A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
Cálculo do dimensionamento do Reservatório

Pré-visualização | Página 1 de 1

Cálculo do dimensionamento do Reservatório
 April 04, 2014
 
 12 Comments
A norma que dita os critérios para o projeto das instalações prediais de água fria é a NBR 5626 e, de acordo com ela, o volume mínimo de água em um reservatório é a quantidade consumida em um dia mais a reserva de incêndio, caso necessária à edificação.
Para os cálculos, usaremos algumas tabelas que ditarão o que devemos levar em consideração para cada situação da edificação. A primeira dessas tabelas é a de “Estimativa de consumo Predial Diário”, em que saberemos qual o consumo médio litros/dia estimados para determinadas edificações de acordo com o seu uso e com a quantidade de pessoas que a frequentam.
Cálculo do Dimensionamento
______________________________________________________________________________                                                                                                                                
01. População da Edificação
Para o cálculo, é necessário sabermos a quantidade de pessoas que moram ou frequentam o local, no entanto, caso não seja possível obter o número exato de pessoas, poderemos utilizar a tabela abaixo para calcular o número aproximado.
	Ambiente
	Número de Pessoas
	Dormitório
	2 pessoas
	Dormitório de empregada
	1 pessoa
	Prédio de Escritório
	1 pessoa a cada 6m²
	Shopping
	1 pessoa a cada 5m²
Dessa forma, um apartamento de dois quartos e um dormitório de empregada, de acordo com a tabela, possuiria uma população fixa de 5 pessoas.
02. Tabela
A tabela que segue a baixo é de extrema importância, já que define a quantidade de litros de água consumidos por pessoa em determinados locais, para que assim possamos fazer o cálculo da quantidade de água que será necessária ao reservatório em suas diversas situações.
	Tipo de construção
	Consumo médio (litros/dia)
	Alojamentos provisórios
	80 por pessoa
	Casas populares ou rurais
	120 por pessoa
	Residências
	150 por pessoa
	Apartamentos
	200 por pessoa
	Hotéis (s/cozinha e s/ lavanderia)
	120 por hóspede
	Escolas – internatos
	150 por pessoa
	Escolas – semi internatos
	100 por pessoa
	Escolas – externatos
	50 por pessoa
	Quartéis
	150 por pessoa
	Edifícios públicos ou comerciais
	50 por pessoa
	Escritórios
	50 por pessoa
	Cinemas e teatros
	2 por lugar
	Templos
	2 por lugar
	Restaurantes e similares
	25 por refeição
	Garagens
	50 por automóvel
	Lavanderias
	30 por kg de roupa seca
	Mercados
	5 por m² de área
	Matadouros – animais de grande porte
	300 por cabeça abatida
	Matadouros – animais de pequeno porte
	150 por cabeça abatida
	Postos de serviço p/ automóveis
	150 por veículo
	Cavalariças
	100 por cavalo
	Jardins
	1,5 por m²
	Orfanato, asilo, berçário
	150 por pessoa
	Ambulatório
	25 por pessoa
	Creche
	50 por pessoa
	Oficina de costura
	50 por pessoa
03. Fórmulas
Para o cálculo do dimensionamento, utilizaremos duas fórmulas básicas:
Sendo que:
Vmin. - Volume mínimo em litros
Cd - Consumo diário
N - População abastecida
C - Consumo por Unidade
I - Reserva para incêndio (se houver)
03. Cálculo
Realizaremos dois exercícios distintos para exemplificar o dimensionamento e para o melhor entendimento da aplicação das fórmulas e tabelas.
______________________________________________________________________________
01. Calcular a capacidade dos reservatórios para um prédio de apartamentos de 7 andares, com 2 apartamentos por andar de 2 quartos e dependência de serviço.
1º Passo: Calcular a população do edifício (N) utilizando a Tabela 1 como base.
2º Passo: Verificar na Tabela 2 qual o consumo por unidade (C).
3º Passo: Aplicar esses valores na fórmula 1 e descobrir o valor do Consumo diário.
4º Passo: Verificar se é necessária uma reserva de incêndio.
5º Passo: Apesar de não estar incluso na fórmula, por garantia, é bom acrescentar uma reserva de emergência de pelo menos 25% da quantidade total do volume em litros. Portanto, ao terminar o cálculo do volume, multiplique o total por 1.25, que representa a reserva de água.
6º Passo: Divisão do volume de água entre o reservatório superior e inferior.
1º Passo:
Sendo assim, seguindo a Tabela 1 que diz que para cada quarto devemos considerar 2 pessoas e para cada dependência 1 pessoa, temos:
N = (2 (quartos) x 2 (pessoas)) + 1 pessoa (Dependência) x 2 (apartamentos por andar) x 7 (andares)
N = 5 (pessoas) x 2 (apartamentos) x 7 (andares)
N = 70 pessoas
2º e 3º passos:
Olhando a Tabela 2, podemos verificar que a quantidade de litros/dia médio por pessoa que vive em um apartamento é de 200 litros, portanto, aplicando na primeira fórmula, obteremos:
Cd = N x C
Cd = 70 pessoas x 200 litros
Cd = 14.000 litros
Dessa forma, sabemos agora que o consumo diário para este edifício de apartamentos é de, no mínimo, 14.000 litros por dia. 
4º Passo: 
De acordo com o Código de Segurança Contra Incêndio e Pânico, não é necessária uma reserva de incêndio para esta edificação, portanto, ignoraremos este cálculo neste quesito.
5º Passo: 
Para o cálculo da reserva de emergência (também chamado de coeficiente de segurança), basta calcular 25% do consumo diário e acrescentar ao total.
Vmin. = Cd x I (não necessário neste caso) x 1.25 (coeficiente de segurança)
Vmin. = 14.000 litros x 1.25
Vmin. = 17.500 litros
6º Passo:
Caso em seu projeto haja a divisão dos reservatórios em superior e inferior, saiba que a porcentagem não é dividida meio a meio (50% - 50%). Para o reservatório superior deve ser dedicado 40% do total do reservatório, e, para o inferior, 60% do total. O cálculo é básico, basta fazer o cálculo da porcentagem (40% e 60%) sobre a capacidade do reservatório, obtendo assim a quantidade de litros de água adequados para cada um deles.
Conclusão:
O cálculo de reservatório é relativamente simples quando não envolve questões extras como a reserva de incêndio, piscina, jardim e outros tantos. Nos casos em que a área construída for superior a 750m² ou possuir mais de 4 pavimentos, é obrigatório o cálculo da reserva de incêndio, de acordo com a norma NSCI-94 e com a norma NBR 13.714/2000, sendo necessário verificar o número de hidrantes e também seguir o estabelecido pela norma para dimensionar a vazão e a pressão necessária em cada requinte de hidrante.
Para estes, são necessários outros cálculos um tanto quanto mais complexos que poderemos abordar em uma outra ocasião. Por enquanto, estudem estes quesitos apresentados hoje e vocês poderão também praticar através de outros exercícios que postaremos aqui no blog.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.