CONT. MET. E PRAT. DE ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA
6 pág.

CONT. MET. E PRAT. DE ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA


DisciplinaPrática de Ensino da Língua Portuguesa56 materiais199 seguidores
Pré-visualização3 páginas
CONT. MET. E PRAT. DE ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA
6a aula
		
	
	Lupa
	
	
	
Vídeo
	
PPT
	
MP3
	
	
	
	 1a Questão (Ref.: 201608185549)
	 Fórum de Dúvidas (0)       Saiba  (0)
	
	Leia o texto abaixo e responda:
Unidade e variedade
Há variações entre as formas que a língua portuguesa assume nas diversas regiões em que é falada. Basta pensar nas evidentes diferenças entre o modo de falar de um lisboeta e de um carioca, por exemplo, ou na expressão de um gaúcho em contraste com a de um amazonense. Essas variações regionais constituem os falares e os dialetos. As formas regionais da língua portuguesa no Brasil vêm sendo valorizadas como parte importante da ampla diversidade cultural do país. Além disso, o português empregado pelas pessoas que têm acesso aos meios de instrução difere daquele empregado pelas pessoas privadas de escolaridade. Algumas classes sociais, assim, dominam uma forma de língua que goza de prestígio "a chamada norma culta" enquanto outras são vítimas de preconceito por empregarem formas menos prestigiadas. Também são socialmente condicionadas certas formas de língua que alguns grupos desenvolvem a fim de evitar a compreensão por aqueles que não fazem parte desses grupos. O emprego dessas formas de língua proporciona o reconhecimento fácil dos integrantes de uma comunidade restrita, seja um grupo de estudantes, seja uma quadrilha de contrabandistas. Desse modo, são criadas as gírias, variantes lingüísticas sujeitas a contínuas transformações. Ainda: o exercício de determinadas atividades requer o domínio de certas formas de língua chamadas línguas técnicas. Abundantes em termos específicos, essas variantes têm seu uso praticamente restrito ao intercâmbio técnico de engenheiros, médicos, químicos, biólogos, lingüistas e outros especialistas. E, em diferentes situações, um mesmo indivíduo emprega diferentes formas de língua. Basta pensar nas atitudes que assumimos em situações formais (como, por exemplo, um discurso numa solenidade de formatura) e em situações informais (uma conversa descontraída com amigo): em cada uma dessas situações, procuramos adequar nosso nível vocabular e sintático ao ambiente cultural em que nos encontramos. Ou seja, a língua é unidade na variedade. (Ulisses Infante. Textos: leituras e escritas. São Paulo: Editora Scipione, 2005, pp. 12-13. Adaptado)
De acordo com o texto, as variações regionais do português do Brasil:
		
	dificultam a comunicação entre um lisboeta e um carioca, por exemplo.
	ao contrário de outras, não estão sujeitas a transformações contínuas.
	são vítimas de discriminação por adotarem formas menos prestigiadas.
	são abundantes e têm seu uso vocabular bastante restrito.
	manifestam a ampla diversidade cultural do país.
	
	
	
	
	 2a Questão (Ref.: 201608185039)
	 Fórum de Dúvidas (0)       Saiba  (0)
	
	Os PCN´s (Parâmetros Curriculares Nacionais) de Língua Portuguesa declaram: A questão não é falar certo ou errado, mas saber qual forma de fala utilizar, considerando as características do contexto de comunicação, ou seja, saber adequar o registro às diferentes situações comunicativas (p.31). A afirmativa que está de acordo com esse trecho é:
		
	A língua padrão é a única que pode orientar a fala da escola.
	O ensino da gramática normativa orienta a única concepção de padrão correto de uso de uma língua.
	Todas as variedades da língua apresentam valores controversos.
	O uso linguístico dialetal não é por si errado, é apenas diferente do uso de um outro dialeto.
	A língua escrita deve ser usada como o único caminho para orientar a língua falada.
	
