A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
bioquimica medicina vol 3

Pré-visualização | Página 26 de 50

T4livre (pmol/L) 8 10 – 27 
Testosterona (nmol) 4 10 – 30 
LH (U/L) 1,0 1,5 – 9,0 
FSH (U/L) 0,9 1,5 – 9,0 
Prolactina (mU/L) 40 60 – 390 
(Legenda: TSH – tirotrofina; T 4 – tiroxina; LH – luteotrofina; FSH – folículo-
-estimulina). 
Questões:
(a) Interprete os resultados apresentados e indicar uma possível anomalia 
necessários para o seu esclarecimento. 
(b) Explique os mecanismos que controlam a produção e secreção de cada 
uma das hormonas analisadas no presente problema. 
(c) Justificar a determinação das hormonas LH, FSH e prolactina no presen-
te caso.
Problema nº 9
A.P.C., sexo feminino, 63 anos de idade, foi à consulta do seu médico 
assistente por referir tumefacção na região anterior do pescoço, com 
pelo menos 1 ano de duração, com algum crescimento recente, mas sem 
sintomatologia local, isto é sem dor, sem disfagia, sem dispneia e sem 
disfonia. Referia, nos últimos 6 meses, a instalação progressiva de ner-
vosismo, ansiedade, palpitações e intolerância ao calor, com perda 
104 Problemas e Casos Clínicos104 Problemas e Casos Clínicos 
ponderal de cerca de 5 kg, apesar de manter o apetite, sem alterações 
do trânsito intestinal. A doente não apresentava hábitos tabágicos ou 
alcoólicos e referia apenas a utilização esporádica de analgésicos do 
tipo do ácido acetilsalicílico em situações de síndrome gripal. Na res-
tante história pregressa e a história familiar não foram detectados 
outros dados relevantes. 
No exame objectivo registava-se uma doente calma com bom estado 
geral de saúde, apirética com altura – 1,55 m e peso – 54 kg, sem ede-
mas ou adenopatias generalizadas e sem exoftalmia. A tensão arterial 
era de 120/75 mmHg e a frequência cardíaca de 112 ppm. A palpação 
da tiroideia evidenciava vários nódulos moles, sem alterações inflama-
tórias locais e sem adenopatias regionais. O restante exame objectivo 
era negativo nomeadamente no que diz respeito à auscultação cardio-
pulmonar.
Nos exames laboratoriais ao sangue destacam-se os seguintes resulta-
dos:
T3 – 263 ng/dL (75-175 ng/dL); T4 – 16,2 Pg/dL (4-12 Pg/dL) e TSH – 
2,2 mUI/mL (0,5-4 PUI/mL).
A ecografia da tiroideia realizada na mesma altura revelava tiroideia glo-
balmente aumentada – lobo direito 63x26x18 mm e lobo esquerdo 
72x34x22 mm, com vários nódulos heterogéneos sendo os maiores dimen-
sões de 43x26 mm à esquerda e de 32x25 mm à direita. O Rx da sela turca 
evidenciava-a com dimensões claramente aumentadas, com aparente 
duplo contorno do pavimento. Foi decidido o internamento da doente. 
Questões:
(a) Destacar da história as principais anomalias bioquímicas e caracterizar a 
que alterações se referem; 
(b) Interpretar os resultados observados em função da história clínica; 
(c) Explicar o mecanismo de síntese e degradação das hormonas referidas. 
Problema nº 10 
Homem com 36 anos de idade, locutor de televisão, consultou o seu 
médico com queixas de hipersudação que o embaraçavam bastante 
durante os programas que estava obrigado profissionalmente. O médico 
assistente, que não via o doente há algum tempo, notou que as feições 
deste lhe pareciam mais tumefactas e grosseiras. O doente também refe-
riu que precisava de comprar sapatos mais largos, pois os que habi-
tualmente usava ficavam-lhe apertados. Notava impotência desde há 
meses. 
