A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
bioquimica medicina vol 3

Pré-visualização | Página 38 de 50

Resultados laboratoriais: 
152 Problemas e Casos Clínicos
152 Problemas e Casos Clínicos 
Parâmetros Resultados Valores de referência 
H+ (nmol/L) 44 35 – 45 
PaCO2 (kPa) 9,3 4,4 – 5,6 
PaO2 (kPa) 4,0 12 -15 
HCO3- (nmol/L) 40 22 – 26 
P50 (kPa) 2,93 3,47 – 3,73 
Questões:
(a) Caracterizar o estado do equilíbrio ácido-base; 
(b) Explicar o significado da P50 e mecanismos envolvidos; 
(c) Explicar o possível envolvimento da eritropoietina na situação, caracteri-
zação bioquímica e respectivo mecanismo de acção.
Problema nº 21 
OD, 62 anos, sexo feminino, reformada, em pós-operatório de apendico-
patia de emergência. 
Apresenta sinais de progressiva deterioração física e falta de forças. Não 
apresenta febre, hemorragia ou sinais de infecção. Imediatamente antes 
da intervenção evidenciava funções renal e cardíaca normais. Tensão 
arterial = 120/80mmHg. 
Nos exames laboratoriais realizados (3 dias depois da operação) desta-
cavam-se:
 Parâmetros Resultados Valores de referência 
No soro:
Na+ 125 mEq/L 135 – 145 
K+ 4,2 mEq/L 3,6 – 5,0 
Cl- 77 mEq/L 95 – 105 
HCO3- 32 mEq/L 22 – 30 
Ureia 21,4 mEq/L 3,3 – 6,7 
Creatinina 145 Pmol/L 60 – 120 
Na urina:
Osmolalidade 920 mOsm/Kg H2O < 1400 
Na+ < 10 mEq/L 120 – 290 
 K+ < 15 mEq/L 25 – 50 
Questões:
(a) Caracterizar a situação hidro-electrolítica; 
(b) Interpretar os valores de ureia e da creatinina em relação com a situação; 
(c) Analisar a função renal, pelos resultados apresentados; 
(d) Identificar possíveis mecanismos de compensação entretanto desenca-
deados.
153 Bioquímica em Medicina – Vol. IIIBioquímica em Medicina – Vol. III 153
Problema nº 22 
Homem de 28 anos, talhante, é internado por vómitos acentuados que 
persistem há várias semanas. 
Na admissão apresentava sinais de intensa desidratação, respiração 
superficial e pulso muito acelerado. Dos exames laboratoriais requeridos 
imediatamente, observou-se os seguintes valores: 
 Parâmetros Resultados Valores de referência 
Soro:
Na+ 148 (mEq/L) 135 – 145 
K+ 2,8 (mEq/L) 3,6 – 5,0 
Cl- 83 (mEq/L) 95 – 105 
HCO3- 41 (mEq/L) 22 – 30 
Ureia 31 (mmol/L) 3,3 – 6,7 
Creatinina 126 (Pmol/L) 60 – 120 
Urina:
Osmolalidade 630 mOsm/Kg/H2O < 1400 
Na+ < 20 (mEq/L) 120 – 290 
K+ < 35 (mEq/L) 25 – 50 
 pH 5 5,5 – 6,5 
Questões:
(a) Caracterizar a situação quanto ao equilíbrio electrolítico e explicar o 
mecanismo das principais anomalias, considerando a história apresentada; 
(b) Quais são os sinais de desidratação mais comuns e de que modo se adap-
ta bioquimicamente o organismo aquela situação? 
(c) Existe indicativo de anomalias do equilíbrio ácido-base? Justificar; 
(d) Pelos valores de potássio apresentados haverá motivos para estar atento à 
função cardíaca? Justificar; 
(e) Explicar as alterações verificadas na ureia e creatinina. 
Problema nº 23 
Determinado indivíduo apresenta sinais de desidratação.
Questões:
(a) Caracterizar o balanço hídrico da situação em relação ao volume normal 
dos compartimentos corporais; 
(b) Em que compartimento (s) tem repercussões a situação; 
(c) Quais são as causas comuns e consequências metabólicas e funcionais da 
situação referida; 
(d) Identificar estímulos e mecanismos de regulação intervenientes; 
(e) Caracterizar a resposta hormonal e os mecanismos que intervêm no 
desenvolvimento dessa resposta. 
154 Problemas e Casos Clínicos154 Problemas e Casos Clínicos 
Problema nº 24 
Mulher com 64 anos foi internada por carcinoma do cólon a requerer 
intervenção cirúrgica. Havia referência a perda de peso, anorexia e per-
da de regularidade fecal. 
