A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
7 pág.
TRABALHO PRONTO

Pré-visualização | Página 1 de 2

INTRODUÇÃO
O sistema muscular é formado por estruturas individualizadas que cruzam uma ou mais articulações e pela sua contração são capazes de transmitir o movimento do corpo humano, este é efetuado por células especializadas denominadas de fibras musculares, cuja energia latente é ou pode ser controlada pelo sistema nervoso. Os músculos são capazes de transformar energia química em energia mecânica.
O músculo é de cor vermelha, essa coloração avermelhada das fibras musculares se deve à mioglobina, proteína semelhante à hemoglobina presenta nos glóbulos vermelhos, que cumpre o papel de conservar dois proveniente da circulação para o metabolismo oxidativo. O sistema muscular possui estruturas anatômicas que apresentam a capacidade de se contrair. Os músculos são capazes de se contrair de se relaxar, gerando movimentos que nos permitem andar, correr, saltar, nadar, escrever, impulsionar o alimento ao longo do tubo digestório, promover a circulação do sangue no organismo, urinar, defecar, piscar os olhos, rir, respirar, entre outros.
No corpo humano existem cerca de 600 músculos, este representam cerca de 40 à 50 por cento do peso total do ser humano. 
O TECIDO MUSCULAR ESTÁ DIVIDO EM: Tecido muscular estriado esquelético, Tecido muscular estriado cardíaco e Tecido muscular Liso.
O tecido muscular estriado esquelético, este tipo de tecido muscular constitui a maior parte da musculatura do corpo dos vertebrados, formando o que chama popularmente de carne. Essa musculatura recobre totalmente o esqueleto e está presa aos ossos, daí chamado de esquelética. O tecido muscular estriado esquelético é formado por células que possuem vários núcleos e que apresentam estrias longitudinais e transversais, no seu citoplasma apresenta miofibrilas que são pacotes de finíssimas fibras contráteis, dispostas longitudinalmente, estas possuem dois tipos de proteína a miosina ( espessa ) e as actinas ( fina ) são encontradas no rosto e no abdome. Possuem movimentação voluntária, sendo ele o tecido muscular predominante no corpo dos vertebrados.
Na sua contração este tipo de musculo, os seus filamentos não diminuem de tamanho, mas os sarcômeros ficam mais curtos e toda a célula muscular se contrai, o encurtamento dos sarcômeros ocorre em função do deslizamento dos miofilamentos finos sobre os grosso, havendo maior sobreposição entre eles. A membrana plasmática da célula muscular estriada esquelética costuma ser chamada de sarcolema. 
O tecido muscular estriado cardíaco, este é formado por fibras que estão unidas entre si por estruturas que são chamadas de discos intercalares, estes possuem um ou dois núcleos centrais, esses são responsáveis pela conexão elétrica entre todas as células do coração, assim quando a célula recebe um estímulo forte ela é transmitida a todas as outras células e o coração como um todo se contrai. A transmissão do estímulo é feita por canis de passagem de água e íons entre as células, que facilita a difusão do sinal iônico entre uma célula e outra, determinando a onda rítmica da contração das células do coração. Este tipo de músculo apresenta estrias e também ramificações. Esse tecido é encontrado somente no coração, justificando seu nome. Apresenta movimentação involuntária, rápida e rítmica.
O tecido muscular liso, apresenta fibras musculares com um único núcleo, sem estrias transversais e com as extremidades afiladas, a ausência destas estrias ocorre porque os filamentos de actina e miosina não se organizam seguindo o mesmo padrão apresentado pelas outras células musculares.
Este musculo se contrai involuntariamente e ocorre de forma lenta. Cada célula do tecido muscula liso é envolvida por um revestimento constituído por uma rede de filamentos de proteína chamado de endomísio, esse tipo de musculatura não apresenta perimísio ( envoltório interno constituído de tecido conjuntivo rico em fibras colágenas ) e nem epimísio ( envoltório resistente de tecido conjuntivo, rico em fibras colágenas, que recobre todo o músculo ).
