A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
8 pág.
Sangue e Hemoderivados -  Exercícios

Pré-visualização | Página 1 de 3

DEFINA HEMOCOMPONENTES E DÊ 4 EXEMPLOS.
São produtos obtidos a partir do Sangue Total por meio de Processos Físicos (centrifugação, congelamento). Obtidos através de 2 centrifugações seriadas do sangue total. A primeira consiste em centrifugação denominada de leve para obtenção do concentrado de hemácias e do plasma rico em plaquetas o qual é submetido por uma segunda centrifugação chamada de pesada resultando no plasma fresco congelado e concentrado de plaquetas. O crioprecipitado é obtido do descongelamento lento do plasma fresco congelado com posterior centrifugação obtendo-se assim um precipitado. O fracionamento de uma bolsa de sangue proporciona a obtenção de pelo menos 4 componentes diferentes: concentrado de hemácias, plasma fresco congelado, concentrado de plaquetas e crioprecipitado.
DEFINA HEMODERIVADOS E DÊ 4 EXEMPLOS.
São produtos obtidos a partir do plasma por meio de processos físico-químicos, produzidos em escala industrial. Albumina, gamaglobulinas, concentrados de fatores de coagulação, imunoglobulinas. 
PARA QUE SERVE UMA BOLSA DE SANGUE TOTAL?
Para transfusão e doação de sangue. 
QUAIS AS PRINCIPAIS PORTARIAS QUE DEFINEM O USO DO SANGUE DOADO NO BRASIL?
Portaria MS/GM n° 1.353 de 14 de junho de 2011; RDC Anvisa n° 57, de 16 de dezembro de 2010; Portaria 2712 de 12 de novembro de 2013; Portaria 158 de 4 de fevereiro de 2016
QUAIS OS PRINCÍPIOS E DIRETRIZES DA POLÍTICA NACIONAL DO SANGUE NO BRASIL?
I - universalização do atendimento à população; II - utilização exclusiva da doação voluntária, não remunerada, do sangue, cabendo ao poder público estimulá-la como ato relevante de solidariedade humana e compromisso social; III - proibição de remuneração ao doador pela doação de sangue; IV - proibição da comercialização de coleta, processamento, estocagem, distribuição e transfusão do sangue, componentes e hemoderivados; V - permissão de remuneração dos custos dos insumos, reagentes, materiais descartáveis e da mão-de-obra especializada, inclusive honorários médicos, na forma deste Decreto e das normas técnicas do Ministério da Saúde; VI - proteção da saúde do doador e do receptor mediante informação ao candidato a doador sobre os procedimentos a que será submetido, os cuidados que deverá adotar, as possíveis reações adversas decorrentes da doação, bem como qualquer anomalia importante identificada quando dos testes laboratoriais, garantindo o sigilo dos resultados; VII - obrigatoriedade de responsabilidade, supervisão e assistência médica na triagem de doadores, para avaliação do estado de saúde do doador, na coleta de sangue e durante o ato transfusional, assim como nos atos pré e pós-transfusional imediatos; VIII - direito a informação sobre a origem e procedência do sangue, dos componentes e hemoderivados, bem como sobre o serviço de hemoterapia responsável pela origem destes; IX - participação de entidades civis brasileiras no processo de fiscalização, vigilância e controle das ações desenvolvidas no âmbito dos Sistemas Nacional e Estaduais de Sangue, Componentes e Hemoderivados; X - fiscalização obrigatória, a fim de certificar que todos os materiais ou substâncias que entrem em contato com o sangue coletado com finalidade transfusional, bem como seus componentes e derivados, sejam estéreis, apirogênicos e descartáveis; XI - segurança na estocagem e transporte do sangue, componentes e hemoderivados, na forma das normas técnicas editadas pelo SINASAN; e XII - obrigatoriedade de testagem individualizada de cada amostra ou unidade de sangue coletado, sendo vedada a testagem de amostras ou unidades de sangue em conjunto, a menos que novos avanços tecnológicos a justifiquem, ficando a sua execução subordinada a portaria específica do Ministério da Saúde, proposta pelo SINASAN. 
COMO DEVE SER REALIZADA A DOAÇÃO DE SANGUE NO BRASIL, SEGUNDO A LEGISLAÇÃO?
Deve ser altruísta, voluntária e não gratificada direta ou indiretamente, assim o anonimato do doador deve ser garantido. 
