Experimento_1
6 pág.

Experimento_1


DisciplinaProjeto em Engenharia Elétrica/eletrônica I6 materiais75 seguidores
Pré-visualização2 páginas
1 
 
PROJETO EM ENGENHARIA ELÉTRICA/ELETRÔNICA I 
Prof. Marcio Tadeu 
 
Alunos: Turma: EEletr-5UNA 
1.Pitter Pio Pinto 01210459 
 
PRÁTICA 1 \u2013 DETERMINAÇÃO DA RESISTÊNCIA INTERNA DE UM VOLTÍMETRO E UM 
AMPERÍMETRO CC 
 
Objetivos: 1. Medir a resistência interna de um voltímetro e um amperímetro CC; 2. 
Determinar a constante característica de um voltímetro CC. 
Material Utilizado: - Fonte de tensão CC; - Kit de montagem com resistores fixos e fios; - 
Voltímetro digital CC; - Multímetro analógico; - Década resistiva. 
Introdução Teórica: Tanto o voltímetro quanto o amperímetro são instrumentos de medidas 
de grandezas elétricas, onde há uma resistência interna. 
O voltímetro é utilizado para medir a tensão aplicada a um circuito. Muitos voltímetros, na 
verdade, são amperímetros com uma resistência interna muito alta. Essa resistência tem que 
ser a mais alta possível, pois a medida é realizada em paralelo com o ponto em que se quer 
saber a tensão. Um voltímetro ideal seria aquele com uma resistência interna infinita, assim 
não permitiria a passagem de corrente elétrica por ele. Mas um voltímetro real apresenta uma 
resistência finita. 
O voltímetro pode ser construído a partir de um galvanômetro, normalmente os voltímetros 
analógicos. 
O galvanômetro é um instrumento muito sensível cuja característica principal é ter um 
ponteiro que sofre uma deflexão quando por ele passa uma corrente elétrica. 
 
Quando uma corrente elétrica atravessa a bobina, esta interage com o campo magnético do 
imã e esta interação depende do valor e sentido da corrente. Observamos, então, o 
aparecimento de um torque sobre a bobina que provoca uma deflexão no ponteiro. Esta 
deflexão é proporcional à corrente elétrica e é contrabalançada por uma mola até que o 
ponteiro atinja uma posição de equilíbrio. 
O amperímetro é utilizado para medir o fluxo de corrente em uma parte do circuito. Este é 
ligado em série com o ponto em que se quer saber a corrente. O amperímetro ideal seria 
aquele com resistência interna nula. Como é impossível, ao se fazer uma medida de corrente, 
introduz um erro gerado pela modificação causada no circuito gerado pela resistência interna 
do amperímetro. 
 
 
2 
 
PROJETO EM ENGENHARIA ELÉTRICA/ELETRÔNICA I 
Prof. Marcio Tadeu 
Parte Prática: 
PARTE 1: DETERMINAÇÃO DA RESISTÊNCIA INTERNA DE UM VOLTÍMETRO CC 
 
PRIMEIRO MÉTODO 
 
(a) Mantendo a fonte de tensão inicialmente zerada e desligada, monte o circuito da Figura 1 
onde o voltímetro digital e o amperímetro analógico estão dispostos em série. Coloque o 
voltímetro no fundo de escala de 20 V e o amperímetro com fundo de escala de 50\uf06d A. 
 
 
 
 
 
 
 
 
(b) Ligue a fonte e aumente paulatinamente a tensão fornecida ao circuito. Anote os valores 
das correntes registrados pelo amperímetro quando a tensão no voltímetro indicar 6,0 V; 12 V 
e 20,0 V. Registre também a tensão de saída da fonte. 
 
 
(c) Em seguida, para cada um dos valores medidos de tensão no voltímetro e corrente no 
amperímetro, calcule o valor da resistência do voltímetro (RV) para o fundo de escala 
utilizado. Determine o valor mais provável da resistência interna RV. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
SEGUNDO MÉTODO 
 
(a) Estabeleça uma diferença de potencial (ddp) nos terminais da fonte E igual à indicação do 
fundo de escala de 20 V do voltímetro digital fornecido. Fixe esta tensão na fonte e desligue-a. 
Monte o circuito da Figura 2. Use o voltímetro no fundo de escala (F.S.) de 20 V e tome para R 
o valor da resistência R1 de 3,9k ohms. 
 
