Aula 3_Fisiop e Dieto I_Fase
88 pág.

Aula 3_Fisiop e Dieto I_Fase


DisciplinaFisiopatologia da Nutrição e Dietoterapia I379 materiais1.266 seguidores
Pré-visualização4 páginas
posição ao 
longo do corpo até o corpo todo ser mapeado. 
 
Esta técnica é utilizada para quantificar o tecido adiposo 
total e subcutâneo em indivíduos com diferentes níveis 
de gordura corporal. 
Ellis, 2000 
Ressonância Magnética (RM) 
29 
Vantagens 
Ressonância Magnética (RM) 
Não utiliza radiação iônica 
Limitações 
Custo elevado 
 
Dificuldade técnica 
30 
Tomografia Computadorizada (TC) 
McArdle, Katch & Katch, 1998 
A correlação foi significativa entre a circunferência da 
cintura (CC) e o tecido adiposo abdominal profundo 
medido por TC 
A relação entre as medidas antropométricas na região 
abdominal (pregas cutâneas e circunferência) com o 
volume total do tecido adiposo mapeado por TC (Déspres,1991) 
31 
Tomografia Computadorizada (TC) 
Este estudo concluiu que homens com maior CC têm uma 
maior quantidade de tecido adiposo visceral, favorecendo 
a utilização da CC no controle do tecido adiposo 
abdominal. 
Lukaski, 1987 
32 
Exposição à radiação, principalmente em mulheres 
grávidas e crianças. 
 
O alto custo do equipamento 
 
Necessidade de técnicos especializados. 
 
 
Tomografia Computadorizada (TC) 
Limitação 
33 
Diluição Isotópica / Hidrometria 
É um método invasivo, devido à necessidade de ingerir 
ou aplicar uma substância no indivíduo (isótopo de 
hidrogênio) a qual será distribuída igualmente por toda a 
água contida no corpo. 
 
Estima a relação de água corporal total X massa 
magra 
 
Em adultos saudáveis a água corporal total constitui 
aproximadamente 73% da massa magra. 
Kotler et al., 1999 cit. Ellis, 2000 
34 
Diluição Isotópica / Hidrometria 
Limitação 
Custo 
 
Necessidade de técnicos especializados 
 
Dificuldade da análise 
Lukaski, 1987 e Wagner & Heyward, 1999 
35 
DOBRAS CUTÂNEAS 
Muitos estudos têm mostrado que a densidade corporal 
pode ser predita através das mensurações das dobras 
cutâneas. 
 
Distribuição da gordura corporal- RCQ 
 
Existe uma significativa relação entre a gordura 
subcutânea, a gordura interna e a densidade corporal. 
 
36 
Dobras Cutâneas 
Medida indireta da espessura do tecido adiposo 
subcutâneo. 
 
 
A soma de dobras pode ser utilizada para estimar a % 
gordura corporal. 
EQUAÇÕES PREDITIVAS 
37 
Equações Preditivas 
Para selecionar a equação mais adequada, fatores como, 
idade, sexo, etnia, nível de atividade física e quantidade 
de gordura corporal, precisam ser levados em 
consideração. 
 
O ideal é que as características da população que se 
quer avaliar sejam similares às da amostra utilizada no 
processo de validação da equação escolhida. 
Heyward,2001 
38 
Equações Preditivas 
o Durnin & Wormersley (1974) 
 
o Jackson & Pollock (1978/1980) 
 
 
 
39 
Equações Preditivas 
Durnin & Wormersley (1974) 
 
 
 
Público estudado: Homens e mulheres, com idade entre 16 
e 72 anos, sedentários e pertencentes à classe média. 
 
Foram aferidas medidas de dobras cutâneas (bicipital, 
tricipital, subescapular e suprailíaca) 
 
 
DC= (A-B)x log \u2211 4 pregas 40 
Equações Preditivas 
Durnin & Wormersley (1974) 
 
 
 
DC= (A-B)x log \u2211 4 pregas 
Idade 17-19 20-29 30-39 40-49 + 50 
A 1,1620 1,1631 1,1422 1,01620 1,1715 
B 0,0630 0,0632 0,0544 0,0700 0,0779 
 
Homens: 
Idade 17-19 20-29 30-39 40-49 + 50 
A 1,1549 1,1599 1,1423 1,1333 1,1339 
B 0,0678 0,0717 0,0632 0,0612 0,0645 
 
Mulheres: 
41 
Equações Preditivas 
Durnin & Wormersley (1974) 
 
 
 
DC= (A-B)x log \u2211 4 pregas 
% Gordura Corporal= 4,95 \u2013 4,50 x100 
 DC 
42 
Cálculo do Percentual de Gordura 
Hora de Praticar... 
Calcule o percentual de gordura corporal de um paciente sexo masculino, 
19 anos. 
 
