PLANO DE NEGÓCIO:   LOJA DE SAPATOS E ACESSÓRIOS COM A REUTILIZAÇÃO DE MATERIAIS DE MODA
3 pág.

PLANO DE NEGÓCIO: LOJA DE SAPATOS E ACESSÓRIOS COM A REUTILIZAÇÃO DE MATERIAIS DE MODA


DisciplinaMacroeconomia I5.120 materiais102.985 seguidores
Pré-visualização3 páginas
Insper Instituto de Ensino e Pesquisa

Certificate in Business Administration - CBA

PLANO DE NEGÓCIO:

 LOJA DE SAPATOS E ACESSÓRIOS COM A REUTILIZAÇÃO DE MATERIAIS DE MODA

São Paulo
2017

Plano de Negócio:
LOJA DE SAPATOS E ACESSÓRIOS COM A REUTILIZAÇÃO DE MATERIAIS DE MODA

						

São Paulo
2017
RESUMO

O trabalho tem por objetivo apresentar um estudo de viabilidade para a criação de uma loja de sapatos e acessórios, a partir, da reutilização de materiais de moda que seriam descartados, como por exemplo, tecidos, aviamentos e ferragens. Sustentabilidade é um tema muito em pauta nos dias atuais, portanto, a reutilização de materiais que seriam descartados em diferentes atividades e setores está bastante em alta no mercado, contribuindo para que os produtos produzidos, além da qualidade e design, tenham um apelo sustentável, contribuindo para a preservação do meio ambiente.

Palavras-Chave: Calçados; reutilização; matéria-prima; sustentabilidade.

	

INTRODUÇÃO

O presente projeto é um estudo de viabilidade de uma loja de calçados, bolsas e acessórios responsável por desenvolver produtos, a partir, da reutilização de materiais, como retalhos, sobras de tecidos, sobras de aviamentos, entre outros, em conjunto com novas matérias-primas, que possuam características sustentáveis, criando um produto conhecido como verde.
Nos dias atuais, sustentabilidade é um assunto muito em pauta, não só quanto falamos da emissão de poluentes, como gases, ou então poluição da água, mas também em atitudes que podem ser consideradas do nosso cotidiano, como por exemplo, reutilização de casca de vegetais, bagaço de frutas, entre outras. Essas atitudes de reutilização contribuem bastante para o meio ambiente como um todo. O príncipio da sustentabilidade pode ter início desde um empreendimento sozinho, passando por uma comunidade, chegando até o âmbito global, quando envolve o planeta todo.
A loja utilizará retalhos de moda doados por empresas parceiras, para que sejam confeccionados os produtos. A matéria prima principal será composta por material excedente na produção de outras marcas, os compostos de borracha utilizarão pneus reciclados, entre outros matérias como garrafas pet, por exemplo. Os produtos terão design exclusivo e seus modelos serão únicos, dificilmente será possível produzir duas unidades idênticas, em função da matéria prima, além disso, será possível a criação de modelos através de um designer responsável e ideias do próprio cliente, e também utilizando a plataforma digital, criando um diferencial na marca em relação aos sapatos, bolsas e acessórios já existentes e produzidos em larga escala.
Nesse primeiro momento a plataforma de vendas será uma loja física e uma loja online visando clientes pessoa física.
A presente análise será responsável por analisar se o negócio é viável, se será possível efetuar a produção e venda destes produtos, preservando a saúde financeira da empresa. Além disso será analisado os volumes de produção, vendas e rentabilidade do projeto.

FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA
	
Para esse projeto será utilizado como base o Business Model Canvas, esse modelo de negócios é uma ferramenta planejamento estratégico desenvolvido por Alexander Osterwalder e Yves Pgneur que acreditavam que: \u201cUm modelo de negócio descreve a lógica de como uma organização cria, entrega e captura valor\u201d (Osterwalder, Pigneur, 2011). Esse formato logo que foi introduzido, se tornou um dos mais populares para construção de planos de negócio e esse fator é explicado por alguns fatores: praticidade; fácil entendimento e explicação; aplicação em diversos níveis, não em uma empresa, por exemplo; aplicação em todos os setores; visualmente atraente; grande ativa comunidade de usuários ; ótima maneira de promover inovação (Jonkers, Quartel e Blom, 2012, p.03). O modelo é composto por 9 componentes que serão detalhados nas subseções a seguir, demonstrando a lógica de como a empresa pretende gerar valor para seus clientes. Esses 09 itens são responsáveis por cobrir as quatro principais áreas de um negócio: Clientes, oferta, infraestrutura e viabilidade financeira.
Adicionalmente no plano, utilizaremos a análise SWOT. Seu nome tem origem nas letras iniciais das palavras strenghts, weaknesses, opportunities e threats que respectivamente significam: forças, fraquezas, oportunidades e ameaças. Como descrito por Kotler ( 2006, p. 50) uma unidade de negócios precisa monitorar importantes forças macro ambientais (Econômicas, demográficas, tecnológicas, político-legais e socioculturais) e também agentes micro ambientais ( clientes concorrentes, distribuidores, fornecedores) que sejam capazes de afetar sua capacidade de obter lucro.

Segmentação de Mercado

Um plano de negócio pode caracterizar um ou vários segmentos de clientes, grandes e pequenos, por exemplo.
De acordo com Osterwalder (2010 p.20) os clientes são a essência de qualquer plano de negócios. Sem clientes nenhuma empresa é capaz de perdurar e também é necessário efetuar uma segmentação deles, pois demandam necessidades e realidades distintas. Segundo Kotler (2006 p.237) a definição de segmento de mercado se dá por uma grande amostra de consumidores que possuem as mesmas preferências. Ele também ressalta a importância da diferença entre um segmento e um setor e cita o exemplo da indústria automobilística, onde que mesmo se o grupo de compradores for composto por jovens de classe média, dentro desse grupo existirá preferências divergentes, uns preferindo alto desempenho, segurança ou luxo e aqueles que desejam apenas um meio de transporte. O ideal para que se consiga atingir a maior quantidade de consumidores é dividir o mercado em diferentes níveis potenciais.
O mercado será segmentado em dois níveis, sendo o primeiro nível definido por características demográficas e o segundo psicográficas, caso o primeiro grupo não seja atingido, será possível recorrer a outros grupos, a seguir, vamos explorar esses grupos:

Grupo demográfico: Kotler (2006 p. 246) afirma que essa segmentação é o meio mais popular de distinção de grupos de clientes por diversos motivos. A principal seria que as necessidades e os desejos dos consumidores e suas preferências nessa segmentação o mercado é dividido em variáveis como idade, sexo, tamanho da família, estágio de ciclo de vida familiar, renda, ocupação, religião, grau de instrução, nacionalidade. Para essa análise serão consideradas as variáveis idade, sexo, renda, e ocupação. O foco serão Mulheres entre 25 e 50 anos.

Grupo Psicográfico: Segundo Kotler (2006 p. 249) psicografia é a ciência que utiliza psicologia e demografia para melhor entendimento dos consumidores. Nesse grupo eles são divididos de acordo com sua classe social, estilo de vida, personalidade e valores. Esse grupo acaba se separando do analisado anterior pois pessoas do mesmo grupo demográfico podem apresentar perfil psicográfico diferente. No presente estudo vamos focar em pessoas da moda, inovadoras e Conscientes em relação ao meio ambiente.

Proposta de Valor

De acordo com Kotler e Philip (2006, p.34):
\u201cO dever de qualquer negócio é fornecer valor ao cliente mediante lucro. Em uma economia extremamente competitiva, com compradores cada vez mais racionais diante de uma abundância de opções, uma empresa só pode vencer ajustando o processo de entrega de valor e selecionando, proporcionando e comunicando um valor superior.\u201d

Como Osterwalder (2011 p. 23) define a função da proposta de valor é de criar valor para um segmento de clientes com um pacote composto por elementos específicos para as necessidades daquele segmento e podem ser divididos em duas categorias: Qualitativos (design, por exemplo) ou quantitativos (preço e velocidade do serviço, por exemplo). A seguir temos os exemplos de elementos que contribuem para criação de valor para o cliente que a empresa busca,