A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
203 pág.
Guia de Bolso de Procedimentos de Enfermagem

Pré-visualização | Página 18 de 29

em seu 
redor. Os microrganismos 
da pele podem infectar a 
ferida. A pele intacta em 
redor das feridas infectadas 
normalmente serve de 
barreira; 
→ Aplicar a pomada no penso 
se for difícil de aplicar na 
ferida; 
→ Prevenir a infecção e 
facilitar a cicatrização. 
Mover o penso depois de 
colocado arrasta os 
contaminantes da pele para 
a ferida; 
 
→ O adesivo anti-alérgico 
reduz o risco de solução de 
continuidade da pele. Para 
pensos que necessitam de 
mudança frequente, usar 
ligaduras; 
→ Proporcionar conforto; 
→ Prevenir a contaminação do 
ambiente; 
 
126 
equipamento; 
→ Proceder à lavagem higiénica 
das mãos; 
→ Proceder aos respectivos 
registos 
 
 
→ Prevenir infecção cruzada; 
 
→ Assegurar continuidade de 
cuidados e dar visibilidade 
da intervenção 
desenvolvida; 
 
 
REGISTOS 
Estes devem conter os seguintes elementos: 
• Procedimento (data e hora); 
• Reacção do doente; 
• Tipo e características da ferida; 
• Líquidos drenados e suas características; 
• Avaliação / evolução da cicatrização; 
• Actualização do plano de cuidados. 
 
NOTAS: 
______________________________________________________ 
______________________________________________________ 
______________________________________________________ 
______________________________________________________ 
______________________________________________________ 
______________________________________________________ 
______________________________________________________ 
______________________________________________________ 
 
 
 
 
127 
LIGADURAS 
 
FINALIDADES 
É a aplicação manual de processos técnicos, com finalidade de carácter 
preventivo ou terapêutico. 
 
OBJECTIVOS 
• Obter a contenção de um penso 
• A suspensão de um membro ou de órgão 
• A imobilização de um doente 
• A compressão de vasos 
• Impedir a saída de órgão ou vísceras das suas cavidades 
 
INFORMAÇÕES GERAIS 
As ligaduras classificam-se consoante a sua forma, região que atingem, 
direcção e finalidade. 
 
Segundo a forma 
Simples Constituídas por tiras de pano mais ou menos longas e 
de larguras diversas, conforme as regiões a que se 
destinam 
Compostas Previamente elaboradas em formas diversas: em +, T, 
duplo T, triângulo, fundas ou suspensórios 
Inteiras Em forma de lenço que se dividem em quadrados, 
rectângulos, triângulos, gravatas, cordas e faixas 
enfestadas 
Mecânicas Dividem-se em ligadura elásticas (meias, joelheiras e 
cintas) e fundas herniárias. 
 
 
Segundo a região que atingem 
 
128 
Monossegmentares - Quando aplicadas num só segmento do corpo 
(exemplo: antebraço, dedo, braço). 
Bissegmentares - Atingem dois segmentos do corpo (exemplo: 
anca e coxa). 
Trissegmentares - Quando atingem três segmentos do corpo 
(exemplo: perna, pé e coxa). 
Polissegmentares - Quando atingem vários segmentos do corpo 
(exemplo: luva de mão). 
 
Segundo a direcção 
Circulares -Voltas sobrepostas 
Diagonais ou Oblíquas: 
Espirais 
Cruzado ou Oito 
 
 
Recorrentes 
 -Voltas oblíquas ascendentes e 
descendentes 
 -Voltas oblíquas que sobem e descem 
alternadamente, cruzando a anterior e à 
frente 
 -Voltas para trás e para a frente, seguras 
com circulares 
 
Segundo a finalidade 
Contenção -Seguram um penso ou suspendem um órgão ou 
membro 
Compressão -Quando é a própria ligadura o penso compressivo 
Imobilização -Quando aplicada para imobilizar um região 
 
Nas regiões em forma de cone a progressão do rolo exige a execução de 
cruzados, espirais ou inversões. 
Cada volta da ligadura cobre uma parte da volta anterior — 1/3, 1/2, 2/3, 
— conforme as exigências da região ou a finalidade da ligadura. 
 
