção e uso de recursos com 
o menor ônus possível, dentro dos requisitos e da quantidade exigidas pelo 
input, gerindo adequadamente os recursos financeiros e físicos. Indicadores de 
economicidade podem ser encontrados nas unidades de suprimentos. 
 
Dessa forma, os indicadores servem para: 
 
• mensurar os resultados e gerir o desempenho; 
• embasar a análise crítica dos resultados obtidos e do processo de tomada 
decisão; 
• contribuir para a melhoria contínua dos processos organizacionais; 
• facilitar o planejamento e o controle do desempenho; e 
• viabilizar a análise comparativa do desempenho da organização e do 
desempenho de diversas organizações atuantes em áreas ou ambientes 
semelhantes. 
 
Os indicadores devem ser especificados por meio de métricas estatísticas, 
comumente formados por porcentagem, média, número bruto, proporção e índice. 
 
Os componentes básicos de um indicador são: 
 
• MEDIDA: grandeza qualitativa ou quantitativa que permite classificar as 
características, resultados e consequências dos produtos, processos ou sistemas; 
• Fórmula: padrão matemático que expressa à forma de realização do 
cálculo; 
• Índice (número): valor de um indicador em determinado momento; 
 
• Padrão de comparação: índice arbitrário e aceitável para uma avaliação 
comparativa de padrão de cumprimento; 
• Meta: índice (número) orientado por um indicador em relação a um padrão 
de comparação a ser alcançado durante certo período. 
 
Na identificação e seleção de um indicador é importante considerar um 
conjunto de critérios básicos, para garantir a sua posterior operacionalização. 
 
 
Aula 3 
ADMINISTRAÇÃO GERAL EM EXERCÍCIOS 
AUDITOR FISCAL DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL 
PROFa. LILIAN LIMA QUINTÃO 
 
Prof
a
. Lilian Lima Quintão www.pontodosconcursos.com.br 8 de 47 
Os critérios centrais para um indicador são: 
 
• Seletividade ou importância: fornece informações sobre as principais 
variáveis estratégicas e prioridades definidas de ações, produtos ou impactos 
esperados; 
• Simplicidade, clareza, inteligibilidade e comunicabilidade: os 
indicadores devem ser simples e compreensíveis, capazes de levar a mensagem e 
o significado. Os nomes e expressões devem ser facilmente compreendidos e 
conhecidos por todos os públicos interessados; 
• Representatividade, confiabilidade e sensibilidade: capacidade de 
demonstrar a mais importante e crítica etapa de um processo, projeto etc. Os 
dados devem ser precisos, capazes de responder aos objetivos e coletados na 
fonte de dados correta e devem refletir tempestivamente os efeitos decorrentes 
das intervenções; 
• Investigativos: os dados devem ser fáceis de analisar, sejam estes para 
registro

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.