A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
AVALIANDO APRENDIZADO - 1 - ESTACIO - 2017.2

Pré-visualização | Página 1 de 1

02/10/2017 BDQ Prova
http://simulado.estacio.br/alunos/ 1/2
TAIS ELENE LAGO AZEVEDO
201001286537 CAMPO GRANDE (RJ)
Voltar 
 
 DIREITO ADMINISTRATIVO II
Simulado: CCJ0011_SM_201001286537 V.1 
Aluno(a): TAIS ELENE LAGO AZEVEDO Matrícula: 201001286537
Desempenho: 0,5 de 0,5 Data: 02/10/2017 10:58:18 (Finalizada)
 
 1a Questão (Ref.: 201001535563) Pontos: 0,1 / 0,1
(OAB/FGV ) Com relação à requisição administrativa, analise as afirmativas a seguir.
I. Terá sempre caráter de definitividade.
II. Será aplicada somente em situação de guerra ou de movimentos de origem política.
 III. Será a indenização sempre a posteriori, caso seja devida.
IV. Incidirá apenas sobre bens imóveis.
Assinale:
se somente as afirmativas l, II e III estiverem corretas.
se somente a afirmativa l estiver correta.
 se somente a afirmativa III estiver correta.
se todas as afirmativas estiverem corretas.
se somente as afirmativas II e IV estiverem corretas.
 
 2a Questão (Ref.: 201001398565) Pontos: 0,1 / 0,1
(OAB) A respeito do instituto da servidão administrativa, assinale a opção correta.
Cabe direito a indenização em qualquer das hipóteses de servidão administrativa.
A servidão administrativa dispensa, em sua instituição, autorização legal.
 As servidões administrativas podem decorrer diretamente da lei, de acordo ou de sentença judicial.
Somente mediante lei pode ser extinta uma servidão administrativa
 
 3a Questão (Ref.: 201001398510) Pontos: 0,1 / 0,1
(OAB /CESPE)- Acerca da desapropriação, assinale a opção correta.
 Desapropriação indireta é o fato administrativo por meio do qual o Estado se apropria de bem particular,
sem a observância dos requisitos da declaração e da indenização prévia.
Na desapropriação por zona, devem ser incluídos os imóveis contíguos ao imóvel desapropriado,
necessários ao desenvolvimento da obra a que se destina.
Na desapropriação por interesse social para fins de reforma agrária, serão indenizadas por título da dívida
pública não apenas a terra nua, mas também as benfeitorias úteis e necessárias, sendo que as voluptuosas
02/10/2017 BDQ Prova
http://simulado.estacio.br/alunos/ 2/2
não serão indenizadas.
Os bens públicos não podem ser desapropriados.
 
 4a Questão (Ref.: 201001398567) Pontos: 0,1 / 0,1
(OAB) Quanto às características da intervenção do Estado na propriedade privada, podemos afirmar que:
A propriedade é um direito fundamental consagrado na Constituição. Neste sentido, as modalidades de
intervenção do Estado que objetivem restringir este direito são consideradas inconstitucionais, admitindo-
se, apenas, caso haja acordo entre os Estado e o particular.
A servidão administrativa corresponde a um direito de natureza pessoal.
A função social da propriedade, a supremacia do interesse público e o direito incondicional à propriedade,
fundamentam as diversas formas de intervenção do Estado.
 Além do poder de policia, as modalidades restritivas de intervenção do Estado na propriedade privada são
consideradas impositivas, cabendo ao particular apenas o dever de tolerância.
A servidão administrativa é uma forma de expressão do poder de policia do Estado.
 
 5a Questão (Ref.: 201001398571) Pontos: 0,1 / 0,1
(OAB) No que concerne à intervenção do Estado sobre a propriedade privada, é correto afirmar que:
o tombamento implica a instituição de direito real de natureza pública, impondo ao proprietário a obrigação
de suportar um ônus parcial sobre o imóvel de sua propriedade, em benefício de serviços de interesse
coletivo.
a servidão administrativa afeta o caráter absoluto do direito de propriedade, implicando limitação perpétua
do mesmo em benefício do interesse coletivo.
 as limitações administrativas constituem medidas previstas em lei com fundamento no poder de polícia do
Estado, gerando para os proprietários obrigações positivas ou negativas, com o fim de condicionar o
exercício do direito de propriedade ao bem-estar social.
a requisição de bens móveis e fungíveis impõe obrigações de caráter geral a proprietários indeterminados,
em benefício do interesse geral, não afetando o caráter perpétuo e irrevogável do direito de propriedade.