Crédito e financiamento ao consumidor e superendividamento - Resumo
3 pág.

Crédito e financiamento ao consumidor e superendividamento - Resumo

Pré-visualização3 páginas
1
Cláusulas Contratuais Abusivas – Continuação
Cláusulas que infrinjam ou possibilitem a violação de normas ambientais (art. 51,
inc. XIV, do CDC)
Contrato de consumo não pode ter cláusulas que violem normas ambientais.
Relação entre Direito do Consumidor e Ambiental.
Art. 225 da CF.
Norma de interesse social.
Cláusulas que estejam em desacordo com o sistema de proteção ao consumidor
(art. 51, inc. XV, do CDC)
Cláusula Aberta.
Funciona como espécie de sanção.
Cláusulas que possibilitem a renúncia do direito de indenização por benfeitorias
necessárias (art. 51, inc. XVI, do CDC)
Arts. 96 e 97 do CC - benfeitorias são melhoramentos ou acrescidos introduzidos
em um bem principal, classicadas quanto à essencialidade em necessárias, úteis
e voluptuárias.
Benfeitorias necessárias: se voltam à conservação do bem principal, tidas como
essenciais ao último.
É abusiva a cláusula de renúncia às benfeitorias necessárias.
Crédito e Financiamento ao consumidor
Direito do Consumidor
2
A regra prevista no artigo 52 do CDC estabelece requisitos que devem ser observados
pelo fornecedor para a outorga de crédito ou concessão de nanciamento, o que se com-
patibiliza com o direito básico à informação (artigo 6º, inciso III do CDC). O fornecedor
deve observar os seguintes requisitos:
Moeda corrente nacional
O CDC proíbe a contratação em moeda estrangeira, assim como o reajuste das pres-
tações em função da variação da moeda estrangeira.
Juros de mora
O fornecedor deve informar de forma prévia ao consumidor a taxa de juros remune-
ratória e moratória.
Acréscimos legais previstos
O consumidor deve saber quais os acréscimos que serão cobrados.
Exemplo: IOF, índice de correção monetária e taxas bancárias.
Número e periodicidade das prestações
O consumidor deve ser informado acerca da quantidade de prestações que ele deve-
rá arcar, bem como a periodicidade.
Soma total a pagar com e sem nanciamento
O consumidor deve ter acesso ao valor total à vista e o valor total nanciado.
Multa de mora ou cláusula penal
Art. 52, § 1° do CDC - não pode ser superior a 2% do valor da prestação.
Apenas aplicável se previsto pelas partes.
Norma de ordem pública.
Liquidação antecipada do débito
Art. 52, § 2° do CDC – antecipação do débito deverá resultar em uma redução propor-
cional dos juros e demais acréscimos.
Objetivo: afastar o superendividamento.
Contratos de fornecimento de crédito e nanciamento de bens
3
Para Cláudia Lima Marques: “O superendividamento pode ser denido como impos-
sibilidade global do devedor-pessoa física, consumidor, leigo e de boa-fé, de pagar
todas as suas dívidas atuais e futuras de consumo (excluídas as dívidas com o Fisco,
oriundas de delitos e alimentos) em um tempo razoável com sua capacidade atual
de rendas e patrimônio”.
Projeto de Lei 283/2012 – tutelará o superendividado.
Juros convencionais
Juros estipulados por força do contrato.
Súmula 596 e 283 do STJ: as instituições bancárias e as empresas administradoras de
cartão de crédito não estão sujeitas à Lei de Usura.
Lei de Usura: Decreto 22.626, de 7 de abril de 1933 que limita a taxa de juros
contratuais.
Para o STJ, os juros das instituições bancárias e nanceiras podem ser xados de
acordo com as regras de mercado (Súmula 296).
Entendimento criticado pela doutrina.