A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
17 pág.
politicas publicas   educacao

Pré-visualização | Página 1 de 5

POLÍTICAS PÚBLICAS
Tema: Políticas Públicas - Educação
CENTRO UNIVERSITÁRIO
LEONARDO DA VINCI
Rodovia BR 470, Km 71, nº 1.040, Bairro Benedito
89130-000 - INDAIAL/SC
www.uniasselvi.com.br
Curso sobre Políticas Públicas
Centro Universitário Leonardo da Vinci
Autora
Ana Clarisse Alencar Barbosa
Organização
Elisabeth Penzlien Tafner
Meike Marly Schubert
Sonia Adriana Weege
Tatiana Milani Odorizzi
Reitor da UNIASSELVI
Prof. Hermínio Kloch
Pró-Reitoria de Ensino de Graduação a Distância
Prof.ª Francieli Stano Torres
Pró-Reitor Operacional de Ensino de Graduação a Distância
Prof. Hermínio Kloch
Diagramação e Capa
Letícia Vitorino Jorge
Revisão
Joice Carneiro Werlang 
José Roberto Rodrigues
1
Políticas Públicas - Educação
Políticas Públicas
Copyright © UNIASSELVI 2015. Todos os direitos reservados.
POLÍTICAS PÚBLICAS: EDUCAÇÃO
1 INTRODUÇÃO
Quando falamos em políticas públicas, estamos nos referindo aos direitos e deveres 
do Estado para com as pessoas que compõem a sociedade e, assim como o Estado, gozam 
de seus direitos civis e políticos. Estamos também sujeitos ao conjunto de normas jurídicas 
e sociais, formando assim um marco regulatório previamente fixado no que diz respeito à 
distribuição harmônica dos elementos que formam os direitos, deveres e responsabilidades 
em prol do desenvolvimento educacional, econômico e social. A vida em sociedade está ligada 
à política e não há ação social sem ação política, quer seja promovida pelo Estado ou pela 
sociedade (RAMOS; BREZINSKI, 2014).
2 POLÍTICA PÚBLICA ATUAL
O termo política possui várias definições, as quais denotam a organização e o estudo 
das ações a serem realizadas para o bem-estar da população. Percebemos que a política é 
algo complexo, mas que se bem administrado ou exercido poderá ter efeitos positivos junto à 
população. 
As primeiras reflexões sobre o que é política surgiram na Grécia antiga, com os 
filósofos, a quem eram atribuídos os dons do pensamento, das ideias e, consequentemente, 
do conhecimento. 
Pode-se citar Sócrates e dois de seus principais sucessores, Platão e Aristó-
teles, como sendo os primeiros a tratarem das questões da ética e da política. 
A Grécia era considerada o berço da democracia, ainda que nem todos os 
seus iluminados viam no modelo democrático a melhor maneira de conduzir 
o povo. Ao aproximar-se das leituras sobre a vida e obra desses pensadores, 
percebe-se, por conclusão, que para eles a solução para os problemas da 
EmENTA
A política pública de educação no Estado brasileiro.
sociedade deve passar, necessariamente, pela educação. Passados mais 
de dois mil anos, continua-se lutando pelos mesmos direitos à igualdade e 
combatendo-se os mesmos problemas relacionados à ética e à moral, sem as 
quais não se exercita a verdadeira política. (RAMOS; BREZINSKI, 2014, p. 9)
Portanto, “o cotidiano (político) é construído por aqueles que interagem nesse contexto. 
Fazer política é interagir nos acontecimentos e participar criticamente da sua história” (RAMOS; 
BREZINSKI, 2014, p. 9).
2
Políticas Públicas - Educação 
Políticas Públicas
Copyright © UNIASSELVI 2015. Todos os direitos reservados.
A política sempre está ligada ao exercício do poder em sociedade, seja em 
nível individual, quando se trata das ações de comando, seja em nível coletivo, 
quando um grupo (ou toda sociedade) exerce o controle das relações de poder 
em uma sociedade (SANTOS, 2012, p. 2).
Assim, as políticas públicas são de responsabilidade do Estado, com base em 
organismos políticos e entidades da sociedade civil, que derivam de normatizações, ou seja, 
se estabelece um processo de tomada de decisões, nossa legislação. Ao iniciarmos nossos 
estudos sobre a organização da educação no Brasil, precisamos ter em mente que a educação 
é intencional, principalmente no que diz respeito ao sistema escolar. Os atores que permitem 