Tensão da Fonte (E) Tensão no Voltímetro (UV) Corrente no Amperímetro (IA) 
6,0V 6,0 V 3\uf06dA 
12,1V 12,0 V 5\uf06dA 
20,1V 20,0 V 9\uf06dA 
- 
+ 
- + 
E 
A 
+ 
V 
- 
Figura 1 
 
3 
 
PROJETO EM ENGENHARIA ELÉTRICA/ELETRÔNICA I 
Prof. Marcio Tadeu 
 
 
 
 
 
 
 
 
(b) Em seguida ligue a fonte. Registre na tabela abaixo os valores de E, e da indicação do 
voltímetro UV. Repita este procedimento para os resistores R2 e R3 de 10k ohms e 33k ohms, 
respectivamente. 
 
 
 
 
 
 
 
(c) Em seguida, para cada um dos valores registrados na tabela acima, calcule o valor da 
resistência do voltímetro (RV) para o fundo de escala utilizado. Determine o valor mais 
provável da resistência interna RV. 
 (
 
 
) 
 
 (
 
 
) 
 
 (
 
 
) 
 
 (
 
 
) 
 
 
PARTE 2: DETERMINAÇÃO DA RESISTÊNCIA INTERNA DE UM AMPERÍMETRO CC 
 
(a) Mantendo a fonte de tensão inicialmente zerada e desligada, monte o circuito da Figura 3. 
O resistor R tem um valor fixo de 680 ohms. RD é uma caixa com resistores ajustáveis (década 
resistiva). O amperímetro analógico deve estar inicialmente no fundo de escala de 5 mA. As 
chaves ch1 e ch2 devem estar abertas e o valor inicial de resistência na década da ordem de 
31 ohms. 
 
 
 
 
 
 
 
 
Tensão da Fonte (E) Resistores (R) Tensão no Voltímetro (UV) 
20,0V 3,9 k\uf057 19,90V 
20,0V 10 k\uf057 19,85V 
20,0V 33 k\uf057 19,63V 
Figura 2 
Figura 3 
R 
- 
+ 
E 
+ 
V 
- 
- 
+ 
E 
A 
R 
Ch1 
RD 
Ch2 
 
4 
 
PROJETO EM ENGENHARIA ELÉTRICA/ELETRÔNICA I 
Prof. Marcio Tadeu 
(b) Feche a chave Ch1. Ligue a fonte e aumente paulatinamente o valor da tensão até que a 
indicação do amperímetro seja a mesma do fundo de escala, ou seja, 5 mA. Anote o valor da 
tensão E da fonte. 
EF = 3,7V 
 
(c) Em seguida, feche a chave Ch2 e ajuste o valor de resistência da década até que a corrente 
indicada no amperímetro seja a metade do valor de fundo de escala do ítem anterior. Registre 
o novo valor desta resistência RD. Zere e desligue a fonte. Abra as chaves Ch1 e Ch2. 
RD = 57\u2126 
 
(d) No circuito da Figura 3, substitua R por um resistor de 100 ohms. Coloque o amperímetro 
analógico no fundo de escala de 50 mA. Repita os procedimentos (b) e (c). 
EF = 5,8V 
RD =7\u2126 
 
(e) Determine a resistência interna no amperímetro fornecido quando no fundo de escala de 5 
mA e quando no fundo de escala de 50 mA. 
 
 
Para escala 5mA: 
 
R= 680\u2126 
RD=57\u2126 
E=3,7V 
RA= ? 
I1=5,0mA 
I2= ? 
I3=2,5mA 
 
Sendo 
I1+ I2= I3 
Temos: 
I2= I3 - I1 
I2 =2,5mA \u2013 5,0mA 
I2 = -2,5mA 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Para escala 50mA: 
 
R= 100\u2126 
RD=7\u2126 
E=5,8V 
RA= ? 
I1=50,0mA 
I2= ? 
I3=25,0mA 
 
Sendo 
I1+ I2= I3 
Temos: 
I2= I3 - I1 
I2 =25mA \u2013 50mA 
I2 = -25,0mA 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
5 
 
PROJETO EM ENGENHARIA ELÉTRICA/ELETRÔNICA I 
Prof. Marcio Tadeu 
Exercícios: 
(a) Demonstre para o circuito da Figura 2 que 
R
UE
U
R
V
V
V \uf0f7\uf0f7
\uf0f8
\uf0f6
\uf0e7\uf0e7
\uf0e8
\uf0e6
\uf02d
\uf03d
. 
 
 
 
 
 , sendo , temos 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Portanto (
 
 
) . 
 
(b) Qual dos dois circuitos, o da Fig. 1 e o da Fig. 2, permitem determinar a resistência interna 
do voltímetro com melhor precisão? 
O da figura 1, pois a variação entre as medidas da resistência é menor, o da figura 2 a 
variação é muito grande.