Fratura da Coluna Vertebral

Fratura da Coluna Vertebral


DisciplinaFisioterapia em Ortopedia e Traumatologia1.840 materiais27.812 seguidores
Pré-visualização1 página
COLUNA 
VERTEBRAL
COLUNA VERTEBRAL
 É um pilar anatômico de sustentação formado por uma série de ossos denominados vértebras. As trinta e três vértebras são agrupadas sob os nomes cervical, torácica, lombar, sacral e coccígea, de acordo com a área que ocupam.
 O comprimento médio da coluna vertebral no sexo masculino é de 71 cm e no sexo feminino de 61cm.
CURVATURAS
* Primárias: CIFOSE
Torácica e sacrococcígea
* Secundárias: LORDOSE
Cervical e lombar
CERVICAL
MAIS ACOMETIDA
Entre a C5-C6.
CONSEQUÊNCIA
Tetraplegia
As fraturas ou luxações da coluna cervical podem ser estáveis ou instáveis, causando comprometimento neurológico. Quando ocorre lesão da medula espinal ou coloca em risco a sua integridade, faz-se a proteção do local lesionado, através da redução das fraturas e luxações e quando necessário, descompressão medular, com estabilização da coluna e, a seguir um programa de reabilitação.
Podem envolver qualquer estrutura como vértebras, discos intervertebrais, ligamentos, medula espinal, raízes nervosas, nervos periféricos, músculos ou qualquer combinação.
TRATAMENTO
O tratamento varia de acordo com o grau da lesão. Imobilização do pescoço com colar cervical, uso de analgésicos e antiinflamatórios são úteis. Relaxantes musculares podem ser ministrados na dependência do grau de espasmo muscular. No entanto, quando ocorrer limitação severa dos movimentos, dor persistente ou sintomas radiculares, a ressonância magnética é indicada, a fim de se afastar lesões do disco intervertebral e ou das estruturas neurais.
ÓRTESE CERVICAL
TÓRACO -LOMBAR
A região mais freqüentemente acometida é o seguimento entre T11 e L1, seguido por lesões entre L1 e L5 e com menor freqüência entre T1 e T10. A principal causa de fraturas são devido aos acidentes automobilísticos, seguidos por quedas de altura, lesões no esporte e violência urbana. O uso do cinto de segurança tem prevenido e reduzido a incidência destas fraturas.
O trauma na coluna tóraco-lombar é freqüente e a sua associação com lesões neurológicas
DISTRIBUIÇÃO DO NÚMERO DE PACIENTES EM RELAÇÃO À LOCALIZAÇÃO DAS FRATURAS TÓRACO-LOMBARES.
DISTRIBUIÇÃO DAS FRATURAS DE COLUNA VERTEBRAL SEGUNDO FAIXA ETÁRIA.
As fraturas por osteoporose relacionadas a traumas de baixa energia vêm apresentando maior incidência, devido a um aumento da sobrevida da população, predominando em mulheres . Estas fraturas podem se manifestar por quadros dolorosos severos, necessitando ser realizado diagnóstico diferencial com fraturas patológicas, como afecções tumorais ósseas primárias ou metastáticas.
CAUSAS
As fraturas da coluna tóraco-lombar ocorrem frequentemente como conseqüência de:
 * quedas de altura, 
 * acidentes automobilísticos, 
 * traumas por arma de fogo, etc. 
 A maioria das fraturas são estáveis e passíveis de tratamento conservador.
CONSEQUÊNCIAS
Paraplegia
Quando se tem uma fratura por compressão, pode levar a uma hérnia de disco.
TRATAMENTO
Tem condutas padronizadas sendo as lesões neurológicas o diferencial, O tratamento Clínico é realizado quando preencher os critérios a seguir :
 * Integridade dos ligamentos posteriores;
 * Redução da altura do corpo vertebral menor do que 50%;
 * Cifose da região fraturada menor do 30 graus.
O tratamento cirúrgico está indicado quando houver sinais clínicos e radiológicos de instabilidade da coluna vertebral, na presença de lesão neurológica grave causada por compressão óssea ou se houver falha do tratamento não cirúrgico. 
ÓRTESE TÓRACO - LOMBAR
COCCÍGEA
Quando se cai em cima desse osso, pode ser que uma lesão ou até mesmo uma quebra ocorra. Depois disso, a área fica muito sensível e dolorida, especialmente quando se tenta sentar.
TRATAMENTO
Não existe tratamento local, a não ser a utilização de uma almofada circular (tipo bóia) para se sentar. 
O único tratamento é antálgico.