PSICOLOGIA E PSIQUIATRIA - Da Ansiedade À Depressão - Dra. Shirley de Campos
3 pág.

PSICOLOGIA E PSIQUIATRIA - Da Ansiedade À Depressão - Dra. Shirley de Campos

Disciplina:Psicologia, Psiquiatria e Neurociência28 materiais861 seguidores
Pré-visualização2 páginas
Psiquiatria e Psicologia - Da ansiedade à depressão http://www.drashirleydecampos.com.br/noticias.php?noticiaid=2121&...

1 de 3 25-09-2007 21:13

Esta página já teve 12.213.533 acessos - desde 16 maio de 2003. Média de 7.662 acessos diários home | entre em contato

AIDS/HIV

Alcoolismo/Álcool

Alergia

Alergia alimentar/Intolerância

alimentar

Antienvelhecimento/Longevidade

Banco de Teses/Estudos Avançados

Beleza

Bioética

Biologia

Biologia molecular

Câncer/Oncologia/Tumor

Cardiologia/Coração

Cidadania/Serviços

Ciências/Tecnologia/Biotecnologia

Cirurgia Plástica

Cirurgia/Anestesia

Clínica médica/Intensiva/UTI

Curiosidades da Dra Shirley

Dermatologia/Pele

Diabete/Diabetes

Diagnóstico e laboratório

Dicas da Dra. Shirley

Dietas/Emagrecimento

Dor

Drogas/Vício

Endocrinologia/Glândulas

Enxaqueca/Cefaléia/Dor de cabeça

Farmácia, bioquímica,fisiologia

Fertilização in vitro/Reprodução

Assistida

Frases/Pensamentos/Poemas

Gastroenterologia/Proctologia/Fígado

Gastronomia

Genética/Clonagem/Terapia gênica

Geriatria/Idoso

Psiquiatria e Psicologia

Da ansiedade à depressão

17/06/2003

Todos nós vivemos uma vida agitada, principalmente quem vive nos grandes

centros urbanos. A agitação da vida moderna tem aumentado o número de

pessoas ansiosas com estresse e depressão. Chega-se ao cúmulo de ser

caracterizada como a doença do momento. Quem, morando numa cidade

grande ou não, já não ficou horas num congestionamento grande, que sofre

de pressões no serviço, acúmulo de tarefas, escola, assalto, situação

econômica, relacionamentos, etc.? Essas situações fazem parte “normal da

vida”.

Todos nós ocasionalmente já passamos por alguma sensação de ansiedade,

preocupação, medo, insegurança e estresse. Entretanto quando essas

sensações tornam-se constantes e começam a interferir nas funções corporais

nos impedindo de sermos felizes, aí começa a nossa preocupação.

O que leva pessoas ansiosas a depressão?

O acúmulo de tarefas e atividades, leva muitas pessoas a sacrificar suas horas

de descanso e lazer como se descansar não fosse algo muito importante e

porque tem muitas coisas a fazer. Esse acúmulo de atividades e

responsabilidades (incluindo as crianças e adolescentes) durante longos

períodos levam as pessoas a ansiedade, é como se não fossem dar conta de

tudo ou o tempo é muito curto para tantas tarefas. Para algumas pessoas o

dia deveria ter 48 horas, ou seja, para mais acúmulo de tarefas e menos

tempo para o descanso.

A falta de descanso leva a dificuldade da recuperação das forças vitais, na

renovação corporal e na digestão do que foi vivido durante o dia. As

conseqüências aparecem no corpo (dores musculares, brancos, sono...), nas

emoções (irritabilidade, raiva, frustração...) e na qualidade de vida. O

aumento de tensões leva a uma diminuição da força físico-afetiva, e a

capacidade para reagir satisfatoriamente a mudanças. Por exemplo, uma

pessoa pode perceber que não está correspondendo satisfatoriamente a uma

situação que normalmente ela resolveria sem maior esforço, tem dificuldade

para se adaptar a uma mudança simples no trabalho ou na escola, fica a

ponto de se derreter em lágrimas sem ao menos saber por quê. E a coisa vai

por aí, até a pessoa se sentir deprimida, com vontade de deitar e implorar

para que a terra a engula de uma vez.

A depressão reativa é um quadro de desordem de ansiedade e esgotamento

por pressão demais (DE-PRESSÃO). Uma reação de esgotamento às pressões

da vida. Costuma aparecer depois de períodos de dificuldades, as mais

variadas possíveis, como um sinalizador saudável – PARE! DESCANSE!

RELAXE! Este tipo de depressão costuma ocorrer em pessoas ativas que se

sobrecarregam. Pode aparecer em qualquer período da vida. Crianças e

Psiquiatria e Psicologia - Da ansiedade à depressão http://www.drashirleydecampos.com.br/noticias.php?noticiaid=2121&...

