A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
7 pág.
ANTROPOLOGIA E CULTURA BRASILEIRA – ATIVIDADE 4

Pré-visualização | Página 1 de 2

ANTROPOLOGIA E CULTURA BRASILEIRA – ATIVIDADE 4
Pergunta 1
0,2 em 0,2 pontos
	
	
	
	A leitura do nosso material referencial nos mostrou que diferentes sociedades criam diferentes modelos culturais do que é considerado bom e belo e do que não é. A imagem abaixo explora como esses padrões podem ser pouco representativos para grande parte da população. Analise a imagem e as assertivas abaixo.
O padrão de corpo estabelecido pela propaganda dificulta o processo de autoaceitação de grande parte das pessoas.
A moda é uma das áreas da cultura em que se melhor percebe as diferenças entre os padrões impostos e a realidade de cada um.
A baixa porcentagem de gordura no corpo está comprovadamente ligada ao melhor desempenho intelectual.
Estão corretas as alternativas:
	
	
	
	
		Resposta Selecionada:
	c. 
As assertivas I e II.
	Resposta Correta:
	c. 
As assertivas I e II.
	Feedback da resposta:
	Como podemos perceber pelo Material Referencial (Ebook, 2015:14): "a cultura impacta não só o modo como as pessoas convivem umas com as outras em uma sociedade, mas também no modo de valorização de si mesmas. Toda sociedade possui um tipo ideal de indivíduo que dela faz parte e isso pode implicar em exclusão, em diferentes níveis, daqueles que estão fora do padrão (...) Dessa forma, conforme a cultura, cada sociedade vê e valoriza as pessoas de determinado modo, propondo seus princípios de respeito e de ideologia e a sua relação com aqueles que são diferentes". Assim, percebemos que apenas as assertivas I e II estão corretas.
	
	
	
Pergunta 2
0,2 em 0,2 pontos
	
	
	
	Historicamente, as formas de inclusão e de exclusão social dos portadores de necessidades especiais variaram de maneira considerável. Nosso material referencial descreveu a visão da sociedade escravista que imperou no Brasil até fins do século XIX. Sobre os escravos brasileiros, é correto afirmar:
	
	
	
	
		Resposta Selecionada:
	e. 
Os africanos e afrodescendentes escravizados eram considerados bens produtivos que só serviam se saudáveis e fortes fisicamente.
	Resposta Correta:
	e. 
Os africanos e afrodescendentes escravizados eram considerados bens produtivos que só serviam se saudáveis e fortes fisicamente.
	Feedback da resposta:
	Segundo o material referencial (EBOOK, 2015:12): “Em muitas sociedades, como afirmam Alves (1992) e Goffman (1975), as necessidades especiais eram vistas com discriminação, ocorrendo inclusive extermínio por parte do grupo ou a tolerância, quando a característica especial era vista como exótica. Mesmo no Brasil, entre os povos indígenas no início da colonização, eram comuns as práticas de exclusão ou valorização de indivíduos portadores de necessidades especiais, conforme relatado por Alves (1992).
Em outro exemplo no que se refere ao Brasil, Freyre (2006, p. 157) fala que o regime agrário escravista concebia o negro (após a substituição da mão de obra indígena) não como um ser humano, mas como um bem produtivo. Caso este se acidentasse, nascesse com necessidades especiais ou sofresse uma mutilação, era descartado e excluído dos demais – inclusive essa prática era prevista pela Lei do Sexagenário.
Isso poderia ser uma das raízes da segregação e discriminação do trabalhador com necessidades especiais na sociedade brasileira no âmbito do trabalho, como vemos na atualidade. Há uma cultura da discriminação nas esferas do trabalho em todos os campos profissionais quanto ao portador de necessidades especiais”.
	
	
	
Pergunta 3
0,2 em 0,2 pontos
	
	
	
	De acordo com a leitura do Material Referencial, o que podemos entender por estigma social?
	
