A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
162 pág.
ADI 4277

Pré-visualização|Página 1 de 162

Revi st a Tri mes tral d e Juri s pru d ên c ia
volume 219
janeiro a m arço d e 2012

Dispovel também em: <http://stf.jus.br/portal/indiceRtj/pesquisarIndiceRtj.asp>
Secretaria do Tribunal
Alcides Diniz da Silva
Secretaria de Documentação
Janeth Aparecida Dias de Melo
Coordenadoria de Divulgação de Jurisprudência
Andreia Fernandes de Siqueira
Equipe técnica: Camila Neves Machado (estagiária), Gil Wadson Moura Júnior,
Gustavo Vasconcelos Souza, José Carlos Bezerra de Siqueira Júnior (estagiário),
Larissa Luiza Braga e Silva (estagiária), Priscila Heringer Cerqueira Pooter e
Valquirio Cubo Junior
Diagramação: Débora Harumi Shimoda Carvalho
Revisão: Amélia Lopes Dias de Araújo, Divina Célia Duarte Pereira Brandão,
Patrícia Keico Honda Daher e Rochelle Quito
Capa: Núcleo de Programação Visual
(Supremo Tribunal Fe deral— Biblioteca Ministro Victor Nunes Leal)
Revista Trimestral de Jurisprudência / Supremo Tribunal Federal. V. 1,
n. 1(abr./jun. 1957) - .– Brasília : STF, 1957- .
v. ;22 x 16 cm.
Trimestral.
Título varia: RTJ.
Repositório Oficial de Jurisprudência do Supremo Tribunal Federal.
Nome do editor varia: Imprensa Nacional / Supremo Tribunal Federal,
1957 a 2001; Editora Brasília Jurídica, 2002 a 2006; Supremo Tribunal
Federal, 2007- .
Disponível também em formato eletrônico a partir de abr. 1957:
http://www.stf.jus.br/portal/indiceRtj/pesquisarIndiceRtj.asp.
ISSN0035-0540.
1. Tribunal supremo, jurisprudência, Brasil. 2. Tribunal supremo,
periódico, Brasil. I. Brasil. Supremo Tribunal Federal (STF).
Coordenadoria de Divulgação de Jurisprudência. II. Título: RTJ.
CDD340.6
Solicita -sepermuta.
Pídese canje.
On demande l’échange.
Si richiede loscambio.
We ask forexchange.
Wir bitten umAustausch.
Seção de Distribuição de Edições
Maria Cristina Hilário da Silva
Supremo Tribunal Federal
Anexo II -A, Cobertura, Sala C -624
Praça dos Três Poderes
70175-900– Brasília -DF
livraria.cdju@stf.jus.br
Fone: (061)3217-4780

R.T.J. — 219212
AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE 4.277 — DF
Relator: O Sr. M i n istro Ayres Br itto
Requerente: P ro cur ador ia - Gera l da República I nter essados: Presidente
d a Rep úblic a , C ong re sso Nac iona l, Co ne ct a s D i r eitos Hum a n os, As so cia çã o
Brasileira de Gays, Lésbicas e Tra nsgêneros – ABGLT, Associação de Incentivo
à E ducação e Saúde de São Paulo, I nstituto Brasileiro de Di r eito de Fam í lia
I BDFA M, A ssociaçã o Edu a rdo Ban k s e Con ferência Nacional dos Bispos do
Brasil – CN BB
1. A rgui ção de des cum pri men to de prece ito fu ndam ent al
(ADPF). Perda parcial de objeto. Recebimento, na parte remanes-
cente, como ação direta de inconstitucionalidade. União homoafe-
tiva e seu reconhecimento como instituto jurídico. Convergência
de o bj et os e nt re a çõ es d e na tu rez a ab st ra ta . Jul ga me nt o co n-
junto. Encampação dos fundamentos da ADPF 132 /RJ pela ADI
4.277/DF, com a nalidade de conferir “interpretação conforme
à Constituição” ao art. 1.723 do Código Civil. Atendimento das
condições da ação.
2 . P r o i b ã o d e d i s c r i m i n a ç ã o d a s p e s s o a s e m r a z ã o d o
se xo, se ja n o pl an o d a di co to mi a ho me m/ mul he r ( nero ), s ej a
no p la no da o ri en ta çã o s exu al de ca da q ua l d el es. A p roib ão
do preco nc ei to co mo c ap ít ul o do co ns ti tu cio na li sm o f rat ern al .
Ho m e na g e m a o p l ur a l is m o c o m o va l o r s o ci o p ol í t ic o - cu l t ur a l .
L i b e r d a d e p a r a d i s p o r d a p p r i a s e xu a l i d a d e , i n s e r i d a n a
c a t e g o r i a d o s d i r e i t o s f u n da m e n ta i s d o i n d i v í d u o , ex pre s o
qu e é d a au to nom ia de vont ad e. D irei to à int imi da de e à v id a
pr ivada . C usu la p ét rea. O se xo d as p es soa s, sa lvo d is pos ão
co nst it uc io na l e xp ress a ou i mp cit a em s en ti do co nt ri o, o
se prest a co mo fa tor de des ig ua la çã o ju di ca. Proi bi çã o de pre-
co nce it o, à lu z d o in ci so I V d o ar t. d a C ons ti tu ão Fed er al,
po r c ol id ir fro nt alm en te c om o obj et ivo c on st it uc ion al d e “pro-
move r o b em d e t odo s” . S il ênc io no rm ativo da C ar ta M ag na a
resp ei to d o co nc reto uso do s ex o do s in div íd uo s co mo saq ue da
kel sen ia na “n orm a g er al neg at iva” , se gu nd o a qua l o qu e n ão
es tiver ju ri di cam en te proi bi do, ou obr ig ad o, est á j ur idi ca me nt e
p e r m i t i d o” . R ec o n h ec i m e nt o d o d i rei t o à pr e f e n ci a s ex u a l
co m o d i ret a em a n ã o d o p r i nc í p io d a d ig n i da d e d a p e s so a
hu man a” : d irei to a a ut oe st im a n o m ai s e levad o p on to da co ns-
ci ênc ia do indiv íd uo. Direit o à busc a da feli ci da de . Salt o nor ma -
tivo da p roib ão do precon ce it o para a pro cl ama çã o do d irei to
à li be rd ad e s exu al . O con cret o u so da sex ua li da de faz pa rt e da
au to no mi a da vo nt ad e da s pe s so as n at ur ai s. E mp ír ic o us o da
se xua li da de nos pla no s da in ti mid ad e e da priva ci da de co ns tit u-
ci ona lm en te t ut ela da s. Auto no mi a d a von ta de . Clá us ul a trea .