A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
47 pág.
Aula 03

Pré-visualização | Página 9 de 13

de tomada de decisão, porque 
(A) categoriza o processo decisório primário e de apoio da organização 
relacionando-os a máquinas, mão de obra, materiais e métodos de trabalho. 
(B) identifica, organiza e apresenta de modo estruturado o fluxo das 
informações de toda organização necessárias às decisões do gestor. 
(C) define as atividades coordenadas que envolvem pessoas, procedimentos, 
recursos e tecnologia. 
(D) identifica, organiza e apresenta de modo estruturado a causa do problema 
e seu efeito, relacionando-os a máquinas, mão de obra, materiais e métodos 
de trabalho. 
(E) relaciona causa e efeito com o ciclo PDCA permitindo a gestão do processo 
decisório da organização. 
 
Comentários: 
Diagrama de Ishikawa é uma ferramenta gráfica utilizada pela Administração para 
o gerenciamento e o Controle da Qualidade em diversos processos, e também é 
conhecido como Diagrama de Causa e Efeito ou Diagrama Espinha de peixe. 
Na sua estrutura, os problemas são classificados em seis tipos diferentes: 
• Método, 
• Matéria prima, 
• Mão de obra, 
• Máquinas, 
• Medição 
• Meio ambiente. 
 
Esse sistema permite estruturar hierarquicamente as causas potenciais de um 
determinado problema ou também uma oportunidade de melhoria, assim como 
seus efeitos sobre a qualidade dos produtos. 
O Diagrama de Ishikawa é uma das ferramentas mais eficazes e mais utilizadas 
nas ações de melhoria e controle de qualidade nas organizações, permitindo 
agrupar e visualizar as várias causas que estão na origem qualquer problema ou 
de um resultado que se pretende melhorar. 
Aula 3 
ADMINISTRAÇÃO GERAL EM EXERCÍCIOS 
AUDITOR FISCAL DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL 
PROFa. LILIAN LIMA QUINTÃO 
 
Prof
a
. Lilian Lima Quintão www.pontodosconcursos.com.br 30 de 47 
O erro da questão foi dizer que é uma ferramenta restrita à identificação dos 
problemas existentes nos processos porque também é aplicado na análise de 
oportunidades de melhoria. 
 
 
Gabarito: letra D 
 
42. (FGV/ BADESC/ ANALISTA ADMINISTRATIVO/ 2010) Com relação ao 
processo de tomada de decisão organizacional, analise as afirmativas a seguir. 
I. O processo decisório é linear. 
II. O processo decisório depende das características individuais do tomador de 
decisão. 
III. O processo decisório depende do contexto específico de cada situação. 
Assinale: 
a) se somente a afirmativa I estiver correta. 
b) se somente a afirmativa II estiver correta. 
c) se somente a afirmativa III estiver correta. 
d) se somente as afirmativas II e III estiverem corretas. 
e) se todas as afirmativas estiverem corretas. 
 
Comentários: 
A alternativa I está errada porque nem sempre um processo de tomada de decisão 
é linear. Toda decisão possui características como a percepção do tomador, os 
aspectos do ambiente e do contexto que envolve o tomador de decisão, alguns 
deles fora do seu controle e que afeta sua escolha. 
Gabarito: letra D 
 
43. (FGV/ CODESP/ ADMINISTRADOR/ 2010) A tomada de decisão é uma 
atividade constante na vida de todas as pessoas, mas, mais recentemente, na 
Aula 3 
ADMINISTRAÇÃO GERAL EM EXERCÍCIOS 
AUDITOR FISCAL DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL 
PROFa. LILIAN LIMA QUINTÃO 
 
Prof
a
. Lilian Lima Quintão www.pontodosconcursos.com.br 31 de 47 
vida dos gestores. O processo decisório “envolve a identificação de um 
problema específico e a escolha de uma ação para resolvê-lo”. 
As decisões, visando à eficiência e eficácia organizacional precisam ser 
tomadas de forma ágil e correta, com base em informações confiáveis e 
relevantes para a situação sob análise. 
 
Simon estabeleceu uma classificação para as decisões. Com base nessa 
classificação, relacione o tipo de decisão com as respectivas características. 
 
