Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
APOL 2 Formação Socio Histórica do Brasil

Pré-visualização | Página 1 de 1

Questão 1/5 - Formação Socio Histórica do Brasil
A Proclamação da República se deu diante de duas forças muito diferentes social e ideologicamente: uma, representada pelos  partidos regionais, de  elites, preocupadas com o desenvolvimento de suas regiões; outra força, representada pelos miliares. Quais foram as propostas de cada uma destas duas forças diante deste fato histórico? Assinale a alternativa correta:
I - As elites pretendiam centralizar o poder nas mãos do presidente assegurando cargos e recursos
II – os militares pretendiam a descentralização do poder assegurando as regiões independência de governo
III – elites e militares lutavam pela descentralização pois com isso ambas as forças seriam reconhecidas em seu poder e interesses nas bases regionais
IV – as elites pretendiam um governo descentralizado assegurando o desenvolvimento regionalizado
V – os militares pretendiam um governo centralizado assegurando a unidade nacional
Nota: 20.0
	
	A
	Somente as alternativas I e II estão corretas
	
	B
	Somente a alternativa III está correta
	
	C
	Somente as alternativas IV e V estão corretas
Você acertou!
Resposta: Resposta: Rota de Aprendizagem – Aula 3 – Vídeo Brasil - República Velha - Parte 1 - 3 - Boris Fausto – pag. 6
	
	D
	Somente as alternativas II e IV estão corretas
Questão 2/5 - Fundamentos de Filosofia
Leia o fragmento a seguir: “Esclarecimento [Aufklärung] é a saída do homem de sua menoridade, da qual ele próprio é culpado. A menoridade é a incapacidade de fazer uso de seu entendimento sem a direção de outro indivíduo. O homem é o próprio culpado dessa menoridade se a causa dela não se encontra na falta de entendimento, mas na falta de decisão e coragem de servir-se de si mesmo sem a direção de outrem. Sapere aude! Tem coragem de fazer uso de teu próprio entendimento, tal é o lema do esclarecimento” (KANT, Immanuel. Resposta à pergunta: o que é esclarecimento? Petrópolis: Vozes, 1985). De acordo com os conhecimentos adquiridos durante as aulas e suas leituras, analise as sentenças a seguir, assinalando a afirmativa correta.
Nota: 20.0
	
	A
	Segundo Kant, o sujeito alcança a maioridade quando atinge a idade adulta e age por conta própria, sendo responsável por seus atos.
	
	B
	Segundo Kant, o sujeito que se encontra na menoridade ainda não é responsável por seus atos, necessitando que uma outra pessoa, maior de idade, responda por ela.
	
	C
	Segundo Kant, da mesma forma que a pessoa que se encontra na maioridade age com autonomia, a pessoa que se encontra na menoridade age com heteronomia.
Você acertou!
Comentário
Para compreender o conceito de autonomia em Kant, faz-se necessário compreender outros dois conceitos: maioridade e menoridade. O sujeito que vive na menoridade fica sempre na dependência de alguém que lhe diga o que deve e o que n ao deve ser feito. Já o sujeito que vive na maioridade é capaz de, a partir de seu esclarecimento, saber o que deve e o que não deve ser feito. O esclarecimento Kant o entende como sendo a nossa capacidade de conhecer o que são as coisas. Assim, um sujeito esclarecido, isto é, que possui conhecimento, não precisa que ninguém lhe diga o que deve e o que não deve fazer. A não ser que, por preguiça e covardia, opte por viver na menoridade.
	
	D
	Segundo Kant, a condição de quem vive na maioridade é daquele que não faz uso do próprio entendimento (esclarecimento) e, pelo contrário, necessita que outrem o tutele.
Questão 3/5 - Formação Socio Histórica do Brasil
“No Brasil, a Questão Militar foi um momento-chave desse processo. Pela primeira vez na história brasileira, grupos de militares afirmaram publicamente e com força a existência de uma classe militar opondo-se a atos do governo”.
CASTRO, C. Os militares e a República: um estudo sobre cultura e ação política. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 1995, p. 97.
Dentre os motivos que levaram ao fim do Império, a Questão Militar foi uma das preponderantes. Sobre esse fato, podemos dizer que:
Nota: 20.0
	
	A
	a classe militar estava desunida nesse período e não tinha a força que imaginava.
	
