A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
19 pág.
Pedagogia Hospitalar

Pré-visualização | Página 1 de 4

UNESA – CURSO DE PEDAGOGIA 
GABRIELA DOS SANTOS SANTANA 
JENNIFER MARILZA RODRIGUES 
PALOMA ESTANISLAU 
RAFAELA LILIANE RIBEIRO 
RONIVIA OLIVEIRA PORCINO 
EDUCAÇÃO E SAÚDE EM CONTEXTO HOSPITALAR 
São Paulo 
2017 
2 
GABRIELA DOS SANTOS SANTANA 201607271087 
JENNIFER MARILZA RODRIGUES 201701291916 
PALOMA ESTANISLAU 201603334777 
RAFAELA LILIANE RIBEIRO 201603151354 
RONIVIA OLIVEIRA PORCINO 201603123091 
Objetivo Geral Miniprojeto, Pedagogia Hospitalar e Pequeno Histórico, 
Ações mais frequentes de pedagogos em contexto hospitalar, Equipe 
Multidisciplinar e Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). 
Atividade apresentada ao Centro 
Universitário Estácio de São Paulo, na 
disciplina de Educação e Saúde em 
Contexto Hospitalar, sob a orientação da 
Prof.ª. Ms Helia Hisako Utida, como 
componente de nota e para a aprovação 
parcial na disciplina. 
São Paulo 
2017 
3
Sumário 
1. Objetivos ............................................................................................... 04
2. Introdução ............................................................................................. 05
3. Pedagogia Hospitalar ..................................................................... 06 - 07 
4. Ações mais frequentes de Pedagogos em
Contexto Hospitalar ........................................................................ 08 - 09 
5. Equipes Multidisciplinares .............................................................. 10 - 11 
6. A classe hospitalar como garantia do direito da criança e do adolescente
hospitalizado .................................................................................. 12 - 16 
7. Considerações Finais ............................................................................ 17 
8. Referências .................................................................................... 18 - 19
4 
Objetivos 
O objetivo do educador é fazer com que as crianças de uma forma lúdica e 
prazerosa aprendam os hábitos e práticas de higiene bucal desde o início da 
Educação Infantil, incentivando-as a conhecer e a cuidar da saúde bucal. 
Objetivos Específicos 
Ensinar e estimular os hábitos de higiene bucal; 
Ensinar a importância da higiene bucal na prevenção de doenças; 
Ensinar a importância dos cuidados que devemos ter com a boca; 
Identificar e estimular o uso dos objetos de higiene bucal; 
Valorizar a autoestima da criança. 
5 
Introdução 
A Pedagogia Hospitalar é uma modalidade que amplia o espaço de 
atuação do pedagogo. Ela surge da necessidade das crianças hospitalizadas 
de terem um acompanhamento pedagógico em seu período de internação, 
assegurado pelo Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e para isso, o 
pedagogo deve estar apto a atender estas crianças. Com base nisso, esta 
pesquisa e o miniprojeto foram desenvolvidos com o objetivo de compreender a 
natureza e o papel do trabalho educativo realizado em hospitais. 
Entendemos que a criança com alguma enfermidade sofre com as 
privações impostas pela patologia, assim como pelo afastamento do seu meio 
de convivência familiar, social e escolar. Sabe-se que a maioria das crianças 
com patologias que requerem maior tempo de internação hospitalar ou que 
fazem hospitalizações recorrentes acaba excluída da escola, o que gera um 
grande prejuízo ao seu desempenho social e escolar. 
A atuação do pedagogo não se restringe apenas ao ambiente escolar e, 
portanto, faz-se necessário que este profissional atue em outros ambientes e 
conquiste novos espaços. O trabalho pedagógico no ambiente hospitalar 
proporciona a garantia da continuidade do processo de aprendizagem, fazendo 
com que as crianças ao retornarem à escola não venham a se sentir em 
defasagem em relação aos seus colegas e que não percam o vinculo com a 
escola e seu cotidiano. 