 
Comentários: 
Para resolver essa questão elaborada pela FGV, é necessário conhecer a teoria de 
Simon sobre o processo decisório. 
 
Segundo Maximiano, Herbert Simon, nos anos 60, fez uma contribuição de 
grande importância para o trabalho dos gerentes. De acordo com Simon, 
administrar é sinônimo de tomar decisões. Essencialmente, toda ação gerencial 
tem natureza decisória. 
O processo de tomar decisões é composto por três fases: 
• Intelecção ou prospecção: análise de um problema ou situação que requer 
solução. 
• Concepção: criação de alternativas de solução para o problema ou situação. 
• Decisão: julgamento e escolha de uma alternativa. 
 
Aula 3 
ADMINISTRAÇÃO GERAL EM EXERCÍCIOS 
AUDITOR FISCAL DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL 
PROFa. LILIAN LIMA QUINTÃO 
 
Prof
a
. Lilian Lima Quintão www.pontodosconcursos.com.br 32 de 47 
Cada fase é um processo decisório em si, assim como a implementação das 
decisões. 
Idealmente, as decisões gerenciais, de acordo com Simon, têm sua base na 
teoria econômica tradicional, que pressupõe a maximização dos ganhos por meio 
da racionalidade. Ou seja, os gerentes (e as pessoas, de forma geral) procuram 
agir segundo o modelo do homem econômico, que consegue lidar com toda a 
complexidade do mundo e reduzi-la a variáveis controladas. O homem econômico 
seleciona o melhor curso de ação, dentre todas as possibilidades, de modo a 
aproveitar todas as vantagens. O modelo simplifica pensamento e ação, já que a 
racionalidade tem limites e não é possível aprender toda a complexidade do 
mundo. Simon compartilha com seu colega March a criação do conceito de 
racionalidade limitada, que exprime essa incapacidade. 
Em lugar do homem econômico, Simon propõe o modelo do homem 
administrativo, que procura tomar as decisões satisfatórias em lugar das decisões 
maximizadas. As decisões satisfatórias são aquelas que atendem aos requisitos 
mínimos desejados. Os tomadores de decisão contentam-se com simplificações da 
realidade, nas quais há os elementos mínimos que as limitações humanas 
conseguem manejar. Os administradores guiam-se pela regra de que qualquer 
decisão serve, desde que pareça resolver o problema. 
 
Simon distingue dois tipos de decisões: 
• Programadas – são repetitivas e tomadas automaticamente. Hábito, rotinas, 
manuais de instruções e operações padronizadas são formas de tomar decisões 
programadas. 
• Não programadas – não dispõem de soluções automáticas. Lançar novos 
produtos, reduzir o quadro de funcionários e mudar a sede da empresa são 
exemplos de decisões não programadas. 
 
Para lidar com decisões não programadas, Simon indica que os gerentes 
devem desenvolver sua capacidade de julgamento, intuição e criatividade. Estas 
habilidades permitem lidar com a complexidade de modo mais eficiente do que a 
tendência à simplificação excessiva que caracteriza as decisões satisfatórias. 
 
Portanto, segundo a análise do trecho, a alternativa correta é a letra E, pois Simon 
define dois tipos de decisões: 
Programada – repetitivas, rotineiras e estruturadas. 
Não programadas – desestruturada, novidade e não automatizada. 
Gabarito: letra E. 
 
44. (FGV/ SEFAZ – RJ / AUDITOR/ 2009) Em um processo decisório, uma 
oportunidade diz respeito à(s) seguinte(s) fase(s): 
(A) identificação da situação. 
Aula 3 
ADMINISTRAÇÃO GERAL EM EXERCÍCIOS 
AUDITOR FISCAL DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL 
PROFa. LILIAN LIMA QUINTÃO 
 
Prof
a
. Lilian Lima Quintão www.pontodosconcursos.com.br 33 de 47 
(B) diagnóstico da situação. 
(C) desenvolvimento de oportunidades. 
(D) avaliação de alternativas. 
(E) seleção e implementação. 
 
Comentários: 
É a primeira fase do processo decisório. 
Podemos enumerar as seguintes fases desse processo decisório: 
8. Identificação de sintomas e sinais que indicam existência de problemas a 
ser resolvido ou oportunidade a ser aproveitada.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.