A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
51 pág.
Algoritmo

Pré-visualização | Página 1 de 12

UUNNIIVVEERRSSIIDDAADDEE FFEEDDEERRAALL DDEE MMAATTOO GGRROOSSSSOO DDOO SSUULL 
 
CCAAMMPPUUSS DDEE TTRRÊÊSS LLAAGGOOAASS 
 
LLIICCEENNCCIIAATTUURRAA EEMM MMAATTEEMMÁÁTTIICCAA 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
IINNTTRROODDUUÇÇÃÃOO 
ÀÀ CCIIÊÊNNCCIIAA 
DDAA CCOOMMPPUUTTAAÇÇÃÃOO 
 
 
 
 
 
RROOTTEEIIRROO DDEE AAUULLAA 
 
 
 
 
 
PPrrooff ªª.. DDrrªª.. AAlleessssaannddrraa BBoonnaattoo AAllttrraann 
 
 
 
 
TTRRÊÊSS LLAAGGOOAASS,, 11
oo
 SSEEMMEESSTTRREE DDEE 22001133 
2 
INTRODUÇÃO À CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Profa. Dra. Alessandra Bonato Altran 
 
 PPRREEFFÁÁCCIIOO 
 
 
 
 
O presente roteiro foi elaborado na intenção de auxiliar o desenvolvimento da atividade 
educacional na disciplina “Introdução à Ciência da Computação”, parte integrante da grade curricular do 
curso de “Licenciatura em Matemática” da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, campus de Três 
Lagoas. 
Procurou-se desenvolver um material sucinto, porém, que contenha informações básicas e 
fundamentais, contemplando todo o conteúdo programático do plano de ensino das disciplinas. 
Vale lembrar que, este material é apenas um roteiro, sugiro a todos fazer uso também do material 
que consta na bibliografia da disciplina. Os exemplos e exercícios são feitos durante a explicação do 
conteúdo, cabe ao aluno deixar seu caderno em dia. 
Para críticas, sugestões e contribuições em relação a este roteiro entrem em contato através do e-
mail: lealtran@gmail.com ou alessandra.altran@ufms.br. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
3 
INTRODUÇÃO À CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Profa. Dra. Alessandra Bonato Altran 
 
 SSUUMMÁÁRRIIOO 
 
 
 
1 – CONCEITOS BÁSICOS 5 
INTRODUÇÃO 5 
FLUXOGRAMA 9 
PSEUDOCÓDIGO 10 
TIPOS DE DADOS 11 
OPERADORES 13 
 
2 – ESTRUTURAS DE CONTROLE 16 
ENTRADA DE DADOS 16 
SAÍDA DE DADOS 17 
EXERCÍCIOS PROPOSTOS 18 
PROCESSAMENTO 19 
ESTRUTURA SEQUENCIAL 19 
ESTRUTURA DE SELEÇÃO OU DECISÃO 19 
ESTRUTURA DE REPETIÇÃO 23 
EXERCÍCIOS PROPOSTOS 28 
 
3 – ESTRUTURAS DE DADOS HOMOGÊNEAS 32 
VETOR 32 
MATRIZ 34 
EXERCÍCIOS PROPOSTOS 37 
 
4 – SUBALGORITMO 40 
FUNCIONAMENTO DE UM SUBALGORITMO 40 
TIPOS DE SUBALGORITMOS 41 
4 
INTRODUÇÃO À CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Profa. Dra. Alessandra Bonato Altran 
FUNÇÃO 41 
PROCEDIMENTO 43 
VARIÁVEIS LOCAIS E VARIÁVEIS GLOBAIS 45 
PARÂMETROS 46 
PASSAGEM DE PARÂMETROS POR VALOR E POR REFERÊNCIA 47 
EXERCÍCIOS PROPOSTOS 50 
 
5 – BIBLIOGRAFIA 51 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
5 
INTRODUÇÃO À CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Profa. Dra. Alessandra Bonato Altran 
 
 CCOONNCCEEIITTOOSS BBÁÁSSIICCOOSS 
 
 
 
