Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
saúde e doença 2017

Pré-visualização | Página 1 de 2

*
Saúde e Doença
)
*
Saúde x doença
Na antiguidade, quando das religiões, acreditava-se que a saúde era dádiva e a doença castigo dos deuses, com o decorrer dos séculos e com o advento das religiões a dádiva da saúde e o castigo da doença passou a ser da responsabilidade de um único Deus. No entanto, 400 anos AC, Hipócrates desenvolve o tratado “Os Ares e os Lugares” onde relaciona os locais da moradia, a água para beber, os ventos, com a saúde e a doença. Séculos mais tarde, as populações passam a viver em comunidade a crença de que a doença é transmitida pela inspiração de “gases” de animais e dejetos em decomposição (BUCK et al., 1988
*
Doença 
A doença não pode ser compreendida apenas por meio das medições fisiopatológicas, pois quem estabelece o estado da doença é o sofrimento, a dor, o prazer, enfim os valores e sentimentos expressos pelo corpo subjetivo que adoece (CANGUILHEM; CAPONI apud BRÊTAS e GAMBA, 2006). 
*
Saúde 
A saúde é silenciosa, geralmente não a percebemos em sua plenitude; na maior parte das vezes apenas a identificamos quando adoecemos. É uma experiência de vida, vivenciada no âmago do corpo individual. Ouvir o próprio corpo é uma boa estratégia para assegurar a saúde com qualidade, pois não existe um limite preciso entre a saúde e a doença, mas uma relação de reciprocidade entre ambas; entre a normalidade e a patologia, na qual os mesmos fatores que permitem ao homem viver (alimento, água, ar, clima, habitação, trabalho, tecnologia, relações familiares e sociais) podem causar doenças. 
*
Saude 
A saúde torna-se a capacidade que o ser humano tem de gastar, consumir a própria vida. Entretanto, é importante destacar que a vida não admite a reversibilidade, ela aceita apenas reparações. Cada vez que o indivíduo fica doente, está reduzindo o poder que tem de enfrentar outros agravos; ele gasta seu seguro biológico, sem o qual não estaria vivo (BRÊTAS e GAMBA, 2006)
*
*
Conceito de Saúde – Mais abrangente a partir do SUS 
Saúde é a resultante das condições de alimentação, educação, renda, meio ambiente, trabalho, transporte, emprego, lazer, liberdade, acesso e posse da terra, acesso a serviços de saúde.... resultado de formas de organização social de produção, as quais podem gerar profundas desigualdades no níveis de saúde. 
8a. Conferência Nacional de Saúde
*
Conceitos de Doença / Qualidade de vida
A doença é um sinal da alteração do equilíbrio homem-ambiente, estatisticamente relevante e precocemente calculável, produzida pelas transformações produtivas, territoriais, demográficas e culturais.
A qualidade de vida resulta da adequação das condições sócio-ambientais às exigências humanas.
*
História natural da doença
*
História natural da doença
	“as inter-relações do agente, do suscetível e do meio ambiente que afetam o processo global e seu desenvolvimento, desde as primeiras forças que criam o estímulo processo patológico no meio ambiente, ou em qualquer outro lugar; passando pela resposta do homem ao estímulo, até as alterações que levam a um defeito, invalidez, recuperação ou morte”
(Leavell & Clark, 1976) 
*
História natural da doença - Períodos
Período Pré-patogênico (epidemiológico)
Interação susceptível – ambiente
Período Patogênico
Pré-condições internas
*
ESCALA DO ESTADO DE SAÚDE
100
50
0
PRESENçA 
DE 
SA
Ú
D
E
 
Saúde ótima
Saúde sub-ótima
Doença
ou incapacidade declarada
Próximo da morte
Morte
100
50
0
AUSÊNCIA
 