Este tipo de tecido é encontrado nas artérias, veias, estômago, útero, bexiga, vasos sanguíneos, dentre outras regiões.
FUNÇÕES DO MÚSCULO
Os músculos podem ser classificados quanto a sua função como, AGONISTAS, que são os músculos principais que ativam um movimento específico do corpo, eles se contraem ativamente para produzir um movimento desejado, como por exemplo, pegar uma chave sobre a mesa, os agonistas são os flexores dos dedos, ANTAGONISTAS, estes são músculos que se opõem à ação dos agonistas, quando o agonista se contrai, o antagonista relaxa progressivamente, produzindo um movimento suave, como por exemplo, idem anterior, porém os antagonistas são os extensores dos dedos, SINERGISTAS são aqueles que participam estabilizando as articulações para que não ocorram movimentos indesejáveis durante a ação principal, como exemplo idem anterior, os sinergistas são estabilizadores do punho, cotovelo e ombro e FIXADORES estabilizam a origem do agonista de modo que ele possa agir mais eficientemente, estabilizam a parte proximal do membro quando move-se a parte distal.
As funções podem ser percebidas através da sua composição celular, pois ela esta voltada a segurança dos órgãos que estão em contato com o sistema muscular do ser humano, entre as funções estão, a produção dos movimentos corporais, estabilização das posições corporais, regulação do volume dos órgãos, movimento de substância dentro do corpo e a produção de calor.
TIPOS DE CONTRAÇÕES MUSCULARES
O tecido muscular liso apresenta três tipos de contração: Contração Isométrica, Contração Excêntrica e Contração Concêntrica.
O tecido muscular apresenta alguns tipo de contrações, essas são forças passivas adicionais que ocorrem pela tensão das fáscias, ligamentos e estruturas não contráteis dos músculos, os músculos nunca se contraem sozinhos, porque isto produziria um moimento não funcional estereotipado. Por exemplo, a contração isolada do bíceps do braço produziria flexão no cotovelo, supinação do antebraço e flexão do ombro. Em vez disso, diversos músculos em uma combinação de forças contribuem para produzir a força desejada e o resultante movimento.
Na contração Isométrica, ocorre quando um músculo se contrai e produz força sem alteração macroscópica no ângulo da articulação, a contração é dita isométrica. As contrações isométricas são muitas vezes chamadas de contrações estáticas o de sustentação normalmente é usada para manutenção da postura. Funcionalmente estas contrações estabilizam articulações. Por exemplo, para alcançar À frente com a mão, a escápula precisa ser estabilizada de encontro ao tórax.
Na contração Excêntrica, um músculo alonga-se durante a contração, por exemplo, o quadríceps quando o corpo está abaixado para sentar-se e os flexores do cotovelo quando o corpo é abaixado até a mesa. Nas contrações excêntricas a origem e inserção se afastam produzindo a desaceleração dos segmentos do corpo e fornecem absorção de choque quando aterrissando de um salto, ou ao andar, ou seja, freia o movimento.
Na contração Concêntrica, ocorre o encurtamento do músculo durante a contração, exemplos seriam os músculos quadríceps quando um indivíduo está se levantando de uma cadeira ou os flexores do cotovelo quando um indivíduo está levando um corpo até a boca. Nas contrações concêntricas a origem e a inserção se aproximam, produzindo a aceleração de segmentos do corpo, ou seja, acelera o movimento.
ARQUITETURA MUSCULAR
Do ponto de vista arquitetônico, os músculos são sustentados por uma hierarquia de bainhas colagenosas ( endomísio, perimísio e epimísio ) que circundam as fibras musculares individuais, fascículos e músculos inteiros. Os músculos são unidos em grupos funcionais por fáscia colagenosa. Juntas, essas bainhas criam uma fonte estrutural semelhante a favo de mel que contribui para resistência de um músculo à tensão. Quando o músculo é estirado, altas forças de tração nessas estruturas colágenas contribuem para as altas forças que podem ser