O Poder Constituinte Derivado
2 pág.

O Poder Constituinte Derivado


DisciplinaDireito Constitucional I52.384 materiais1.375.636 seguidores
Pré-visualização1 página
O Poder Constituinte Derivado 
Direito Constitucional 
Conceito 
O poder constituinte derivado é responsável pela alteração do texto segundo as 
regras instituídas pelo poder constituinte originário. 
Este poder caracteriza-se por possuir limitações, ser condicionado juridicamente 
e ser um poder instituído. 
A Constituição de 1988 estabeleceu possibilidades para o poder derivado 
pudesse demonstrar sua manifestação através de Reforma (CF, art.60) ou de Revisão 
(ADCT - Atos das Disposições Constitucionais Transitórias, art. 3º). 
Limitações impostas ao poder constituinte reformador 
Limitações temporais 
Esta limitação consiste na proibição de reformar determinados dispositivos 
durante certo período de tempo após a promulgação da Constituição de 1988, no entanto 
a mesma não foi imposta limitação temporal ao poder reformador. 
Seu objetivo é estabelecer um lapso temporal a fim de que os novos institutos 
possam estabilizar-se. 
Limitações circunstanciais 
Estas limitações são normas aplicáveis a situações excepcionais, de extrema 
gravidade, nas quais a livre manifestação do poder derivado reformador possa estar 
ameaçada. 
Exemplo, tal limite proibi que alterações ou reforma sejam feitas na constituição 
durante a vigência de intervenção, estado de defesa ou estado de sitio (CF, art. 60, § 1º). 
Limitações formais (processuais ou procedimentais) 
Esta limitação é dividida em duas, a subjetiva e objetiva. 
A limitação formal subjetiva é relacionada à competência para propositura e 
emendas à constituição. A iniciativa para a proposta de emenda é menos ampla que a 
iniciativa geral das leis (CF, art. 61), sendo o presidente da republica o único legitimado 
para apresentar proposta em ambos os casos. 
A limitação formal objetiva é referente ao processo de discussão, votação, 
aprovação e promulgação das propostas de emenda. A proposta de emenda deve ser 
discutida e votada em cada Casa do Congresso Nacional. 
Limitação material (ou substanciais) 
Esta limitação se divide em duas partes superior e inferior. 
Os limites inferiores estão relacionados à inserção de certas matérias no texto da 
constituição. Tendo em vista a inexistência de uma reserva de matéria constitucional 
estabelecida pelo legislador, não há nenhum óbice a que um novo assunto ou conteúdo 
seja inserido no texto da Lex Fundamentalis. 
Os limites superiores são impostos pelo poder constituinte originário na tentativa 
de preservar a identidade material da constituição, impedindo a violação de 
determinados direitos, princípios e instituições. Tais limitações são as Clausulas 
Pétreas. 
Clausulas Pétreas 
Limitações materiais ao poder constitucional derivado reformador. (superiores) 
Para fins didáticos estas cláusulas pétreas podem ser divididas em três grupos: 
I. Cláusulas Pétreas Expressas, consagrando-a textualmente na 
Constituição; (CF, art. 60, § 4º). 
II. Cláusulas Pétreas Decorrentes, das cláusulas pétreas expressas; 
III. Cláusulas Pétreas Implícitas, quando imprescindíveis à caracterização da 
identidade material da Constituição. 
 
Limitações Reforma 
(CF, art. 60) 
Revisão 
(ADCT, art.3º) 
Temporais - Não há - 5 anos 
Circunstanciais - Int. Federal, Estado de Defesa ou E. Sitio - Idem 
Formais - Subjetivas: Iniciativa (1/3 dos membros CD ou SF; 
PR; + de 50% das AL, pela MR de seus membros); 
- Objetivas: 3/5 dos membros (CD e SF); 2 T; 
promulgação: mesas (CD e SF); impossibilidade de 
reapresentação na mesma SL. 
- Não há sanção ou veto em PEC 
- Quorum de 
aprovação; MA 
(Membros CN) 
- Sessão unicameral 
Materiais CP Expressas: forma federativa; voto (direito, 
secreto, universal e periódico); separação dos 
poderes; D/G individuais. 
CP Implícitas: art.60 
- Idem