TCC CANCER DE MAMA
38 pág.

TCC CANCER DE MAMA


DisciplinaTcc em Enfermagem40 materiais2.994 seguidores
Pré-visualização3 páginas
UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MARANHÃO \u2013 UEMA
CENTRO DE ESTUDOS SUPERIORES DE BACABAL \u2013 CESB
CURSO DE ENFERMAGEM
ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM NA PREVENÇÃO DO CÂNCER DE MAMA FEMININO NA CIDADE DE VITORINO FREIRE-MA
Acadêmico: Michael do Espirito Santo de Matos
Orientadora: Prof.ª. Ms.: Ana Claudia de Almeida Varão
Bacabal
2016
INTRODUÇÃO
	Atualmente, o câncer de mama é considerado a neoplasia maligna mais frequentemente diagnosticada em mulheres no mundo. Tem sido observada a elevação significativa do número de novos casos da doença tanto em países desenvolvidos como em desenvolvimento (INCA, 2012).
	Segundo o INCA 2014, 
\u201cNo Brasil estima para 2014 e 2015, tenham diagnosticados 57.120 novos casos de câncer de mama com um risco estimado de 56,09 casos a cada 100 mil mulheres. Sem considerar os tumores de pele não melanoma, o câncer de mama é o tipo mais frequente nas mulheres das regiões Sudeste (71,18/ 100 mil), Sul (70,98/ 100 mil), Centro--Oeste (51,30/ 100 mil) e Nordeste (36,74/ 100 mil). Na região Norte, é o segundo tumor mais incidente (21,29/ 100 mil)\u201d. 
	No maranhão, a taxa bruta de incidência do CM por 100 mil habitantes é de 113,11 casos para as mulheres e de 101,53 casos para homens. A estimativa para 2014 era de 7,1 mil novos casos de câncer no estado \u2013 sendo 1,8 mil casos em São Luís \u2013, 3,7 mil casos para mulheres e 3,3 mil casos para homens. Entre os maranhenses diagnosticados com câncer, os casos mais comuns da doença são o câncer de próstata e do colo do útero (ALDENORA BELO; INCA, 2014).
	A partir dessas assertivas, o este estudo foi realizado no intuito de analisar o papel do enfermeiro na atenção e prevenção do câncer de mama feminino na cidade de Vitorino Freire\u2013MA.
JUSTIFICATIVA
Este estudo teve como finalidade analisar à atuação dos profissionais de enfermagem, principalmente o enfermeiro, da cidade de Vitorino Freire-MA, por sua abordagem prática, no que se refere a uma prevenção efetiva ao câncer de mama e as ações educativas relacionadas à doença, uma vez que estas quando bem desenvolvidas tem grande eficácia.
OBJETIVOS
Analisar o papel do enfermeiro na atenção e prevenção do câncer de mama na cidade de Vitorino Freire\u2013MA.
Identificar as ações de enfermagem frente à prevenção do câncer de mama;
Discriminar as ações preventivas desenvolvidas pela equipe de saúde na atenção básica em relação à prevenção do câncer de mama.
Objetivo Geral:
Objetivos Específicos:
REVISÃO DA LITERATURA
 Anatomia e Fisiologia Mamária
As mamas são órgãos binários, que se encontram na parede anterior do tórax, sobre os músculos da grande peitoral. Do lado externo, a mama, na sua área central, constata-se uma aréola e uma papila. 
Na papila mamária exteriorizam-se 15 a 20 aberturas ductais, que correspondem aos acessos de substâncias das partes funcionantes, que são os lobos mamários. É justaposta à parte superior ao ligamento peitoral maior, que cobre as costelas, estendendo em configuração perpendicular a partir no plano da segunda costela alcançando até a sexta ou sétima. 
Na horizontal é percebível localizá-la desde a margem do osso externo até próximo a linha imaginária demarcadora da terminação das axilas (SMELTZER et. al., 2009).
FISIOPATOLOGIA
O CM é o resultado de alterações mutagênicas que se acumulam durante a divisão celular, algumas ainda na fase de desenvolvimento das glândulas mamárias, por ocasião da puberdade (SMELTZER et. al., 2009).
O processo de carcinogênese, geralmente, ocorre de forma lenta, podendo levar vários anos, ou seja, o tempo para que uma célula cancerosa prolifere e origine um tumor visível. O desenvolvimento de um câncer de mama depende de um processo sequencial que origine um tumor visível, tendo as seguintes etapas: iniciação, promoção e progressão (SMELTZER et. al., 2009).
FATORES DE RISCO
Segundo o Instituto Nacional do Câncer (2015), os principais fatores de risco são:
Comportamentais/ambientais
Obesidade e sobrepeso após a menopausa; Sedentarismo; Consumo de bebida alcoólica; Tabagismo; Exposição frequente a radiações ionizantes (raios X, mamografia e tomografia).
História reprodutiva/hormonais
Primeira menstruação (menarca) antes de 12 anos; Não ter tido filhos; Primeira gravidez após os 30 anos; Não ter amamentado; Menopausa após os 55 anos; Uso de contraceptivos orais por tempo prolongado; Reposição hormonal pós-menopausa, principalmente por mais de cinco anos.
Hereditários/genéticos
História familiar de câncer de ovário; Vários casos de câncer de mama, principalmente antes dos 50 anos; Câncer de mama em homens.
Sinais e sintomas do câncer de mama 
	Os sinais e sintomas do CM incluem: 
Nódulos de vários tipos ou tamanhos que evoluem lentamente; 
Retração da pele ou do mamilo; 
Alteração da forma, tamanho, cor ou simetria; 
Pele enrugada devido infiltração por edema; 
Presença de secreção papilar purulenta ou sanguinolenta; 
Lesões, gânglios axilares infartados e dor que geralmente ocorre quando o estágio está avançado (INCA, 2015).
PREVENÇÃO PRIMÁRIA E SECUNDÁRIA
Na prevenção primária é fundamental informar a população sobre o carcinoma de mama e promover ações primordiais que favoreçam detecção precoce desta neoplasia. A educação em saúde é essencial, pois instrui a comunidade na elaboração de novos conhecimentos, proporcionando um hábito conhecedor de comportamentos preventivos (SILVA et al., 2009).
A prevenção secundária envolve ações para detecção precoce, compreendido por rastreamento. Para o carcinoma mamário, esta prevenção envolve o diagnóstico e o tratamento precoce, sendo assim, têm-se maiores chances de cura (OLIVEIRA et al., 2011).
DETECÇÃO PRECOCE DO CÂNCER DE MAM
Auto exame das Mamas
 