CITE AS ESTRATÉGIAS DE CAPTAÇÃO DE DOADORES DE SANGUE.
Projeto doador do futuro; Projeto coleta externa; Projeto de captação de doadores em serviços de saúde; Projeto de incentivo à doação feminina; Projeto formação de multiplicadores; Envio de correspondências; Programa de comunicação e divulgação. 
COMO DEVE SER A SELEÇÃO DOS DOADORES DE SANGUE NO BRASIL E QUAIS AS SUAS ETAPAS?
A seleção de doadores de sangue apresenta etapas que tentam, na medida do possível, determinar se o indivíduo está em boas condições de saúde, livre de doenças que possam ser transmitidas pelo sangue doado e se ele é capaz de tolerar o procedimento. As etapas são: Cadastro, fornecimento de material educacional e triagem clínica. 
O QUE DEVE CONSTAR NO CADASTRO DOS DOADORES E QUAIS AS INFORMAÇÕES DEVEM CONSTAR?
O serviço poderá utilizar e armazenar fotografias digitais, registros biométricos, entre outros mecanismos, a fim de garantir uma identificação segura que permita a ligação dos doadores de repetição aos registros de doações anteriores, cada vez que eles retornarem ao serviço. Nome completo, filiação, data de nascimento, sexo, estado civil, naturalidade, nacionalidade, profissão e trabalho atual; endereço residencial e comercial completos. Para ser registrado, o candidato à doação precisa: 1- apresentar um documento de identidade com fotografia, emitido por órgão oficial (carteira de identidade, carteira profissional, certificado de reservista, carteira de habilitação ou passaporte). Não servem carteira de estudante, de clube ou similares, mesmo que tenham fotografia; 2- ter endereço fixo.
COMO DEVE SER A TRIAGEM CLÍNICA DO DOADOR DE SANGUE E QUAIS OS CRITÉRIOS REFERENTES A IDADE?
A triagem clínica consiste na avaliação da história clínica e epidemiológica, do estado atual de saúde, dos hábitos e comportamentos do candidato à doação para determinar se ele está em condições de doar sangue sem que haja prejuízo à sua saúde e a do receptor. – Verificação da idade, peso e sinais vitais (pulso, pressão arterial e temperatura axilar); determinação do hematócrito (Ht) ou dosagem da hemoglobina (Hb) Valores mínimos aceitáveis de Hb=12,5g/dl ou Ht=38%, para mulheres e Hb=13,0g/dl ou Ht=39%, para homens; observação do aspecto geral do candidato; e entrevista individual e sigilosa. Referente a idade tem que ter entre 18 anos completos e 67 anos, 11 meses e 29 dias. De 16 e 17 anos com o consentimento formal de seu responsável legal. 
QUAIS OS REQUISITOS PARA SER UM DOADOR DE SANGUE?
Peso corporal superior a 50kg, aparência saudável, e com temperatura abaixo de 37ºC. Portar documento de identidade com fotografia Pele do local da punção deve estar íntegra, sem lesões e sem sinais sugestivos de múltiplas punções venosas ou presença de veias esclerosadas ou cicatrizes por risco de contaminação de bactérias. Além de passar por uma triagem (registro do doador, pré-triagem e triagem clínica) para verificar se está em condições de doar.
COMO DEVE SER CLASSIFICADO O DOADOR INAPTO?
Inapto definitivo é o candidato que nunca poderá doar sangue para outra pessoa; inapto temporário, o candidato que se encontra impedido de doar sangue para outra pessoa por determinado período de tempo; e inapto por tempo indeterminado, aquele que se encontra impedido de doar sangue para outra pessoa por um período indefinido de tempo, segundo as normas regulatórias vigentes.
QUAL A PERIODICIDADE DAS DIVERSAS DOAÇÕES DE SANGUE NO BRASIL?
Plaquetaférese: Intervalo: 48 horas. Máximo de vezes: 4/mês e 24/ano. 
Plaquetaférese e ST: 4 semanas até a próxima plaquetaférese. 
1 CH: Homens: 2 meses; Mulheres: 3 meses. Máximo de vezes: H: não exceder 4/ano e M: não exceder 3/ano. 
1 CH e 1CP: H: 2 meses/ M: 3 meses. Máximo de vezes: H: não exceder 4/ano; M: não exceder 3/ano. 
Plasmaférese: 48 horas, 60 dias após 4a doação. 4 em 2 meses. 
QUAIS AS DOENÇAS DE INVESTIGAÇÃO OBRIGATÓRIA E QUAIS OS TESTES RECOMENDADOS PELA PORTARIA 158?
Hepatites B e C; Infecção por

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.