A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
AVALIANDO APRENDIZADO

Pré-visualização | Página 1 de 1

HISTÓRIA DO DIREITO BRASILEIRO
	Simulado: CCJ0105_SM_201707015741 V.1 
	Aluno(a): BEATRIZ VIANNA DE CASTRO
	Matrícula: 
	Desempenho: 0,5 de 0,5
	Data: 19/09/2017 13:22:20 (Finalizada)
	
	 1a Questão (Ref.: 201707132606)
	Pontos: 0,1  / 0,1
	ONGs acusam Brasil na ONU de tortura e violência contra pobres (ANA FLOR, da Folha de S.Paulo, 06/05/2009 - 09h35)
O governo do Brasil passou pelo constrangimento de ouvir, nos últimos dois dias, na 42ª sessão do Comitê de Direitos Econômicos, Sociais e Culturais da ONU, em Genebra, denúncias que o responsabilizam pela violência praticada contra a população, em especial a mais pobre.
O país foi denunciado em relatórios apresentados pelas ONGs Justiça Global, Movimento Nacional de Meninos, Meninas de Rua,  Organização Mundial Contra a Tortura e o Comitê Latino-Americano e do Caribe para a Defesa dos Direitos da Mulher. São citados casos de mortes e torturas em presídios, de violência policial em favelas e de ação de milícias.(...)
A Constituição de 1824, em seu art. 179, tratou do tema tortura pelo poder público. analise as seguintes assertivas:
I. A tortura sempre foi permitida no Brasil;
II. A Constituição de 1824, de influência Iluminista, vedava, em tese, a prática da tortura;
III. A Constituição de 1824, tal como a Constituição de 1988, veda a prática da tortura, porém, neste aspecto, as Cartas brasileiras não possuem, ainda, a eficácia objetivada pelo texto;
IV. O Brasil já superou o problema da violência e hoje é uma dos mais igualitários países do  mundo.
Estão corretas, as seguintes assertivas:
		
	 
	III e IV;
	 
	somente a II.
	 
	I e II;
	 
	II e III;
	 
	I e IV;
		
	
	
	 2a Questão (Ref.: 201707863792)
	Pontos: 0,1  / 0,1
	O fato marcante do fim do domínio português e a conquista da autonomia política, foi através de um ato praticado na vigência do Brasil colônia, onde o brasil deixava de ser colônia de Portugal, este ato foi praticado por: É correto o que se afirma em:
		
	
	Tiradentes
	
	Marechal Deodoro da Fonseca
	
	Getúlio Vargas
	 
	Dom Pedro
	
	Marechal Floriano Peixoto
		
	
	
	 3a Questão (Ref.: 201707799924)
	Pontos: 0,1  / 0,1
	2) (ENEM 2010) O artigo 402 do Código penal Brasileiro de 1890 dizia: Fazer nas ruas e praças públicas exercícios de agilidade e destreza corporal, conhecidos pela denominação de capoeiragem: andar em correrias, com armas ou instrumentos capazes de produzir uma lesão corporal, provocando tumulto ou desordens. Pena: Prisão de dois a seis meses. (SOARES, C. E. L. A Negregada instituição: os capoeiras no Rio de Janeiro: 1850-1890. Rio de Janeiro: Secretaria Municipal de Cultura, 1994 - adaptado). O artigo do primeiro Código Penal Republicano naturaliza medidas socialmente excludentes. Nesse contexto, tal regulamento expressava:
		
	
	a manutenção de parte da legislação do Império com vistas ao controle da criminalidade urbana.
	
	o poder do regime escravista, que mantinha os negros como categoria social inferior, discriminada e segregada.
	
	a defesa do retorno do cativeiro e escravidão pelos primeiros governos do período republicano.
	 
	a criminalização de práticas culturais e a persistência de valores que vinculavam certos grupos ao passado de escravidão.
	
	o caráter disciplinador de uma sociedade industrializada, desejosa de um equilíbrio entre progresso e civilização.
		
	
	
	 4a Questão (Ref.: 201707617571)
	Pontos: 0,1  / 0,1
	Sobre o processo abolicionista no Brasil e o advento das chamadas Leis Abolicionistas, é possível afirmar que:
		
	
	O processo abolicionista foi rápido porque recebeu a adesão de todas as correntes políticas do país.
	
	A Lei Eusébio de Queirós já determinava o fim da escravidão no país.
	
	Antes que a compra de escravos no exterior fosse proibida (Lei do Ventre-Livre), decidiu-se pela libertação dos cativos mais velhos (Lei dos Sexagenários).
	 
	A Lei Áurea assinada pela princesa Isabel enfim finalizou o processo abolicionista, libertando os cativos e tornando ilegal a escravidão no Brasil.
	
	O maior motivo para a abolição da escravatura no Brasil foi a adesão do país a uma economia voltada para a industrialização.
		
	
	
	 5a Questão (Ref.: 201707135159)
	Pontos: 0,1  / 0,1
	O Período Regencial, que se seguiu à abdicação de D. Pedro I, foi marcado por uma série de reformas que refletiram as dificuldades que os governos deste período tiveram em lidar com a inexistência de um consenso entre grupos dominantes a respeito do arranjo institucional que lhes fosse mais conveniente e do papel do Estado como organizador geral dos interesses dominantes. Assim, com relação a alguns dos principais aspectos do Período Regencial e das reformas institucionais nele ocorridas, é CORRETO afirmar que:
		
	 
	Pelo Código de Processo Criminal de 1832, foi promovida uma descentralização da administração da justiça criminal, o que pôde ser constatado pela ampliação das atribuições dos juízes de paz.
	
	A criação da Guarda Nacional destinava-se a garantir à implementação do processo de federalização do Estado brasileiro, definido por emenda constitucional de 1834 (o Ato Adicional).
	
	De um modo geral, as reformas promovidas durante este período visavam tão somente explicitar, através de legislação específica, a organização unitária e centralizada do Estado brasileiro prevista na Constituição de 1824.
	
	A 'solução regencial' adotada para o exercício da chefia do governo, enquanto durasse a menoridade de D. Pedro de Alcântara, resultou de um amplo acordo entre os principais atores políticos da época, já que não havia qualquer previsão legal para sua implantação.
	
	A lei da Regência, de junho de 1831, tinha como objetivo conceder amplos poderes aos regentes em virtude da ambiência político-institucional conturbada do período posterior à abdicação de D. Pedro I.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.