discussões sobre um determinado problema da sociedade são: a sociedade civil organizada; 
os servidores públicos e os políticos.
As etapas ou fases do processo da política distinguem-se de acordo com o entendimento 
de cada autor, mas comumente podem se classificar como: 
• Identificação do problema: é a primeira etapa e consiste na identificação, ou le-
vantamento do problema a ser considerado como foco da política pública.
• Agenda: é a etapa em que se definem os focos de atuação do governo. É o con-
junto de problemas e demandas que comporão o plano de ação. A formação da 
Agenda de Governo consiste numa fase tumultuada e competitiva, com os envol-
vidos dedicados na conquista de espaço para os interesses que defendem. 
• Tomada de decisão: adoção da política, em consenso (de comum acordo), as 
partes decidem sobre os diversos aspectos, ou focos, que a política abrangerá. 
• Implementação: é a etapa em que as decisões deixam de ser intenções e pas-
sam a ser intervenções na realidade. 
• Monitoramento, Avaliação, Ajustes: são etapas de acompanhamento do processo 
de formulação/elaboração da política, oferecendo informações para possíveis 
ajustes na direção dos resultados esperados. (RAMOS; BREZINSKI, 2014, p. 14-
15).
Com base nesses argumentos, a educação no contexto brasileiro está prevista, é regida 
(legislada) por normas jurídicas que compelem os cidadãos e o poder público a cumpri-las. De 
acordo com Motta (1997, p. 75), a educação é a:
[...] manifestação cultural que, de maneira sistemática e intencional, forma e 
desenvolve o ser humano. [...] A educação é a ação exercida pelas gerações 
adultas sobre as gerações que não se encontram ainda preparadas para a 
vida social; tem por objetivo suscitar e desenvolver na criança certo número 
de estados físicos, intelectuais e morais reclamados pela sociedade política no 
seu conjunto e pelo meio especial que a criança, particularmente, se destina.
 Estes princípios e fins aparecem no texto da Constituição Federal de 1988 e posteriormente 
são reafirmados na Lei de Diretrizes e Bases - LDB, Lei 9.394, de 20 de dezembro de 1996, 
direcionando a educação brasileira, e que em seu Art. 2˚ trata “Dos Princípios e Fins da Educação 
Nacional” (BRASIL, 1996).
3
Políticas Públicas - Educação
Políticas Públicas
Copyright © UNIASSELVI 2015. Todos os direitos reservados.
Desta forma, a LDB 9.394/96 regulamentou o que foi tratado sobre educação na 
Constituição Federal abordando a educação escolar. O Título V trata dos Níveis e das Modalidades 
de Educação e Ensino; em seu Capítulo I, demonstra a composição dos níveis escolares, formada 
pela Educação Básica; Educação de Jovens e Adultos; Educação Profissional; Educação Superior 
e Educação Especial.
Educação Básica é formada de três etapas: Educação Infantil, Ensino Funda-
mental e Ensino Médio. Conforme a LDB, são finalidades da Educação Básica 
‘[...] desenvolver o educando, assegurar-lhe a formação comum indispensável 
para o exercício da cidadania e fornecer-lhe meios para progredir no trabalho e 
em estudos posteriores’ (art. 22). 
As modalidades importam em atendimentos afeitos a peculiaridades que podem 
dizer respeito a uma população específica ou a objetivos de formação mais espe-
cializada ou complementar. No primeiro caso, encontramos a educação de jovens 
e adultos e a educação especial. No segundo caso, a educação profissional.
A educação de jovens e adultos (EJA) enseja a escolarização daqueles que não 
tiveram acesso ou continuidade de estudos no Ensino Fundamental ou Médio. 
Contempla cursos de EJA e exames supletivos. Os cursos e os exames são 
acessíveis para estudantes maiores de 15 anos (Ensino Fundamental) e de 18 
anos (Ensino Médio).
A educação especial destina-se aos educandos portadores de necessidades 
especiais e deve estar contemplada em todas as etapas da educação. A le-
gislação estabelece a sua oferta preferencial na rede regular de

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.