Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
Circovirose

Pré-visualização | Página 1 de 1

Circovirose
Rafael Maciel da silva 
Saul horte brunetta 
Nº 22
Nº 23
HISTÓRICO
A circovirose suína foi diagnosticada pela primeira vez no Canadá, em 1990
Foi diagnosticada pela primeira vez no Brasil no ano de 2000 no laboratorio de Sanidade da Embrapa Suínos e Aves em Concordia, SC​
A Circovirose suína causa um dos maiores prejuízos na criação e exploração de suínos no Brasil e no mundo.
Na Europa, causou prejuízos de cerca de 600 milhões de euros, em 2006.
É uma doença causada por um vírus;
É altamente contagioso, resistente ao ambiente e praticamente imune à maioria dos desinfetantes​ convencionais;
É uma doença, que ataca o sistema imunológico dos suínos e facilita a entrada de outras enfermidades;
Retardo no crescimento,​ 
anemia 
icterícia 
Abortos
pneumonias, 
Enterites.
Diarreia marrom-clara 
A infecção generalizada envolve vários sistemas corporais;
Atinge principalmente suínos após o desmame, a partir da 6.ª semana de vida; 
entre 6% e 8% dos animais infectados chegam a morrer;
circovírus porcino (PCV) 
São conhecidos dois tipos de PCV: 
PCV1 é aquele originalmente isolado contaminando cultivos celulares, é apatogênico.
PCV2 já foi associado com varios tipos de patologias em suínos:
.
 SÍNDROME DA REFUGAGEM MULTISSISTÊMICA (SRM)
 Mioclonia congênita.
 Dermatite Suína e Síndrome da Nefropatia (PDNS)
 Síndrome Definhante Multissistêmica (SMDS)
SÍNDROME DA REFUGAGEM MULTISSISTÊMICA (SRM)
Refugagem progressiva, 
Problemas respiratórios, 
Diarréia, 
Palidez, 
Icterícia, em animais de 5 a 12 semanas de idade; 
Hepatite e nefrite; 
Mioclonia congênita
Os leitões geralmente nascem tremendo e balançando a cabeça como se estivessem balançando a cabeça, os estímulos causados ​​pelo manuseio ou os ruídos geralmente aumentam os tremores e, pelo contrário, a posição de dormir os acalma e desaparece ao dormir. Em outros casos, são observados tremores pela primeira vez até 24 a 48 horas após o nascimento
Dermatite Suína e Síndrome da Nefropatia (PDNS)
O principal sintoma dessa enfermidade, conhecida como PDNS, é o aparecimento de manchas vermelhas escuro na pele do animal.
Normalmente afetam suínos com idade entre 10 e 16 semanas.
Mortalidade de < 50%
Os animais apresentam, normalmente, boa condição física.
Aumento das glândulas linfáticas
Síndrome Definhante Multissistêmica (SMDS)
agride os leitões entre 8 e 12 semanas de vida, sendo o período de transmissão entre 5 a 16 semanas de idade;
É transmitida por meio da via oronasal;
Os animais acometidos apresentam emagrecimento progressivo em consequência da perda de apetite, linfadenopatia, diarreia crônica, sintomas respiratórios, palidez, icterícia e úlcera gástrica
Não existe tratamento para combater o vírus, assim a melhor forma de evitar o aparecimento da doença é realizando um bom manejo sanitário, evitando o estresse e contato entre os animais acometidos
Controle
Não existe tratamento específico. Combate-se as infecções secundárias;
Devem ser imunizadas antes do acasalamento ou inseminação (Circovac, fabricada pela Merial Saúde Animal);
A vacinação das matrizes confere​ imunidade aos leitões, via colostro;
Medidas de controle
20 pontos de Madec;
Maternidade
Creches
Crescimento/Terminação
Em toda granja
MATERNIDADES
1. Usar o sistema "todos dentro, todos fora" e limpar as canaletas de dejetos entre lotes; 
2. Lavar as porcas e vermífugar antes do parto; 
3. Limitar os reagrupamentos de leitões na maternidade ao absolutamente essencial, tentar trocar leitões apenas nas primeiras 24 horas após o parto;
CRECHES
4. Usar baias ou gaiolas pequenas, com divisórias sólidas;
5. Usar o sistema "todos dentro, todos fora" e limpar as canaletas de dejetos entre lotes; 
6. Diminuir a lotação para níveis iguais ou menores do que 3 leitões por m² ou seja, espaço igual ou maior que 0,33 m² por leitão; 
7. Aumentar o espaço de cocho para valor acima de 7 cm/leitão;
8. Melhorar a qualidade do ar, mantendo níveis de NH3 abaixo de 10 ppm, CO2 abaixo de 0,1% e umidade abaixo de 85%; 
9. Melhorar o controle da temperatura ambiental; 
10. Não misturar leitões de diferentes lotes na chegada ou durante o período de permanência nas creches;
CRESCIMENTO/TERMINAÇÃO
11. Usar baias pequenas, com divisórias sólidas; 
12. Usar o sistema "todos dentro, todos fora" e limpar as canaletas de dejetos entre lotes; 
13. Não misturar leitões de diferentes lotes na chegada ou durante o período de permanência nas recrias; 
14. Não misturar leitões de diferentes lotes na chegada ou durante o período de permanência nas terminações; 
15. Diminuir a lotação, adotando um espaço acima de 0,75 m² por leitão; 
16. Melhorar a qualidade do ar e o controle da temperatura ambiental;
EM TODA A GRANJA
17. Usar um programa de vacinação adequado às doenças do plantel; 
18. Racionalizar o fluxo de ar e de animais nos prédios; 
19. Adotar uma higiene estrita em manejos como corte de dentes, corte da cauda, injeções e outros; 
20. Remover precocemente animais doentes para baias hospital ou realizar a eutanásia dos mesmos.
MUITO OBRIGADO