129 
As ligaduras são tanto mais compressivas quanto maior for o número de 
voltas e a compressão deve ser feita sempre de forma homogénea. 
A passagem de um segmento para outro faz-se por meio de cruzados ou 
de leques. 
Se for necessário acrescentar a ligadura, sobrepõe-se totalmente a 
última volta da ligadura, que tinha terminado. 
Nos membros o rolo caminha da periferia para o centro, no tórax da parte 
inferior para a superior e no abdómen da região epigástrica para a bacia, 
ou seja, no sentido da circulação de retorno. 
Quando se liga um membro, os dedos devem ficar fora para despiste de 
complicações. 
As ligaduras retiram-se habitualmente no sentido oposto àquele em que 
foram enrolados. 
À medida que se vai retirando a ligadura passa-se esta de mão em mão 
formando ondas conforme se vai levantando. Nas pequenas ligaduras ou 
nas de imobilização em que seja penoso fazer movimentos 
intempestivos, é preferível cortar a ligadura em toda a sua extensão. 
Duas superfícies cutâneas devem ser ligadas separadamente uma vez 
que a humidade pode provocar deterioração dos tecidos; para isso 
devem-se utilizar porções de gaze ou algodão entre elas. 
 
Complicações das Ligaduras 
A correcta aplicação das ligaduras e o prévio almofadamento da região, 
previne possíveis complicações, tais como: edema e deficiente irrigação 
sanguínea da área. 
 
Precauções 
Inspeccionar com frequência as áreas distais às ligaduras (com a 
avaliação neurovascular de um membro). As ligaduras podem ficar 
muito apertadas (por causa do edema), devendo ser aliviadas ou 
removidas e substituídas de modo a evitar a morte dos tecidos ou 
 
130 
gangrena. As ligaduras apertadas demais são desconfortáveis, perigosas 
e podem causar dano permanente. 
 
Exame Neurovascular 
Os exames neurovasculares são avaliações breves que comparam um 
membro afectado com o seu oposto, identificando: 
� Diferenças de cor (especialmente palidez ou cianose); 
� Presença e grau de edema; 
� Diferenças de temperatura (a pele fria revela diminuição da 
circulação; a pele quente significa inflamação); 
� Rapidez de preenchimento capilar (deve ser inferior a 2 
segundos); 
� Frequência e características dos pulsos periféricos; 
� Capacidade de mover o membro executando a rotação da mão 
ou do pé, no punho ou tornozelo respectivamente e afastando 
os dedos das mãos e dos pés; 
� Queixas de formigueiro, dor, latejar ou quaisquer outras 
sensações pouco habituais. 
 
 
Avaliação da função de determinados Nervos 
Função Sensorial – utilizar 
um dispositivo pontiagudo, 
para testar a sensação nos 
seguintes locais 
Função Motora – pedir 
ao doente para mover 
activamente o segmento 
do corpo inervado pelos 
seguintes nervos 
 
Nervo Peronial 
No dorso do pé, testar a área 
entre o primeiro e o segundo 
dedo. 
Nervo Peronial 
Pedir ao doente para 
fazer a iflexão do 
tornozelo e 
 
131 
 
 
 
Nervo Tíbial 
Testar na direcção das 
superfícies interna e externa 
da planta do pé. 
 
 
Nervo Radial 
Testar a prega entre o 
polegar e o indicador. 
 
 
Nervo Cubital 
Testar a almofada distal do 
dedo mínimo. 
 
 
 
Nervo Mediano 
Testar a superfície distal dos 
dedos indicador e médio. 
hiperextensão dos 
dedos. 
 
Nervo Tíbial 
Pedir ao doente para 
fazer a extensão do 
tornozelo e a flexão dos 
dedos do pé. 
 
Nervo Radial 
Pedir ao doente para 
fazer a hiperextensão do 
polegar ou punho. 
 
Nervo Cubital 
Pedir ao doente para 
fazer primeiro a abdução 
e depois a adução de 
todos os dedos. 
 
Nervo Mediano 
Pedir ao doente que 
oponha o polegar e o 
dedo mínimo, flectindo o 
punho. 
 
INTERVENÇÕES DE ENFERMAGEM 
 (Princípios gerais na técnica da aplicação de uma ligadura) 
Intervenções Justificação 
→ Identificar o doente; 
→ Verificar plano de cuidados 
→ Evitar erros; 
→ Promover a 
 
132 
 
 
→ A escolha da ligadura, em 
comprimento, largura e 
material (elásticas tipo 
Velpeau ou Tarlatana) 
depende da região a ligar e do 
objectivo. 
→ Proceder

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.