Dados antropométricos: 
PCT: 30 mm 
PCSE: 28 mm 
PCSI: 30mm 
PCB: 7 mm 
CC: 110 cm 
 
 
43 
Cálculo do Percentual de Gordura 
% de gordura = (4,95 / densidade) \u2013 4,5 x 100 
densidade = c \u2013 m x log( \ud835\udc91\ud835\udc93\ud835\udc86\ud835\udc88\ud835\udc82\ud835\udc94) 
 17-19 20-29 30-39 40-49 + 50 
c 1,1620 1,1631 1,1422 1,01620 1,1715 
m 0,0630 0,0632 0,0544 0,0700 0,0779 
 
Durnin & Womersley (1974) 
?? 
44 
45 
Jackson & Pollock (1978/1980) 
Equações Preditivas 
Público estudado: Homens com idade entre 18 e 61 
anos. Mulheres com idade entre 18 e 55 anos. Ambos 
estudos apresentavam populações que variavam, 
consideravelmente, na composição corporal e prática de 
atividade física. 
 
Foram aferidas medidas de dobras cutâneas (tricipital, 
subescapular, peitoral, axilar média, supra ilíaca, 
abdominal e coxa) 
 
 
46 
Jackson & Pollock (1978/1980) 
Equações Preditivas 
DC Homens: 1,12000000 - [0,00043499*(\u3a37DC)] + [ 0 , 0 0 0 0 0 0 5 
5 * (\u3a37 D C ) 2] - [0,00028826*(idade)] 
 
DC Mulheres: 1,09700000 - [0,00046971*(\u3a37DC)] + [ 0 , 0 0 0 0 0 0 5 
6 * (\u3a37 D C ) 2] - [0,00012828*(idade)] 
 
% Gordura Corporal= 4,95 \u2013 4,50 x100 
 DC 47 
48 
Equações Preditivas 
Limitações 
 
Não leva em consideração níveis de atividade física 
praticados pelos indivíduos. 
 
A idade é um dos fatores determinantes para as 
alterações da composição corporal \u2192 idade da 
população estudada foi heterogênea 
 
Treinamento do avaliador para aferir as dobras de 
forma padronizada 
 
49 
Menor custo dos aparelhos utilizados. 
 
Método não invasivo. 
 
Rapidez e facilidade para interpretação dos resultados. 
 
Boa correlação entre as medidas antropométricas e a 
densidade corporal. 
Dobras Cutâneas 
Vantagens 
50 
Este parâmetro avalia a reserva de tecido muscular 
e/ou reserva proteica somática (sem correção da 
área óssea). É obtida a partir dos valores da CB e 
da PCT (reserva adiposa). 
 
CMB (cm) = CB (cm) \u2013 0,314 x PCT (mm) 
 
 
 
 
 
 
 
(Cuppari, L., 2005). 
 
CIRCUNFERÊNCIA MUSCULAR DO 
BRAÇO (CMB) 
51 
REFERÊNCIAS PARA A CMB 
52 
ÁREA MUSCULAR DO BRAÇO CORRIGIDA 
(AMBC) 
 
 Avalia a reserva de tecido muscular corrigindo a área óssea. Reflete 
mais adequadamente a verdadeira magnitude das mudanças do 
tecido muscular do que a CMB. É obtida de acordo com o gênero 
por meio das fórmulas: 
 
 
Homem: 
 AMBc (cm2) = [CB (cm) \u2013 3,14 x PCT (mm) / 10]2 10 
 4 x 3,14 
 
Mulher: 
 
 AMBc (cm2) = [CB (cm) \u2013 3,14 x PCT (mm) / 10]2 6,5 
 4 x 3,14 
 
 
 
 
53 
REFERÊNCIA PARA A AMBC 
54 
EXAMES BIOQUÍMICOS 
A grande vantagem de utilização de marcadores 
bioquímicos se deve à maior acurácia e à confiabilidade 
nos resultados, porém também apresentam limitações. 
 
Por meio destes, é possível avaliar a 
condição da reserva de proteínas viscerais, somáticas e 
de competência imune. 
55 
MASSA PROTÉICA VISCERAL 
 
 
\uf0a2 A restrição alimentar prolongada, bem como as situações 
de injúria, comprometem a integridade visceral. 
 
\uf0a2 A maioria dos órgãos tem redução de sua massa 
proporcionalmente à perda de massa corpórea total, 
exceto o cérebro. 
56 
MASSA PROTÉICA VISCERAL 
 
o A dosagem de algumas proteínas sintetizadas por estes 
tecidos, em associação com outros parâmetros, são úteis 
na avaliação do comprometimento visceral e no 
diagnóstico nutricional. 
 
57 
MASSA PROTÉICA VISCERAL 
Albumina 
 
- É a mais abundante proteína circulante no plasma e dos 
líquidos extracelulares. 
 
- Exerce a função de