2 de 3 25-09-2007 21:13

Ginecologia/Mulher

Gravidez/Parto/Obstetrícia

Hematologia/Sangue

Hipertensão/Pressão Alta

Homeopatia

Imunologia/Imunidade

Infecto-contagiosas/Epidemias

Laser

Links da Dra. Shirley

Medicina

Alternativa/Fitoterapia/Acupuntura

Medicina Esportiva/Atividade Física

Meio Ambiente/Ecologia

Metais Pesados / Transição

Minerais

Mineralograma

Neurologia/Neurociências

Notícias da Dra. Shirley

Nutrologia/Alimentos/Nutrição

Obesidade:Adulto/Infantil/Bariátrica

Odontologia Preventiva

Oftalmologia/Olhos

Ortomolecular/Biomolecular

Ortopedia/Ossos/Coluna

Otorrinolaringologia/ORL/Fono

Pediatria/Criança

Pneumologia/Pulmão

Primeiros socorros/Emergência

Problemas Ocupacionais

Psiquiatria e Psicologia

Qualidade de vida- QV

Radiação Ambiental

Radicais livres/Estresse oxidativo

Receitas com soja/Receitas sem

Glúten

Receitas de Natal e Ano Novo/light e

diet

Receitas Diet/Light/Diabetes

Receitas Doces

Receitas Kasher

Receitas Salgadas

Reumatologia/Doenças Auto-Imune

Rim/Rins/Nefrologia

Soja

Sono

Stress/estresse

adolescentes também sofrem de depressão reativa devido a sobrecarga de
atividades, exigências, etc. Os sintomas da depressão em crianças e
adolescentes são freqüentemente similares aos observados em adultos,
podendo ser incluídos comportamentos de raiva, agressividade, baixo
desempenho escolar, e etc.

Quadro da Ansiedade
* Falta de Descanso (querendo ficar mais um pouco na cama)
* Irritabilidade
* Brancos na Memória
* Dores Musculares
* Apetite Modificado
* Alterações do Sono

Se você se encaixa em pelo menos três dos sintomas acima (ou mais) é
provável que você esteja sofrendo de Transtorno de Ansiedade.
A ansiedade afeta crianças, jovens e adultos. É grande o número de crianças e
adolescentes que sofrem de ansiedade devido as pressões da família, da
escola e do grupo social. É comum observamos jovens que procuram as
drogas (bebidas, cigarro, maconha, etc.) como forma de aliviarem a sua
ansiedade.

A psicodinâmica das pessoas ansiosas em geral é:
* Esforço além da conta
* Exigir-se demais para ser o primeiro lugar em tudo
* Ser o bonzinho, não sabe dizer NÃO
* Necessidade de ser aceito, faz exatamente o que os outros esperam que ela
faça
* Muitos pensamentos, pouca ação
* Preocupação excessiva com o futuro
* “Não vou dar conta”

Existe um paradoxo do ansioso que é:
* quanto mais se exige, mais fica difícil de alcançar
* quanto maior é a exigência, maior é o sentimento de incompetência
* quanto maior é o desgaste, maior é a imobilização

As conseqüências disso tudo leva a:
* Frustração
* Impotência
* Raiva
* Tristeza
* Depressão

Sinais de Depressão
* Humor deprimido
* Perda de energia
* Perda de interesse sexual
* Desesperança no futuro
* Perda de interesse em atividades anteriormente prazerosas
* Irritabilidade
* Grande preocupação com problemas de saúde
* Tristeza e choro
* Insônia dificuldade em concentrar-se
* Perda de apetite e de peso (ou, menos comumente, sono mais prolongado e
ganho de peso corporal)
* Abuso de substâncias prejudiciais

Se você se encaixa em quatro dos sintomas acima é provável que você esteja
com Depressão.

Fatores Bioquímicos
Sabemos que a ansiedade é provocada por muitos estímulos de pressão
(pensamento de ansiedade, medo, exigências, etc.). Nosso cérebro é
composto de muitas células (neurônios). Esses neurônios se comunicam entre
si através de sinapses. Serotonina e Adrenalina são neurotransmissores que
conduzem a uma resposta no próximo neurônio. No caso da ansiedade há
uma alteração na bioquímica, um distúrbio de esgotamento da serotonina na
fenda pós sináptica. Sabemos que com o aumento da carga de serotonina há
um aumento da atividade cerebral. Em resposta ao estímulo de pressão
(pensamento de ansiedade) as pessoas ansiosas desencadeiam liberação de
adrenalina e noradrenalina