AV e AVS
6 pág.

AV e AVS


DisciplinaContabilidade e Gestão Tributária II1.636 materiais9.731 seguidores
Pré-visualização2 páginas
Avaliação: GST0564 CONTABILIDADE E GESTÃO TRIBUTÁRIA II
Tipo de Avaliação: AV 
Aluno: 
Professor: ANA MARIA DE OLIVEIRA ROSA BARBOSA Turma: 9001/AA
Nota da Prova: Nota de Partic.: Data: 08/03/2014 10:01:38 
1a Questão (Ref.: 201101732058) Pontos: 0,5 
Em relação ao tema competência tributária, é correto afirmar que:
somente a União tem competência residual para instituir impostos.
os Estados, o Distrito Federal e os Municípios têm competência para instituir impostos, taxas, 
contribuição de melhoria e contribuição de intervenção no domínio econômico, que a Constituição lhes 
reserva.
a Constituição atribui à União competência residual para instituir impostos, contribuições para a 
seguridade social e taxas.
para instituir impostos com fundamento na competência residual, é imprescindível, além da competência 
tributária, veiculação da matéria por lei complementar e observância dos princípios constitucionais da 
não-cumulatividade e da identidade plena com outros impostos discriminados na Constituição, no que se 
refere a fato gerador e base de cálculo.
a instituição de empréstimos compulsórios requer lei complementar da União, dos Estados ou do Distrito 
Federal, conforme competência que a Constituição confere a cada um desses entes da Federação.
2a Questão (Ref.: 201101731333) Pontos: 0,5 
Identifique a opção correta que define Tributo:
É uma prestação pecuniária (em dinheiro) e compulsória (obrigatória) que não constitua sanção de ato 
ilícito (contrário à lei) instituída em lei (decretos criam tributos) e cobrada mediante a atividade 
administrativa plenamente vinculada (a lei diz como deve ser cobrado).
É uma prestação pecuniária (em dinheiro) e compulsória (facultativa) que não constitua sanção de ato 
ilícito (contrário à lei) instituída em lei (só lei cria tributos) e cobrada mediante a atividade administrativa 
plenamente vinculada (a lei diz como deve ser cobrado).
É uma prestação pecuniária (em moeda estrangeira) e compulsória (obrigatória) que não constitua 
sanção de ato ilícito (contrário à lei) instituída em lei (decretos criam tributos) e cobrada mediante a 
atividade administrativa plenamente vinculada (a lei diz como deve ser cobrado).
É uma prestação pecuniária (em dinheiro) e compulsória (obrigatória) que não constitua sanção de ato 
ilícito (contrário à lei) instituída em lei (só lei cria tributos) e cobrada mediante a atividade administrativa 
plenamente vinculada (a lei deixa livre ao Estado como deve ser cobrado).
É uma prestação pecuniária (em dinheiro) e compulsória (obrigatória) que não constitua sanção de ato 
ilícito (contrário à lei) instituída em lei (só lei cria tributos) e cobrada mediante a atividade administrativa 
plenamente vinculada (a lei diz como deve ser cobrado).
3a Questão (Ref.: 201101765594) Pontos: 0,5 
Conforme dispõem os artigos 145 e 148 da Constituição Federal e 5º do Código Tributário Nacional - CTN, 
aponte a alternativa que não revela uma espécie tributária: 
As contribuições de melhoria. 
Os empréstimos compulsórios. 
As multas. 
As taxas. 
Os impostos.
4a Questão (Ref.: 201101765596) Pontos: 0,5 
Dentre os tributos previstos na Constituição Federal e no Código Tributário Nacional, marque a alternativa em 
que figuram apenas Tributos Diretos: 
IRPJ, IRPF, IPVA, IPTU e CSSL. 
IRPF, IRPJ, IPVA e ICMS.
ICMS, IPI, ISS, PIS e COFINS. 
IPVA, IPTU, ICMS e CSSL.
IRPJ, IRPF, IPVA, IPI, PIS e COFINS. 