INTRODUÇÃO 
De modo a encontrar uma forma estruturada de representação da resolução de um problema, 
surgem os Algoritmos. Vale lembra que, um algoritmo não é a solução do problema, pois, se assim fosse, 
cada problema teria um único algoritmo, assim, um algoritmo é um “caminho” para a solução de um 
problema. Pode-se dizer que um algoritmo é uma sequência de procedimentos finitos a serem seguidos e 
quando executados em determinado período de tempo, chegará a seu objetivo, ou seja, à resolução de um 
problema ou execução de uma tarefa. Em outras palavras, é uma sequência de passos que visam atingir 
um objetivo bem definido. Essa é uma definição geral, podendo se aplicada a qualquer circunstância que 
exija a descrição da solução. 
No dia-a-dia, as pessoas utilizam algoritmos de maneira intuitiva, sem que haja necessidade de 
planejar os passos da resolução dos problemas cotidianos. São exemplos de algoritmos: 
 
 Fazer café; 
 Trocar um pneu furado; 
 Fazer um bolo; 
 Trocar uma lâmpada queimada. 
Apesar de óbvias demais, muitas vezes 
realiza-se esse tipo de atividade inconscientemente, 
sem perceber seus pequenos detalhes. Cada uma 
dessas atividades pode ser resolvida de diversas 
maneiras, com poucos (ou muitos) detalhes que, 
certamente, dificultam (ou facilitam) a resolução. 
A seguir, será apresentado um exemplo para entender melhor esta questão, explicitando, passo a 
passo, a resolução de um problema. 
 
 
Algoritmo 
Troca de Lâmpada 1 
 
 
 
1. Pegar a escada; 
2. Posicioná-la embaixo da lâmpada; 
3. Buscar uma lâmpada nova; 
4. Subir na escada; 
5. Retirar a lâmpada velha; 
6. Colocar a lâmpada nova. 
1 
6 
INTRODUÇÃO À CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Profa. Dra. Alessandra Bonato Altran 
Assim, o problema da lâmpada queimada foi resolvido seguindo uma determinada sequência de 
passos. Porém, é possível incluir alguns passos intermediários para verificar o problema antecipadamente. 
Dessa forma, o algoritmo ficaria: 
 
 
 
Algoritmo 
Troca de Lâmpada 2 
 
 
 
1. Pegar a escada; 
2. Posicioná-la embaixo da lâmpada; 
3. Buscar uma lâmpada nova; 
4. Acionar o interruptor; 
5. Se a lâmpada não acender, então; 
1. Subir na escada; 
2. Retirar a lâmpada queimada; 
3. Colocar a lâmpada nova. 
 
Sendo assim, pode-se dizer que todo algoritmo é compostas por instruções finitas, e bem definidas, 
com objetivo de resolver um problema proposto. Comprovando o que foi dito anteriormente, é um 
caminho para a solução de um problema. Os caminhos que levam à solução são muitos, alguns mais 
curtos, outros mais longos, o importante, na verdade, é alcançar o objetivo. 
Todo algoritmo deve ser feito de maneira lógica e racional, visando principalmente, a sua 
eficiência e clareza. O importante é saber interpretar o problema antes de começar a construir o algoritmo, 
veja a seguir um esboço das dos principais passos para a construção de um algoritmo: 
Passos para a construção de um algoritmo 
1. Identificar o objetivo do problema mediante leitura atenta de seu enunciado. É justamente o 
enunciado de um exercício que fornece o encaminhamento necessário à resolução do problema, que 
se torna, portanto, dependente de sua completa compreensão; 
2. Retirar do enunciado todos os dados necessários para a resolução do problema, ou seja, identificar as 
“entradas de dados” que o enunciado fornece; 
3. Retirar do enunciado todos os dados que serão gerados como resultado da solução do problema, ou 
seja, identificar as “saídas de dados” que o enunciado fornece (ou seja, saída desejada); 
4. Determinar o que dever ser feito para transformar as entradas determinadas nas saídas desejadas. 
Nesta fase é que se determina a construção do algoritmo propriamente dito, pois, a partir de alguns 
requisitos especificados, deve-se determinar qual a sequência de ações é capaz de transformar um 
conjunto definido de dados nas informações de resultado; 
7 
INTRODUÇÃO À CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Profa. Dra. Alessandra Bonato Altran 
5. Construir o algoritmo.