	
	
	
		Resposta Selecionada:
	c. 
A marginalização de determinados grupos ou indivíduos cujas características e/ou crenças vão contra as normas estabelecidas.
	Resposta Correta:
	c. 
A marginalização de determinados grupos ou indivíduos cujas características e/ou crenças vão contra as normas estabelecidas.
	Feedback da resposta:
	Como podemos perceber pelo Material Referencial (Ebook, 2015:14): "... o estigma social é a desaprovação de aspectos ou crenças pessoais, que vão contra normas culturais estabelecidas, o que pode levar à marginalização. É o que acontece muitas vezes entre pessoas com  necessidades especiais, portadores de doenças ou vírus como o HIV, etnicidade específica".
	
	
	
Pergunta 4
0,2 em 0,2 pontos
	
	
	
	Sobre a reflexão acerca da exclusão ou inclusão dos portadores de necessidades especiais, o material referencial afirma:
	
	
	
	
		Resposta Selecionada:
	c. 
As necessidades especiais já foram tratadas como algo a ser discriminado, excluído e até eliminado.
	Resposta Correta:
	c. 
As necessidades especiais já foram tratadas como algo a ser discriminado, excluído e até eliminado.
	Feedback da resposta:
	Segundo o material referencial (EBOOK, 2015:12): “Em muitas sociedades, como afirmam Alves (1992) e Goffman (1975), as necessidades especiais eram vistas com discriminação, ocorrendo inclusive extermínio por parte do grupo ou a tolerância, quando a característica especial era vista como exótica. Mesmo no Brasil, entre os povos indígenas no início da colonização, eram comuns as práticas de exclusão ou valorização de indivíduos portadores de necessidades especiais, conforme relatado por Alves (1992).
Em outro exemplo no que se refere ao Brasil, Freyre (2006, p. 157) fala que o regime agrário escravista concebia o negro (após a substituição da mão de obra indígena) não como um ser humano, mas como um bem produtivo. Caso este se acidentasse, nascesse com necessidades especiais ou sofresse uma mutilação, era descartado e excluído dos demais – inclusive essa prática era prevista pela Lei do Sexagenário.
Isso poderia ser uma das raízes da segregação e discriminação do trabalhador com necessidades especiais na sociedade brasileira no âmbito do trabalho, como vemos na atualidade. Há uma cultura da discriminação nas esferas do trabalho em todos os campos profissionais quanto ao portador de necessidades especiais”.
	
	
	
Pergunta 5
0,2 em 0,2 pontos
	
	
	
	A imagem a seguir foi extraída da História em Quadrinhos As Aventuras de Tintin, do cartunista belga Hergé. 
Neste episódio, criado no início da década de 1930, Tintin viaja ao Congo, colônia africana da Bélgica na época.
Há diversas questões que podem ser discutidas a partir da imagem. Duas, contudo, chamam mais a atenção. São elas: 
	
	
	
	
		Resposta Selecionada:
	c. 
O etnocentrismo e o racismo
	Resposta Correta:
	c. 
O etnocentrismo e o racismo
	Feedback da resposta:
	TinTin constrói as aventuras de seu herói no Continente Africano a partir da visão do europeu, representado como civilizado, servido por habitantes locais, exóticos e bárbaros. Então, podemos dizer que a imagem nos remete principalmente às questões de etnocentrismo e racismo. 
	
	
	
Pergunta 6
0,2 em 0,2 pontos
	
	
	
	De acordo com a leitura do material referencial, pudemos compreender a importância da dualidade sagrado-profano no estudo sobre as diferentes religiões. Nesse contexto, as imagens abaixo retratam objetos de uso coletivo e individual que representam, respectivamente, para seus adeptos:
	
	
	
	
		Resposta Selecionada:
	a. 
Objeto Sagrado e Objeto Sagrado  
	Resposta Correta:
	a. 
Objeto Sagrado e Objeto Sagrado  
	Feedback da resposta:
	Como podemos perceber pelo Material Referencial (Ebook, 2015:14): "Na cultura e na religião, existe uma dualidade muito importante: o sagrado e o profano (...) O sagrado é objeto de interdição e o profano é onde essas interdições se aplicam (...) a religião é um sistema de representação com muitos e diferentes processos significantes e, para seus adeptos, os objetos que representam o sagrado. Quando não há relativização das diferenças no ambiente de trabalho, os elementos religiosos justificam a discriminação e estigmatização por parte de