5a Questão (Ref.: 201101765491) Pontos: 0,5 
O diferimento do Imposto de Renda permite às empresas a postergação, para exercícios futuros, do pagamento 
desses impostos relativos a determinados lucros já contabilizados. Seguindo o regime de competência, a 
despesa do Imposto de Renda deve ser contabilmente 
reconhecida no mesmo período do lucro correspondente
calculada com base na alíquota referente aos exercícios futuros
registrada com ajustes de exercícios anteriores
calculada considerando a alíquota atual e os efeitos da inflação
reconhecida no exercício do efetivo pagamento do tributo
6a Questão (Ref.: 201101765487) Pontos: 0,5 
Com as modificações introduzidas na Lei no 6.404/76, das Sociedades por Ações, pelas Leis nº 11.638/07 e no 
11.941/09, deu-se, no entendimento de autores contábeis, a chamada independência da Contabilidade 
Brasileira. Essas mudanças criaram as condições básicas para a convergência da Contabilidade Brasileira às 
normas internacionais. O Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC), criado em 2005 pela Resolução CFC no 
1.055/05, foi um importante marco para tal convergência, pois cabe a esse comitê emitir os Pronunciamentos 
Técnicos, que, após discussão em audiência pública, são aprovados pelos instrumentos próprios dos órgãos 
reguladores públicos (CVM, Bacen e Susep, principalmente) e particulares, como o CFC, transformando o CPC 
em norma a ser seguida pelas empresas e profissionais que estiverem no campo de atuação desses mesmos 
órgãos. Constitui característica preponderante das normas internacionais de Contabilidade implementadas no 
Brasil pelo CPC e pelos órgãos reguladores brasileiros, a: 
Importância maior dada à propriedade jurídica para registrar os ativos, passivos, receitas e despesas
Produção de informações contábeis mais quantitativas do que qualificativas
Fundamentação baseada mais em normas que em princípios
Prevalência da essência sobre a forma
Predominância do domínio dos contadores na realização de tarefas contábeis, com menor participação do 
restante da empresa
7a Questão (Ref.: 201101765635) Pontos: 1,0 
De acordo com o Código Tributário Nacional ¿ Lei 5.172/76, tributo é definido como: Toda prestação pecuniária 
compulsória, em moeda ou cujo valor nela se possa exprimir, que não constitua sanção de ato ilícito, instituído 
em lei, que não constitua sanção pecuniária decorrente de ato ilícito, cobrado mediante atividade administrativa 
plenamente vinculada. A partir da informação prestada, podemos induzir que o Tributo Progressivo: 
É aquele em que a pessoa que paga (contribuinte de fato) é a mesma que faz o recolhimento aos cofres 
públicos (contribuinte de direito). 
É aquele cujo percentual aumenta de acordo com a capacidade econômica do contribuinte. 
É aquele em que o contribuinte tem o direito de compensar os montantes devidos nas operações 
anteriores com os montantes devidos nas operações subsequentes. 
É aquele que não considera o poder aquisitivo nem a capacidade econômica do contribuinte. 
É aquele em que o contribuinte de fato não é o mesmo que o de direito. 
8a Questão (Ref.: 201101848110) Pontos: 1,0 
A empresa ABC apurou um lucro de R$ 350.000 no exercício. Considerando que a empresa apura seus impostos 
com base no Lucro Real e que não haverá nenhuma adição ou exclusão na base de cálculo, o valor do IRPJ 
apurado no exercício é de:
52.500 
63.500
53.500
11.000
62.500 
9a Questão (Ref.: 201101788188) Pontos: 1,5 
Quais órgão têm competência para fiscalizar o cumprimento das obrigações principais e acessórias relativas ao 
SIMPLES Nacional, bem como para a verificação das condições que ensejam a exclusão de ofício das empresas 
optantes pelo SIMPLES Nacional?
Gabarito: As secretarias da fazenda ou de finanças dos estados e do DF.
10a Questão (Ref.: 201101847617) Pontos: 1,5 
A tributação sobre o Lucro no Brasil possui uma conotação diferente em relação ao padrão mundial: a existência 
de dois tributos sobre o lucro, quando o mais comum seria essa tributação ocorrer apenas através do Imposto 
de Renda. Explique os motivo da existência de dois tributos sobre o lucro no Brasil.
Gabarito: O aluno deverá descrever que a existência de dois tributos sobre o lucro é justificada pela destinação 
dos valores arrecadados, sendo 100% da arrecadação