Por compreendermos de fato, a imprescindível contribuição do 
profissional pedagogo às crianças hospitalizadas, entendemos que o tema 
abordado é de fundamental importância, por ampliar a contribuição das 
ciências da educação, mobilizando a sociedade no sentido de garantir o direito 
ao atendimento pedagógico às crianças hospitalizadas, assegurado no Estatuto 
da Criança e do Adolescente (ECA), na Resolução nº 41, do Conselho 
Nacional de Saúde, de Outubro de 1995, no item 9 – “Direito de desfrutar de 
alguma forma de recreação, programas de educação para a saúde, 
acompanhamento do currículo escolar durante sua permanência hospitalar”. 
6 
Pedagogia Hospitalar 
A pedagogia hospitalar surge com a necessidade da atuação de um 
pedagogo em uma instituição não escolar; podendo o profissional dentro de 
uma instituição não escolar, contribuir com o desenvolvimento do indivíduo que 
se encontra em quadro clínico (hospitalizado); respeitando e empregando 
metodologias e atividades que possam favorecer o indivíduo na continuação de 
seus estudos, dentro de um processo de ensino aprendizagem, para que o seu 
desenvolvimento e a qualidade de seu conhecimento e aprendizado não seja 
desprivilegiados ou prejudicados. 
A prática do pedagogo na pedagogia hospitalar poderá ocorrer em ações 
inseridas nos projetos e programas nas seguintes modalidades de cunho 
pedagógico e formativo: nas unidades de internação; na ala de recreação do 
hospital; para as crianças que necessitarem de estimulação essencial; com 
classe hospitalar de escolarização com continuidade dos estudos e também no 
atendimento ambulatorial (ABREU; 2007). 
A Pedagogia Hospitalar trata de uma pedagogia do presente que 
envolve saberes em prol da vida. Ela visa um atendimento global do educando 
hospitalizado, possibilitando que a equipe hospitalar, a família e a escola 
trabalhem juntos, interagindo com o enfermo com o intuito de acelerar o seu 
processo de recuperação (CARDOSO; SILVA; SANTOS). 
A formação e capacidades do pedagogo, que em momento histórico da 
pedagogia, começam serem quebrados antigos paradigmas sobre o perfil de 
formação e atuação do pedagogo, e começa a surgir um novo pedagogo com 
uma nova práxis educativa a partir de novas perspectivas formativas que 
fornecem o enfrentamento corajoso do renascimento desta profissão 
(FRANCO; 2001). 
7 
Procurando favorecer toda estratégia que ajude o desenvolvimento 
desta modalidade educacional e que sensibilize os agentes da educação e da 
saúde sobre a importância do atendimento educacional à criança hospitalizada, 
faz-se necessário construir um espaço para profissionais dedicados à atenção 
às crianças e jovens que devem permanecer hospitalizados, com o objetivo de 
sensibilizar para a questão, trocar experiências e refletir sobre pedagogia 
hospitalar, oferecendo ferramentas para o desenvolvimento desta modalidade 
educacional e explorando sua relação com o sistema educacional formal 
(ESTEVES; 2008). 
Pode-se entender que ao Pedagogo Hospitalar caberá o efetivo 
envolvimento com o doente para modificar o ambiente hospitalar, criando 
programas de intervenção adaptados para o contínuo desenvolvimento da 
criança hospitalizada. A prática educacional no hospital, além de ser possível, é 
extremamente importante para amenizar o processo doloroso que é a rotina de 
um enfermo (CARDOSO; SILVA; SANTOS). 
A pedagogia hospitalar poderá oferecer a criança hospitalizada, ou em 
longo tratamento hospitalar, a valorização de seus direitos á educação e a 
saúde, como também ao espaço que lhe é devido enquanto cidadão do 
amanhã (MATTOS; MUGGIATI, 2001). 
A educação diz respeito a todas as pessoas e durante toda a vida; 
portanto, inclui também a pessoa enferma. A capacidade de aprender da 
criança não desaparece com a enfermidade. O tempo ocioso que existe no 
hospital pode