	B
	os militares mantiveram a lealdade a D. Pedro II, sendo a República uma ação de civis.
	
	C
	refere-se a uma série de incidentes entre o governo e os militares, que organizaram o golpe.
Você acertou!
Comentário: a chamada Questão Militar se refere a uma série de incidentes entre o governo e os militares que organizaram o golpe contra o governo, pois ganharam prestígio após a Guerra do Paraguai, saindo fortalecidos após essa. (p. 57)
	
	D
	 os militares estiveram nas forças que apoiaram o governo imperial após o golpe.
 
Questão 4/5 - Formação Socio Histórica do Brasil
“Ao explicar a queda do Império, afirma que a Monarquia desapareceu menos pela oposição que lhe moviam do que pela própria fraqueza, pela sua falta de base, pela indiferença, apatia e neutralidade de muitas das forças que a haviam apoiado no passado”.
COSTA, E. V. Da monarquia à república: momentos decisivos. São Paulo: Fundação UNESP, 1999, p. 429.
Ao romper com suas bases, através das chamadas Questão religiosa e Questão militar, e com os fazendeiros após a libertação dos escravos, o Império acabou fragilizado e lançado a própria sorte. Um exemplo disso é que:
Nota: 20.0
	
	A
	inexistiu oposição à derrubada da monarquia e nenhuma instituição ou movimento se dispôs a lutar por ela.
Você acertou!
Comentário: o fato mais relevante do fim da monarquia é justamente a inexistência de movimentos ou oposição à mudança de regime. Nenhuma instituição ou movimento social se dispôs a lutar pela permanência de D. Pedro II no trono. (p. 58)
	
	B
	os militares, organizados sob o comando do marechal Deodoro, buscaram defender os interesses de Dom Pedro II.
	
	C
	a destituição de D. Pedro II e o seu desterro no exílio foram fatos marcados por revoltas populares.
	
	D
	a forte oposição ao regime teve que se unir para conseguir a derrubada da monarquia e a substituição do governo.
Questão 5/5 - Fundamentos de Filosofia
Leia o fragmento a seguir: “Faz alguns anos já, dei-me conta que admitira desde a infância muitas coisas falsas por verdadeiras e de quão duvidoso era o que depois sobre elas construí. Era preciso, portanto, que, uma vez na vida, fosse postas abaixo todas as coisas, todas as opiniões em que até então confiara, recomeçando dos primeiros fundamentos, se desejasse estabelecer algo firme e permanente nas ciências” (DESCARTES, Rene. Meditações sobre Filosofia Primeira. Campinas: Unicamp, 2008. p. 21). De acordo com os conhecimentos adquiridos durante as aulas e suas leituras, analise as sentenças a seguir, assinalando a afirmativa correta.
Nota: 20.0
	
	A
	Descartes era um filósofo cético e, por isso mesmo, passou a duvidar de tudo o que poderia ser apresentado como verdade.
	
	B
	Da mesma forma que Sócrates põe-se a investigar se ele era realmente o homem mais sábio da Grécia Antiga, também Descartes põe em dúvida tudo o que lhe fora ensinado como sendo verdadeiro.
Você acertou!
A dúvida é uma atitude filosófica característica de muitos filósofos, independente de sua filiação ontologia. Porém, a dúvida filosófica é uma atitude que não se encerra em si mesma, mas, nos provoca à busca pelo conhecimento. Não se trata de um duvidar por duvidar, mas de, a partir dela, iniciar um processo investigativo. Assim, para que Descartes chegasse ao “cogito, ergo sum”, foi necessário que ele iniciasse por um princípio de dúvida, até chegar, como ele mesmo define, a essa ideia clara e distinta de que, por concluir que penso, não posso negar minha existência. Da mesma forma Sócrates que, na Antiguidade, pôs-se a investigar a afirmação do oráculo, pois colocou-a em dúvida.
	
	C
	A dúvida metódica é um método criado por Descartes cujo principal objetivo é duvidar de tudo.
	
	D
	Ideias claras e distintas, segundo Descartes, são aquelas que, pela própria evidência das mesmas, não temos como submetê-las ao princípio da dúvida.