A doente estava um pouco pálida, tinha tensão arterial normal, e não reve-
lava sinais de edema. Nos exames laboratoriais de rotina observou-se: 
Parâmetros Resultados Valores de referência 
Soro:
Na+(mmol/L) 123 135 – 145 
K+ (mmol/L) 3,9 3,4 – 4,9 
Cl- (mmol/L) 86 95 – 105 
HCO3- (mmol/L) 22 21 – 28 
Ureia (mmol/L) 6,2 2,5 – 8,0 
Creatinina (Pmol/L) 115 40 – 130 
Osmolalidade (mOsm/Kg/H2O) 243 275 – 295 
Urina:
Osmolalidade (mOsm/Kg/H2O) 178 50 – 1250 
Sangue total
Hemoglobina (g/dL) 10,8 12 – 14 
Hematócrito (g/dL) 33 37 – 45 
Contagem eritrocitária (milhões/L) 4,2 4 – 5 
Siderémia (Pmol/L) 8 14 – 30 
Transferrina total (Pmol/L) 46 23 – 45 
% Saturação da transferrina (%) 15 30 – 50 
Ferritina (Pg/L) 10 15 – 300 
Questões:
(a) Interpretar a situação numa perspectiva bioquímica; 
(b) Caracterizar a distribuição e identifique os dois principais factores que 
influenciam as trocas de água e de electrólitos entre os compartimentos 
corporais, destacando as principais diferenças e as semelhanças relativas; 
(c) Explicar a regulação do equilíbrio hídrico em condições normais e o que 
poderá ter sucedido na presente situação; 
(d) Explicar a regulação do equilíbrio de sódio e cloreto em condições nor-
mais e a anomalia da presente situação; 
(e) Justificar através de mecanismos bioquímicos específicos (síntese e 
regulação), as anomalias hematológicas apresentadas pelo doente e qual 
a relação com hipoxia tecidual, na origem do sistema apresentado. 
155 Bioquímica em Medicina – Vol. IIIBioquímica em Medicina – Vol. III 155
Problema nº 25 
Num determinado indivíduo com diabetes mellitus insulino dependente, 
observaram-se os seguintes valores laboratoriais (no soro): 
Na+= 141 mmol/L; K+= 4,5 mmol/L; HCO3-= 22 mmol/l; Cl- = 102 
mmol/L; ureia= 5,1 mmol/L; glicose = 7 mmol/L. 
Questões:
a) Calcular o valor da osmolaridade sérica; 
b) Interpretar a situação 
c) Indicar os mecanismos de compensação intervenientes. 
Problema nº 26 
ZP, 68 anos de idade, medicada há mais de vinte anos com digoxina por 
sofrer de insuficiência cardíaca, foi à consulta do seu médico com quei-
xas de mal-estar e náuseas. 
A doente apresentava bradicardia e sinais de desidratação, pelo que lhe 
foram requisitadas algumas análises: 
 Parâmetros Resultados Valores de referência 
 Ureia 17,8 mmol/L 2,5 – 8,0 
Creatinina 150 µmol/L 40 – 130 
Na+ 131 mEq/L 135 – 145 
K+ 3,0 mEq/L 3,5 – 5,0 
Cl- 86 mEq/L 95 – 105 
 HCO3- 19 mEq/L 24 – 48 
A concentração de digoxina, determinada após a ingestão matinal de 
0,125 mg do medicamento, foi igual a 3,1 mmol/L (nível terapêutico ade-
quado = 0,7 – 2,5) 
Questões:
(a) Os valores obtidos confirmam a desidratação aparente? Justificar; 
(b) Interpretar o balanço iónico observado; 
(c) Poderá concluir que a doente evidenciava sinais de acidose metabólica? 
Justificar.
Problema no 27 
AB, 25 anos de idade, sexo feminino, queixa-se desde há cerca de 2 meses 
de sede excessiva e poliúria (também com nictúria), sendo a urina muito 
clara. Desde então, bebe vários litros de água por dia. Não sofria antes 
156 Problemas e Casos Clínicos156 Problemas e Casos Clínicos 
de qualquer doença nem havia antecedentes patológicos pessoais de 
familiares relevantes. 
Na observação, o doente apresenta pele e mucosas secas, ligeira taqui-
cardia, pressão arterial normal, sem alterações visuais ou retinianas; 
restante exame físico e mental normal. 
No exame laboratorial ao sangue destaca-se aumento da osmolalidade 
sérica (320 mOsm/L; VR: 270-301), hipernatremia (152 mEq/L; VR: 136-
-145); e glicemia normal. O exame na urina evidenciava valores baixos 
de densidade (< 1,006) e osmolalidade (< 200 mOsm/L). 
Questões:
(a) Interpretar a presente situação; 
(b) Justificar as alterações da osmolalidade sérica e urinária