A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
26 pág.
1216299 Guia sobre tráfico internacional de pessoas

Pré-visualização | Página 1 de 7

GUIA DE ESTUDOS 
 
Escritório das Nações Unidas sobre 
Drogas e Crime 
 
O combate internacional ao tráfico de pessoas 
Ana Flávia Urzedo de Almeida 
Diretora 
 
Nícolas Alexandre Fontes Corgozinho 
Diretor Assistente 
 
Tássia Vieira Gonçalves 
Diretora Assistente 
 
Thales Leonardo de Carvalho 
Diretor Assistente 
 
SUMÁRIO 
 
1 APRESENTAÇÃO DA MESA DIRETORA ...................................................................... 3 
 
2 INTRODUÇÃO ..................................................................................................................... 4 
 
3 UNODC .................................................................................................................................. 6 
3.1 UNODC e o Tráfico de Pessoas ......................................................................................... 7 
3.2 Gestão do Tráfico de Pessoas ............................................................................................. 9 
3.3 Mercado do Tráfico: origem, transição e destino .......................................................... 10 
3.4 Legislação Internacional .................................................................................................. 12 
 
4 TRÁFICO DE PESSOAS ................................................................................................... 13 
4.1 Exploração Laboral .......................................................................................................... 15 
4.2 Exploração Sexual ............................................................................................................ 15 
 
5 POSICIONAMENTO DOS ATORES ............................................................................... 16 
5.1 Rússia ................................................................................................................................. 16 
5.2 Ucrânia .............................................................................................................................. 17 
5.3 Alemanha ........................................................................................................................... 17 
5.4 Estados Unidos da América ............................................................................................. 17 
5.5 Bulgária ............................................................................................................................. 18 
5.6 Montenegro ....................................................................................................................... 18 
 
6 QUESTÕES RELEVANTES ............................................................................................. 18 
 
REFERÊNCIAS ..................................................................................................................... 21 
 
TABELA DE DEMANDA DAS REPRESENTAÇÕES ..................................................... 23 
 
1 APRESENTAÇÃO DA MESA DIRETORA 
 
Queridos delegados, sejam bem-vindos ao comitê do Escritório das Nações 
Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC)! Espero que os senhores façam bom uso deste 
guia, pois ele foi desenvolvido para orientar os estudos e facilitar a compreensão acerca 
dos temas a serem discutidos no UNODC durante o 14º MINIONU. 
Antes das formalidades, vamos à apresentação da mesa diretora! 
Meu nome é Ana Flávia Urzedo de Almeida, curso o 7º período de Relações 
Internacionais pela PUC Minas e sou a diretora deste comitê. Além de mim, a mesa será 
composta pelos diretores assistentes Nícolas Fontes, Tássia Vieira e Thales Leonardo. 
Nós estamos trabalhando para fazer do UNODC um comitê especial, que agregue 
valores à vida vocês! O MINIONU é um projeto que estimula a troca de experiências, o 
respeito mútuo e a humanização de todas as pessoas envolvidas, seja diretor ou 
delegado. Por isso, esperamos que sua participação seja inesquecível, que você possa 
aprender conosco tanto quanto aprenderemos com você! 
O UNODC discutirá o Tráfico de Pessoas para fins sexuais e/ou laborais. Apesar 
deste tema estar em evidência, percebemos poucas mudanças no combate e na 
prevenção deste crime pelo mundo. Como diretora, fico muito feliz ao poder abordar 
um assunto atual, que necessita de soluções eficientes e imediatas. 
Obrigada por escolherem o UNODC! Nos vemos pessoalmente em outubro, no 
entanto, sintam-se a vontade para entrarem em contato conosco pela internet, seja 
através do blog: http://14minionuunodc.wordpress.com/ (tão importante quanto este 
guia; nele estarão os dossiês além de outras informações fundamentais), da página no 
facebook: https://www.facebook.com/UNODC14MINIONU, do e-mail: 
14minionu.unodc@gmail.com e/ou twitter: https://twitter.com/unodc_14minionu. 
Abraços de toda a equipe do UNODC! 
 
 
2 INTRODUÇÃO 
 
O tema “Tráfico de Pessoas” tem ganhado uma notória atenção dos meios de 
comunicação, Organizações Internacionais e dos próprios Estados. No entanto, o 
comércio de pessoas data de épocas mais remotas: percorre a antiga Mesopotâmia e 
Babilônia, passando pela sociedade ateniense e chegando à colonização das Américas 
com a escravatura de índios e africanos. (COSTA, 2012) 
A partir do século XVII, em decorrência da Revolução Industrial, o processo 
escravocrata enfraqueceu devido à evolução tecnológica (substituição da mão de obra 
do trabalhador por máquinas), à assimetria que passou a existir na relação entre Estados 
e pessoas e um conjunto de outros fatores conjunturais inerentes do processo histórico. 
Ao assumir o papel de potência mundial – país capaz de projetar e exercer influência 
para além de seu território, a Inglaterra, motivada por fatores econômicos e ideológicos, 
iniciou um combate ao tráfico de escravos. Após a I Guerra Mundial (1914 - 1918), o 
país perdeu sua hegemonia, no entanto, sua influência na luta contra a escravatura já 
havia alcançado bons resultados, passando a ser uma prática não tolerada publica e 
politicamente. (COSTA, 2012) 
Em 1939, houve a eclosão da II Guerra Mundial, envolvendo a maioria das 
nações do mundo, sendo divididas em duas alianças militares: Eixo (Alemanha, Itália e 
Japão) e Aliados (URSS, Reino Unido e Estados Unidos). A guerra chegou ao fim em 
1945, com a vitória dos Aliados. Neste contexto, o mundo se dividiu em dois polos: o 
capitalista, conduzido pelos Estados Unidos e o socialista, conduzido pela União 
Soviética, momento conhecido como Guerra Fria. Este conflito se caracterizou por 
divergências estratégicas, sendo definido como uma disputa de caráter econômico, 
diplomático e tecnológico que visava ampliar as áreas de influências do capitalismo e 
do socialismo. A Guerra Fria findou em 1991, com o declínio da União Soviética. 
(COSTA, 2012) 
Nas décadas de 80 e 90, o cenário internacional sofreu uma drástica mudança. 
Três fatores merecem destaque: o primeiro refere-se ao fim da bipolaridade entre 
Estados Unidos e União Soviética, o segundo faz menção ao surgimento de novos 
atores nacionais que passam a disputar um espaço no sistema internacional e o terceiro é 
 
o surgimento de um setor empresarial e midiático (o que é transmitido pela mídia) que 
passa a interferir e influenciar as decisões do Estado. (COSTA, 2012) 
Há um senso comum de que neste período pós-Guerra Fria, o Crime Organizado 
e o Tráfico de Pessoas (associado às novas tecnologias de transporte e ao 
enfraquecimento das fronteiras
1
) atingiram uma grande capacidade transnacional. 
Porém, antes mesmo da globalização, ambos possuíam uma vasta capacidade financeira 
e operacional; o que mudou da década de 90 em diante foi a divulgação de dados sobre 
estes crimes. (COSTA, 2012) 
Portanto, podemos dizer que, após a Guerra Fria

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.