105 Bioquímica em Medicina – Vol. IIIBioquímica em Medicina – Vol. III 105
Na observação clínica foi detectada hipertensão arterial e glicosúria. O 
campo visual estava normal e, por exame de ressonância magnética, foi 
detectada a existência de um adenoma pequeno na sela turca. Dos exa-
mes laboratoriais realizados, observou-se (no soro):
A. Determinações hormonais 
Colesterol (mmol/L) 6,5 (VR: < 5,2) 
T41ivre (pmol/L) 18 (VR: 9 – 23) 
TSH (mU/L) 1,3 (VR: 0,15 – 3,5) 
Testosterona (nmol/L) 7 (VR: 10 – 30) 
LH (U/L) 1,1 (VR: 1,5 – 9,0) 
FSH (U/L) 1,4 (VR: 1,5 – 9,0)
Prolactina (mU/L) 960 (VR: 60 – 390) 
(Legenda: T4 – tiroxina; TSH – tirotrofina; LH – luteotrofina; FSH – folículo 
estimulina); 
B. Teste de tolerância à glicose:
Minutos Glicemia (mmol/L) GH** (mU/L) 
0* 9,2 25 
30 15,8 22 
60 14,1 20 
90 13,6 22 
120 13,5 21 
* Glicose (em jejum) VR: 2, 8-6, 0 mmol/L; ** GH: VR <10 mU/L 
Questões:
(a) Numa respectiva bioquímica, interpretar os resultados apresentados; 
(b) Explicar os mecanismos que controlam a produção e reacção de cada 
uma das hormonas analisadas no presente problema. 
(c) Justificar a inclusão da determinação das gonadotrofinas e da prolactina 
no presente caso.
(d) Com base nos resultados do teste de tolerância à glicose, caracterizar o 
metabolismo glicídico e possíveis consequências metabólicas (através 
das vias específicas e locais de acção), se a situação não tiver correcção 
terapêutica;
(d) Justificar os valores da GH ao longo do teste de tolerância à glicose; 
(e) Explicar a natureza, mecanismos de acção, efeitos bioquímicos e meca-
nismo regulador da secreção da GH. 
106 Problemas e Casos Clínicos
106 Problemas e Casos Clínicos 
Problema nº 11 
Mulher de 56 anos faz exames laboratoriais para ser operada a um ade-
noma mamário. Não apresentava queixas, exceptuando a perda de visão e 
algumas dores ósseas. Havia sido tiroidectomizada, cerca de 2 anos 
antes, por bócio multimodular, fazendo terapêutica tiroideia de substi-
tuição desde então. 
No exame objectivo foram observados os sinais de Chvoestec e Trous-
seau. Nos exames laboratoriais pré-operatórios, observaram-se os 
seguintes resultados (soro): 
Parâmetros Resultados Valores de Referência 
Cálcio (mmol/L) 1,60 2,2 – 2,6 
Fosfato (mmol/L) 2,53 0,8 – 1,4 
Albumina (g/L) 44 35 – 50 
Fosfatase alcalina (IU/L) 76 30 – 90 
Questões:
(a) Sugerir possíveis explicações para a situação referida através dos meca-
nismos envolvidos; 
(b) Indicar as formas de transporte de cálcio e fosfato no soro; 
(c) Se a concentração de albumina fosse inferior ao normal, influenciaria a 
proporção das diferentes formas de cálcio sérico? Justificar; 
(d) Apresentar as principais funções do cálcio no organismo e explicar os 
possíveis efeitos de uma diminuição acentuada dos seus valores; 
(e) Se o indivíduo apresentar alcalose metabólica, poderá afectar significati-
vamente as funções apresentadas na forma activa do cálcio? Justificar. 
Problema no 12 
LR, 37 anos de idade, sexo masculino, experimentador de automóveis, é 
transportado de urgência do emprego ao hospital, por coma súbito. Os 
colegas que o acompanham referem que o doente tem, desde há algum 
tempo crises matinais frequentes de tonturas e fome intensa, em particu-
lar depois de alguns esforços ou caminhar. A situação normaliza-se 
depois de ingerir algum alimento. O doente também lhes parece mais 
nervoso e irritável. 
No exame objectivo, o doente evidenciava alguma obesidade, a pele está 
pálida e fria, mãos suadas. Ausência de anomalias cardiotorácicas, 
abdominais ou de alterações neurológicas focais. 
Nos exames laboratoriais ao sangue destacaram-se os seguintes resultados: 
107 Bioquímica em Medicina – Vol. III
Bioquímica em Medicina – Vol. III 107
 Parâmetros Resultados Valores de referência 
Sangue total 
Hb (g/dL) 14, 5 13 – 15 
Ht (%) 44 40 – 45 
Soro/plasma
Ureia (mg/dL) 30 20 – 40 
Creatinina (mg/dL) 0,9 0,8 – 1,0 
Glicose (mg/dL) 38 60 – 105 
Insulina (nmol/L) 0,26 0,13 – 0,22 
 Péptido C (nmol/L) 1,50 0,65 – 0,92 
Por tomografia axial computorizada do abdómen observou-se massa na 
cauda do pâncreas, sendo diagnosticado Insulinoma. 
Questões:
(a) Interpretar a situação; 
(b) Justificar o mecanismo