Segundo Machado (2009) o AEM não vem se mostrando efetivo em diminuir a mortalidade nos programas de detecção precoce quando utilizados isoladamente. Entretanto o mesmo ajuda a mulher a conhecer melhor o seu corpo e identificar possíveis alterações.
A prática do AEM tem como objetivo a detecção precoce do câncer de mama e cabe ao enfermeiro que essa prática seja estimulada constantemente, fazendo assim, com que a mulher conheça melhor seu corpo e crie hábitos de autoexame, visto ser este um dos métodos essenciais na detecção precoce do câncer de mama (MACHADO, 2009).
 Exame Clínico das Mamas
 
O ECM é um procedimento realizado por um médico ou enfermeiro treinado para esta ação. No exame podem ser identificadas alterações na mama e, se for indicado, serão realizados exames complementares com finalidade de detectar anomalias na mama ou avaliar sintomas mencionados pela mulher durante a consulta e assim detectar o câncer da mama palpável num estágio precoce (BRASIL, 2007).
Como tal, deve contemplar os seguintes passos para a sua adequada realização: a inspeção, palpação e o registro dos achados (BRASIL, 2004a).
Mamografia
A MMG constitui-se no exame mais confiável para a detecção precoce do câncer de mama, antes mesmo que este seja palpável ou apresente sintomas sugestivos de câncer. Estudos indicam que as neoplasias mamárias com crescimento lento podem ser identificadas pela MMG até 2 (dois) anos mais cedo, antes de que seja possível sua identificação através da palpação, e, consequentemente, em estágios menos avançados (STEIN et al., 2009).
A MMG tem sensibilidade entre 88% e 93,1% e especificidade entre 85% e 94,2%, e a utilização desse exame como método de rastreamento reduz a mortalidade em 25%. Deve ser feito em mulheres entre 50 e 69 anos, com intervalo máximo de dois anos, podendo também ser feito em mulheres assintomáticas, a partir dos 40 anos, associada ao autoexame mensal e exame clínico anual (BRASIL, 2007).
Ultrassonografia 
 
A ultrassonografia (USG) é recomendada às mulheres com idade igual ou superior a 35 anos, possibilitando a avaliação de mamas densas, nódulos palpáveis, sendo possível diferenciar sólidos de císticos, nódulos palpáveis com mamografia negativa e processos inflamatórios. Gestantes com alterações mamárias, orientações sobre necessidade de biopsias e punções