A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
203 pág.
Guia de Bolso de Procedimentos de Enfermagem

Pré-visualização | Página 14 de 29

administrar: 
� Não injectar mais de 0,1 ml de medicação por via 
parentérica; 
� Não injectar mais de 1 ml de medicação por via 
subcutânea; 
� Não injectar mais de 5 ml de medicação por via 
intramuscular; 
• Garantir a assepsia com a lavagem das mãos, manutenção da 
esterilidade do material, desinfecção do local (com movimentos 
circulares do centro para a periferia); 
• Preparação e selecção do material adequado e necessário 
para a administração de medicação; 
• Ter em consideração a viscosidade da medicação a 
administrar; 
• Aspirar a medicação após abertura da ampola; 
• Nunca guardar ampolas abertas. 
• Iniciar SEMPRE o procedimento com: 1. identificação do 
doente, para evitar erros; 2. explicar o procedimento ao doente, 
diminuindo a ansiedade; 3.lavagem higiénica das mãos, 
evitando a infecção. 
 
NOTAS: 
______________________________________________________ 
______________________________________________________ 
______________________________________________________ 
______________________________________________________ 
______________________________________________________ 
______________________________________________________ 
______________________________________________________ 
 
97 
 
 
 
ADMINISTRAÇÃO DE TERAPÊUTICA, VIA PARENTÉRICA, VIA 
INTRADÉRMICA 
 
FINALIDADE 
• Administrar terapêutica 
• Realizar testes de sensibilização 
 
INFORMAÇÕES GERAIS 
• Via utilizada, essencialmente, para diagnóstico; 
• Avaliar os locais disponíveis; 
• LOCAIS UTILIZADOS: região anterior do antebraço, 
omoplatas, região lateral/posterior do braço ou supramamária;; 
• Evitar: áreas irritadas, muito pigmentadas e onde a roupa 
possa irritar a pele. 
 
MATERIAL 
• Tabuleiro; 
• Cuvete; 
• Contentor de cortantes e perfurantes; 
• Algodão; 
• Álcool; 
• Cápsula; 
• Seringa de 1ml calibrada em unidades de 0,01ml; 
• Agulhas 25G. 
 
 
 
INTERVENÇÕES DE ENFERMAGEM 
 
98 
Intervenções Justificação 
Preparação: 
→ Consultar a folha de terapêutica 
para verificar qual o 
medicamento a administrar 
→ Colocar um “V” na folha de 
terapêutica relativo ao 
medicamento que vai preparar 
→ Proceder à lavagem higiénica 
das mãos; 
→ Proteger a ampola com algodão 
e parta a extremidade ou 
proceda como um 
hermeticamente fechado; 
→ Acoplar a agulha à seringa 
respeitando norma asséptica; 
→ Aspirar o conteúdo da ampola; 
→ Retirar o ar da seringa; 
→ Substituir a agulha; 
→ Confirmar novamente, o utente, 
o medicamento, a dose, a via e 
o horário; 
→ Colocar no tabuleiro; 
→ Fazer rótulo com: nome do 
doente, n.º da cama, nome do 
medicamento. 
 
→ Evitar erros; 
 
 
 
 
 
→ Prevenir infecção cruzada; 
 
→ Prevenir lesões; 
 
 
 
→ Prevenir lesões e manter a 
assepsia; 
→ Obter dose correcta; 
→ Evitar complicações; 
→ Prevenir a infecção; 
→ Evitar erros; 
 
 
→ Evitar acidentes; 
→ Evitar erros; 
 
 
 
Administração: 
→ Proceder à lavagem higiénica 
das mãos; 
 
 
→ Prevenir infecção cruzada; 
 
 
99 
→ Proceder à identificação do 
doente, questionando o seu 
nome e/ou verificando a 
pulseira de identificação; 
→ Proprocionar privacidade ao 
doente; 
→ Apreciar estado geral do 
doente; 
→ Seleccionar o local de 
administração 
→ Limpar local de eleição com 
algodão alcoolizado de cima 
para baixo ou em movimento 
circular de dentro para fora; 
→ Deixar secar a pele; 
 
→ Esticar e fixar a pele; 
→ Introduzir a agulha lentamente 
com o bisel virado para cima, 
fazendo um ângulo de 10 a 15º; 
o bisel deve ficar visível através 
da pele; 
→ Administrar lentamente o 
medicamento (formando um 
botão); 
→ Retirar a agulha sem pressão; 
se necessário marcar o bordo 
do botão dérmico com uma 
caneta; 
→ Colocar a agulha no contentor; 
→ Arrumar o material; 
→ Evitar erros; 
 
