A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
Introdução a Biologia das Criptógamas

Pré-visualização | Página 1 de 1

P1
BIOLOGIA DAS CRIPTÓGAMAS
Existem três estruturas de diferenciação entre células animais e vegetais
Um envoltório celular presente nas células vegetais (a parede celular) que impede o rompimento da membrana plasmática.
Vacúolos aquosos grandes, como forma de regulação do grau de hidratação. É dito que uma planta está hidratada pela sua turgescência celular (aumento do volume devido a tendência de igualar a concentração de sais entre o citoplasma e o meio externo).
Plantas murchas: não túrgidas
Quando atingem o ponto de murcha permanente a planta não se recupera mais.
Cloroplastos, uma organela de origem endossimbiótica
Clorofilas (a b e c) absorvem diferentes espectros da luz, o que confere maior adaptabilidade e menor competição por luz.
A primeira clorofila existente foi a clorofila-a, que se excita com a luz suficientemente para alterar os átomos em seus orbitais criando uma faísca capaz de quebrar a molécula de água (fotólise), processo fundamental da fotossíntese aeróbia.
Quatro Grupos comumente abordados em Sistemática de Criptógamas - fungos, algas, briófitas e pteridófitas
Por que os fungos e as algas são estudados em conjunto, se apenas as briófitas e pteridófitas são reconhecidas como criptógamas?
Algas e fungos são tradicionalmente estudados nas disciplinas de Botânica e, por isso, são incluídos. Os fungos, apesar de pertencerem a um Reino próprio, são estudados com as plantas por serem de natureza séssil e apresentarem forma de crescimento multicelular. As algas são um grupo artificial de organismos fotossintetizantes que utilizam energia luminosa para fazer seu próprio alimento.
Algas vermelhas têm origem na endossimbiose primária, ao passo que as algas têm origem na endossimbiose secundária
Apomorfias de células vegetais: Surgimento de gametas femininos e masculinos e plasmodesmos (um tipo de interligação entre membranas de células vizinhas que criam pontes citoplasmáticas)
Ciclos de vida em plantas eucariontes
Haplobionte Isogâmico*
*Isogamia: Os gametas são morfologicamente iguais e geneticamente diferentes
Diplobionte oogânico
Em haplobiontes a R! é zigótica
Em diplobiontes a R! é gamética (em que há alternância de geração)
Alternância de Geração:
Em haplobiontes os gametângios arquegônio e anterídio produzem respectivamente a oosfera e o antenozoide, ocorre a fertilização que gera o zigoto

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.