A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
Fichamneto; Método Ciêntifico

Pré-visualização | Página 1 de 1

SANTANA, Paulo Emilio de Assis. Uma Breve Análise Didática dos Métodos Científicos Positivismos, Materialismo, Histórico e Fenomenologia. Revista Cesumar - Ciências Humanas e Sociais Aplicadas jan./jun.2008, v. 13, n. 1, p. 25-35. 
“A questão da pesquisa em educação no mundo atual constitui um constante imperativo não apenas para todos aqueles que estão envolvidos na compreensão das questões problematizadoras que os incomodam, mas também para quem deseje, de maneira efetiva interferir na realidade histórica e social através da pesquisa.” (SANTANA, p.26).
O autor relata a importância da pesquisa ao longo dos tempos, sendo essa, provedora de um emareado de informações dentre todos os processos que envolvem a realidade humana, em que, no contexto educacional, tornou-se uma grande ferramenta na busca de novas informações a partir das já existentes cruzando os conhecimentos. 
“[...] Para que a pesquisa, como excelência do processo educativo, seja viabilizada de maneira cientifica, faz-se necessário o estabelecimento ou definição da questão que incomoda o pesquisador e por esse motivo precisa ser pesquisada [...]”. (SANTANA, p.26).
Segundo o autor a pesquisa defende uma ideia, organizada de forma bibliográfica e dados propostos ao objeto ou fato a ser analisado, com uma visão nova, construindo novos conceitos. Busca-se averiguar se os fatos obtidos são verídicos ou não, sem medo de questionar, colocar o que pensa o que escreve sem inseguranças. 
“O objetivo do positivismo sempre será o de descobrir as leis que regem o fenômeno. [...] cabe à ciência descrever os fatos na ordem em que eles se dão [...[” (SANTANA, p.27).
O positivismo representa uma reação contra a doutrina, o formalismo, o idealismo, exigindo maior respeito para a experiência e os dados positivos. Entretanto, fica no mesmo âmbito da doutrina metafísica do idealismo, segundo a qual a presença do divino é pressentida pelo homem, mas não pode ser objeto de qualquer conhecimento claro e do pensamento moderno em geral, defendendo, mais ou menos, o absoluto do fenômeno. As pessoas são movidas pelo desejo de mudanças, de autotransformação do mundo, assim, o positivismo nesse contexto, defende a ideia de que o conhecimento cientifico é a única forma de conhecimento verdadeiro. 
“Partindo desse pensamento, o método positivista está fundado em uma tríade clássica, baseada na observação, experimentação e mensuração, que são os fundamentos do positivismo como método cientifico em sua forma experimental (DIONNE; LAVILLE, 1999, p.23, grifo do autor, p.27)”. 
O autor usa o pensamento de Comte, a ideia de que deveria ser criada uma nova religião, a religião da humanidade, para definir o método positivista, no qual, possuía como principal objetivo a regeneração social e moral, fundamentada na ciência clássica, cujo, lema do seria “O amor por principio e a Ordem por base: O progresso por fim”, sendo o regime”. Viver às Claras” e “Viver para Outrem”.
“Em ciência, o objetivo do materialismo histórico está associado ao fato de compreender a realidade com o fim de transformá-la”. (SANTANA, p.29).
Segundo o autor, o centro da vida humana está na atividade econômica, produtora de bens materiais, e a história da humanidade se fundamenta por interesses, materiais, utilitários, econômicos, e não por interesses espirituais, morais e religiosos. Dessa forma, o método cientifico (materialismo histórico), é muito importante para analisar os procedimentos que levem ao entendimento de todo processo que envolve a vida humana.
“A concepção histórica do método dialético que fundamenta o materialismo histórico concebido por Marx tem seu construto a partir das ideias filosóficas de Hegel”. (SANTANA, p.29).
Conforme afirma o autor, na mudança dialética, a transformação ocorre por meio de contradições. Em determinado momento, há mudança positiva e negativa, velha e nova, por outro lado, como tudo está em movimento uma se transformando na outra, a luta desses contraditórios é o conteúdo do processo de desenvolvimento dos fenômenos sociais.
“Para que esse procedimento seja eficaz em seu sentido mais cientifico na perspectiva do materialismo histórico enquanto método cientifico, o conhecimento produzido a partir da práxis dialética apenas cumprirá o seu propósito final na medida em que transforma de maneira significativa a realidade concreta e histórica”. (FRIGOTTO, 20004, p.81 grifo do autor, p.30).
Para o autor, a concepção do materialismo histórico enquanto método cientifico é um procedimento ou caminho para alcançar determinado fim e que a finalidade da ciência é a busca do conhecimento, são instrumentos utilizados na pesquisa, dessa forma, entende-se que método cientifico é um conjunto de procedimentos adotados com o propósito de atingir o conhecimento.
Assim, o estudo da dialética significa fazer o “diálogo do todo”, ou seja, fazer o diálogo de toda a ideia para se chegar a uma fonte, como exemplo, analisa-se o século XVIII, XIX e XX, para chegar a ideia de como estamos vivendo hoje. Nesse sentido, verifica-se o período industrial que fez com que a grande massa que vivia escravizada na idade média ou no período Brasil colonial, continuasse escravizada, porém de um outro modo, .Portanto, cada século que passamos tem restrições de conhecimentos, assim, na dialética as contradições transcendem-se, dando origem a novas contradições que passam a requerer soluções. Santana (2008) afirma que o método dialético constitui-se em uma ferramenta essencial de transformação do real.
“[,,,] para que o concreto (o real) seja pensado, faz-se necessário que o pesquisador esteja ciente, e ao mesmo tempo liberto, das concepções ideológicas que cercam a totalidade a ser pesquisada e a sua própria pessoa como pesquisador [...]”. (Santana, p.30).
O autor enfoca, que nesse tipo de método para conhecer determinado fenômeno ou objeto, o pesquisador precisa estuda-lo em todos os seus aspectos, suas relações e conexões, sem tratar o conhecimento como algo rígido, já que tudo no mundo está sempre em constantes transformações. 
“O objetivo central da fenomenologia é compreender o fenômeno”.”[...] Compreende-lo para dizer como funciona, e não para explicar seus motivos últimos e políticos[...]”. (SANTANA, p.32).
Segundo o autor o fenômeno é aquilo que é visto diante da consciência. A fenomenologia não se preocupa, pois, com algo desconhecido que se encontre atrás do fenômeno; só visa o dado, sem querer decidir se esse dado é uma realidade ou uma aparência. Ou seja, o método fenomenológico limita-se aos aspectos essências e intrínsecos do fenômeno, sem lançar mão de deduções ou empirismos, buscando compreende-lo por meio da intuição, visando apenas o dado o fenômeno, não importando sua natureza real ou fictícia. Este método depende do olhar do pesquisador, cada um vai pesquisar de forma diferente.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.