DE 
SAÚD
E
*
HISTÓRIA NATURAL DE UMA DOENÇA NO HOMEM
*
ETIOLOGIA
*
MODELOS PARA REPRESENTAR FATORES ETIOLÓGICOS EM EPIDEMIOLOGIA
Modelo Biomédico
Cadeia de eventos
Rede de causas
Múltiplas causas – múltiplos efeitos
Modelos ecológicos
Tríade ecológica: agente, hospedeiro e meio ambiente
Dupla ecológica: hospedeiro e meio ambiente
Abordagem sistêmica da saúde
Etiologia social da doença
Vertente centrada no componente sócio-político (estrutura social)
Vertente centrada na influência dos fatores comportamentais (indivíduo)
*
FATORES DETERMINANTES DA DOENÇA
Endógenos: Fatores determinantes que, no quadro geral da ecologia da doença, são inerentes ao organismo e estabelecem a receptividade do indivíduo.
Herança genética.
Anatomia e fisiologia do organismo humano.
Estilo de vida.
Exógenos: Fatores determinantes que dizem respeito ao ambiente.
Ambiente biológico: determinantes biológicos.
Ambiente físico: determinantes físico-químicos.
Ambiente social: determinantes sócio-culturais.
*
DUPLA ECOLÓGICA: HOSPEDEIRO E MEIO AMBIENTE
Ambiente
Físico
Ambiente
Biológico
Ambiente
Social
 Interação complexa com o ambiente
HOMEM
Estilo de
Vida
Herança
Genética
Anatomia
Fisiologia
*
FATORES DETERMINANTES ENDÓGENOS
Genéticos:
Âmbito da Genética Médica
*
FATORES DETERMINANTES BIOLÓGICOS
Exógenos
Infecções
Varias espécies  
Âmbito da Microbiologia 
 e 
 Entomologia médicas 
O resultado do relacionamento da
população humana com uma ou
mais espécie com conseqüente
advento de diversos agravos à saúde.
*
FATORES DETERMINANTES FÍSICOS E QUÍMICOS
Naturais:
Previsíveis: Aqueles cuja ação, em boa parte, pode ser de antemão prevista, permitindo estimar as possíveis conseqüências e, desta forma, adotar medidas que possibilitem reduzir seus efeitos (a depender dos conhecimentos atingidos sobre o assunto).
Atmosfera: Clima.
Hidrosfera e litosfera: Carência de elementos essenciais ou presença de agentes indesejados.
*
FATORES DETERMINANTES FÍSICOS E QUÍMICOS
Naturais:
Imprevisíveis:
Acidentes naturais.
Desastres ou calamidades naturais.
Mortalidade
Morbidade (epidemias ou doenças infecciosas)
Desabilidades psicológicas
*
FATORES DETERMINANTES FÍSICOS E QUÍMICOS
Artificiais:
Acidentais: Acidentes ou desastres antrópicos.
Ambiente natural: “Efeito estufa”, “buraco na camada de ozônio”.
Ambiente antrópico: Impacto de tecnologias sofisticadas que, fora de controle, atingem o próprio ambiente antrópico (energia nuclear, acidentes com produtos químicos perigosos).
*
FATORES DETERMINANTES FÍSICOS E QUÍMICOS
Artificiais:
Produzidos: De uso programado e continuado (riscos antrópicos)  Poluição.
Poluição conseqüente (desenvolvimento industrial): Gases e partículas na atmosfera, substâncias químicas no meio hídrico e resíduos sólidos no meio terrestre.
Poluição pressentida (consecução de certa finalidade): Defensivos agrícolas, medicamentos, agentes tóxicos e nocivos usados em conflitos armados.
*
FATORES DETERMINANTES SOCIAIS
A aquisição de conhecimentos sobre os determinantes sociais parte do estudo da desigualdade social, tida como geradora de agravos à saúde, traduzidos em morbidade e mortalidade.
Categorias gerais desses determinantes:
Comportamentais
Psicossociais  Relacionados à personalidade do indivíduo.
Hábitos e estilos de vida: sexualidade, étnicos (relacionados à cultura), adquiridos.
Organizacionais
Estruturais
Ocupação
Família
Nível socioeconômico
Evolutivos  Relacionados ao Desenvolvimento
Intrasociais: convivência (mobilidade social); produção e desenvolvimento (apropriação dos recursos sociais); e competição.
Intersociais: agressões ao meio ambiente, migrações populacionais, intercâmbio social e conflitos.
*
MEDIDAS PREVENTIVAS
*
NÍVEIS DE PREVENÇÃO
*
*
Prevenção Primária
Promoção de Saúde
Moradia adequada
Alimentação adequada
Áreas de lazer
Escolas
Educação em todos os níveis
*
Prevenção Primária
Proteção Específica
Imunização
Saúde ocupacional
Higiene pessoal e do lar
Proteção contra acidentes
Aconselhamento genético
Controle dos vetores
*
Prevenção Secundária
Diagnóstico Precoce
Inquéritos para descoberta de casos na comunidade
Exames periódicos, individuais,
Página12