 
 
→ Promover conforto; 
 
→ Facilitar a eleição do local 
de administração; 
→ Evitar erros; promover boa 
absorção; 
→ Evitar infecção; 
 
 
 
→ Promover actuação do 
álcool; 
→ Facilitar a execução; 
→ Facilitar a execução; evitar 
lesões; 
 
 
 
→ Permitir leitura 
posteriormente; 
 
→ Obter eficácia; 
 
 
 
→ Evitar acidentes; 
→ Evitar a contaminação do 
 
100 
 
→ Proceder à lavagem higiénica 
das mãos. 
→ Efectuar os registos 
ambiente 
→ Evitar infecções cruzadas. 
 
→ Assegurar continuidade de 
cuidados e dar visibilidade 
da intervenção desenvolvida 
 
REGISTOS 
• Rubrique com letra legível na folha de terapêutica; 
• Registe em notas de enfermagem: 
� reacção do doente; 
� a eficácia à resposta terapêutica; 
� sinais e sintomas adversos do medicamento e 
comunicar; 
� a educação para a saúde em relação á terapêutica 
instituída e outros aspectos essenciais á intervenção; 
� Local exacto da administração da medicação, para 
permitir a rotatividade dos locais. 
• Procedimento com data, hora, medicamento, via e local - caso 
de administração em SOS. 
 
NOTAS: 
______________________________________________________ 
______________________________________________________ 
______________________________________________________ 
______________________________________________________ 
______________________________________________________ 
______________________________________________________ 
______________________________________________________ 
 
 
101 
ADMINISTRAÇÃO DE TERAPÊUTICA, VIA PARENTÉRICA, VIA 
SUBCUTÂNEA 
 
FINALIDADES 
• Administrar terapêutica. 
 
INFORMAÇÕES GERAIS 
• Importante a rotatividade dos locais para evitar: Lipodistrofia e 
formação excessiva de tecido cicatricial; 
• Em casos de auto-administração: educação para a saúde 
adequada ao doente; 
• Injectar a medicação de forma segura: 
� Comprimir e elevar o tecido subcutâneo, a partir do 
músculo; 
� Inserir a agulha com ângulo entre os 90 a 45º; 
� Libertar a pele pinçada; 
� Puxar o êmbolo para aspirar; em caso de sangue 
retirar a agulha e inserir novamente; 
� Administrar a medicação lentamente 
� Retirar a agulha respeitando o trajecto de inserção; 
� Exercer ligeira pressão com a compressa 
• LOCAIS UTILIZADOS: terço médio externo da coxa, abdómen 
(zona periumbilical superior a 3cm), tórax anterior ou face 
externa do terço médio do braço; 
 
MATERIAL 
• Tabuleiro; 
• Cuvete; 
• Contentor de cortantes e perfurantes; 
• Algodão; 
• Álcool; 
 
102 
• Cápsula; 
• Seringa; 
• Agulhas 25G. 
 
INTERVENÇÕES DE ENFERMAGEM 
Intervenções Justificação 
Preparação: 
→ Consultar a folha de 
terapêutica para verificar qual 
o medicamento a administrar 
→ Colocar um “V” na folha de 
terapêutica relativo ao 
medicamento que vai preparar 
→ Confirmar o rótulo do 
medicamento com o cartão ou 
folha de terapêutica; 
→ Proceder à lavagem higiénica 
das mãos; 
→ Proteger a ampola com 
algodão e parta a extremidade 
ou proceda como um 
hermeticamente fechado; 
→ Acoplar a agulha à seringa 
respeitando norma asséptica; 
→ Aspirar o conteúdo da 
ampola; 
→ Retirar o ar da seringa; 
→ Substituir a agulha; 
→ Confirmar novamente o 
medicamento, a dose, a via e 
 
→ Evitar erros; 
 
 
 
 
 
 
 
 
→ Prevenir infecção cruzada; 
 
→ Prevenir lesões; 
 
 
 
→ Prevenir lesões; 
 
→ Obter dose correcta; 
 
→ Evitar complicações; 
→ Prevenir a infecção; 
→ Evitar erros; 
 
 
103 
o horário; 
→ Colocar no tabuleiro; 
 
→ Evitar acidentes; 
→ Fazer rótulo com: nome do 
doente, n.º da cama, nome do 
medicamento. 
 
Administração: 
→ Proceder à lavagem higiénica 
das mãos; 
→ Proceder à identificação do 
doente, questionando o seu 
nome e/ou verificando a 
pulseira de identificação; 
→ Proprocionar privacidade

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.