	
	
	
	 3a Questão (Ref.: 201608184867)
	 Fórum de Dúvidas (0)       Saiba  (0)
	
	O personagem Chico Bento, criação de Maurício de Souza, é encontrado em revistas e filmes. Trata-se de um personagem que mora em um contexto sociocultural do campo e apresenta um dialeto próprio de sua região. Assinale a opção que identifica o trabalho adequado a ser realizado com a linguagem desse personagem:
		
	Evitar a utilização desse personagem como material didático em sala de aula por causa do seu dialeto, pois os alunos podem memorizar erradamente as palavras.
	Solicitar aos alunos que analisem como o Chico Bento fala e observem se há comunicação entre ele e os outros personagens, identificando a realidade sociocultural dos personagens através do dialeto usado por eles.
	Realizar atividades que envolvam falares caipiras assim como gírias não devem fazer parte do planejamento do professor, pois não estão de acordo com os PCN´S.
	Solicitar aos alunos que reproduzam a fala de Chico Bento para a escrita padrão correta no caderno de exercícios, para perceber a diferença.
	Solicitar aos alunos a dramatização de uma história de Chico Bento, reproduzindo o seu dialeto de acordo com a norma padrão.
	
	 Gabarito Comentado
	
	
	 4a Questão (Ref.: 201608703240)
	 Fórum de Dúvidas (0)       Saiba  (0)
	
	Durante as aulas de Língua Portuguesa, o professor deve priorizar uma prática pedagógica que promova o desenvolvimento de várias habilidades, entre elas, a da leitura.
Acerca dessa habilidade, julgue os itens que seguem e depois assinale a alternativa CORRETA.
I. Uma boa estratégia de leitura para o aluno criar expectativas sobre o texto é, antes de lê-lo, o professor analisar, com eles, elementos como: título, subtítulo, imagens, gráficos, tabelas etc.
II. Permitir que o aluno escolha o que ler não é uma prática recomendável, já que o estudante dos anos iniciais não tem condições de saber é bom ou ruim para sua faixa etária.
III. Solicitar aos alunos que busquem no texto informações específicas que possam ser relevantes é uma das importantes estratégias de leitura.
 Assinale
		
	se apenas o item III estiver correto.
	se apenas o item I estiver correto.
	se apenas os itens II e III estiverem corretos.
	se apenas os itens I e III estiverem corretos.
	se apenas os itens I e II estiverem corretos.
	 5a Questão (Ref.: 201608320016)
	 Fórum de Dúvidas (0)       Saiba  (0)
	
	Segundo Cagliari (2003): "Todo falante nativo usa sua língua conforme as regras próprias de seu dialeto, espelho da comunidade linguística a que está ligado". Sendo assim, é correto afirmar que:
		
	Os falantes não se identificam como pertencentes a uma comunidade linguística.
	Cada falante constrói e segue as regras próprias de sua comunidade linguística.
	Cada falante elege a sua forma única de falar.
	As mudanças ocorridas na língua não são percebidas facilmente pelos falantes.
	
	As comunidades linguísticas não refletem a fala de seus membr
	 6a Questão (Ref.: 201609159795)
	 Fórum de Dúvidas (0)       Saiba  (0)
	
	Assinale a alternativa cuja variante linguística é a culta.
		
	Me perco nesse mar de solidão.
	Traga o prato pra mim comer.
	Qué apanha, menino? Qué apanhá?
	Dê-me outras opções e eu escolherei uma melhor.
	A gente não sabemos mais o que queremos.
	
	
	
	
	 7a Questão (Ref.: 201608185025)
	 Fórum de Dúvidas (0)       Saiba  (0)
	
	(ENADE 2008) Leia e assinale a alternativa adequada:
Numa sala de aula de terceiro ano do ensino fundamental, com crianças oriundas de várias regiões do Brasil, um aluno pronunciou a palavra olho como [oio]. Outra criança da turma chamou-lhe a atenção, corrigindo-lhe a fala. A professora aproveitou a oportunidade e pediu a todos para que, a partir dali, falassem sempre como se escreve, ou seja: os que falassem [sau] deveriam sempre falar [sal]; os que falassem [viage] deveriam sempre falar [viagem]; os que falassem [bodi] deveriam sempre falar [bode]; os que falassem [cantano] deveriam sempre falar [cantando]. Rapidamente as crianças perceberam que ficou muito difícil falar e que seria impossível falar sempre exatamente como