Manual de Petições
281 pág.

Manual de Petições


DisciplinaPrática Jurídica I – Área Cível6 materiais42 seguidores
Pré-visualização50 páginas
1
Jalno D. Ferreira
Direito
Manual
de
Petições
3
ÍNDICE
METODOLOGIA FORENSE
A Metodologia
Criando um método
Pesquisa no direito material
Interpretação do direito material
A escolha da ação adequada
procedimento
Interpretação do direito processual
A jurisprudência
fluxograma
cuidado com os prazos
dossiê
Preparando o processo
Pressupostos processuais
As condições da ação
As preliminares na inicial
A competência
Elaborando a petição inicial
A qualificação das partes na inicial
Os Fatos
A fundamentação
pedido
protesto por provas
valor da causa
Providências finais
Elaborando a contestação
A qualificação das partes na contestação
As preliminares na contestação
mérito
Encerrando a contestação
09
09
09
10
10
10
11
11
11
12
12
12
12
13
13
13
13
14
14
14
14
15
15
15
15
4
MODELOS DE PETIÇÕES
PROCESSO CIVIL
Contratos em geral
Contrato de honorários advocatícios
Contrato de locação comercial
Contrato de locação residencial
Declarações em geral
Autorização dos pais para menor viajar para o estrangeiro
Declaração de pobreza
Notificação para denúncia de locação
Termo de Caução fidejussória
Termo de dação em pagamento
Execução em geral
Execução contra devedor solvente
Execução de Alimentos
Execução de obrigação de fazer
Execução de quantia certa contra devedor insolvente
Execução de sentença
Execução provisória de sentença de despejo
Pedido de carta de sentença
Pedido de remição de bens
Pedido de suspensão de execução
Procedimento comum
Ação declaratória incidental
Ação Pauliana ou revocatória de procedimento comum
Ação revisional de alimentos
Contestação à exceção de incompetência relativa em
procedimento comum
Contestação em procedimento comum
Contestação em separação judicial
Declaração e dissolução de sociedade de fato entre
conviventes
Desapropriação indireta em procedimento comum
Despejo para uso próprio
Despejo para falta de pagamento
Divórcio direto
Embargos a execução monitória
Especificação de provas em procedimento comum
Exceção de impedimento em procedimento comum
Exceção de incompetência relativa em procedimento comum
16
19
22
25
26
26
28
29
30
32
34
36
40
42
44
45
46
47
49
54
57
60
62
66
69
76
78
81
84
86
88
90
5
Exceção de suspeição de procedimento comum
Exemplo de acordo em procedimento comum
Impugnação ao valor da causa em procedimento comum
Incidente de falsidadeem procedimento comum antes da
instrução
\u399Insidente de falsidade em procedimento comum depois da
instrução
Investigação de paternidade
Memorial em procedimento comum
Modificação em cláusula de visitação
Petição inicial em procedimento comum
Reconvenção em procedimento comum
Procedimento especial
Ação de Depósito
Ação monitória
Alienação judicial de coisa comum
Anulação e substituição de títulos ao portador
Consignação em pagamento
Contestação em nunciação de obra nova
Declarações no inventário ou arrolamento
Demarcação de terrar particulares
Divisão de imóvel e terrar particulares
Embargos de terceiros
Instrumento particular de partilha amigável
Nunciação de obra nova
Petição de herança para fins de inventário
Prestação de contas (para exigir contas)
Prestação de contas (para prestar contas)
Reintegração de posse
Usucapião constitucional
Procedimento próprio
Ação de alimentos
Ação rescisória
Adoção de menor abandonado
Autorização judicial para menor viajar para o estrangeiro
Conversão de separação em divórcio
Defesa em processo de falência
Habeas Data
Mandado de segurança
Pedido de concordata
Pedido de redução de alimentos provisórios
Requerimento de falência
Retificação de registro civil
92
94
96
98
100
102
104
107
110
113
117
120
122
124
126
128
132
135
137
139
143
145
148
150
152
154
158
162
164
167
169
170
172
176
178
180
182
185
187
6
Processo Cautelar
Cautelar de alimentos provisionais
Cautelar de arresto
Cautelar de arrolamento de bens
Cautelar de atentado
Cautelar de busca e apreensão
Cautelar de caução
Cautelar de exibição de documento ou coisa
Cautelar de exibição do penhor legal
Cautelar de justificação
Cautelar de posse em nome do nascituro
Cautelar de produção antecipada de provas
Cautelar de protesto e apreensão de títulos
Cautelar de protestos, notificações e interpelações
Cautelar de sequestro
Cautelar inominada
Contestação em cautelar de separação de corpos
Procurações
Procuração ad judicia
Procuração ad judicia para inventário
Renúncia de mandado
Substabelecimento
Recursos
Agravo de instrumento
Agravo retido
Apelação
Embargos de declaração
Embargos infringentes
Pedido de encaminhamento de contra razões
Pedido de encaminhamento de recurso de apelação
189
192
196
199
201
205
207
210
211
213
214
219
220
224
227
232
236
237
238
239
240
243
245
249
251
253
254
7
PROCESSO PENAL
Ação penal
Alegações finais 255
Contrariedade do libelo 257
Defesa Prévia 259
Pedido de liberdade provisória 260
Queixa crime 264
Representação pela lei de imprensa 267
Recursos
Apelação criminal 270
Pedido de apelação criminal 275
Recurso em sentido estrito 276
9
A Metodologia
Criando um método
O advogado deve procurar criar seu próprio método de trabalho, autêntico e eficiente,
para aplicação em todo e qualquer caso. Cada um tem seu próprio sistema para execução
das tarefas profissionais, entretanto, é importante que, seja qual for o método, deva-se ter
em mente, que o mesmo deverá obedecer a certas regras primordiais, tais como a
determinação de objetivos a serem alcançados, organização e, vivendo-se hoje, a era da
informática, ter-se arquivos previamente determinados, assim como softwares que facilitem
a pesquisa dos assuntos a serem abordados, como a elaboração de libelos.
 Deve o advogado ter um cadastro do cliente, com todos os seus dados, para no
caso de necessidades futuras, poder fazer uma consulta rápida e precisa. Deve, também,
manter ativa uma pasta, quer seja física ou eletrônica, dos processos de seus clientes, de
forma a ter sempre em mãos todos os dados e andamento dos processos, sendo certo que
este arquivo bem organizado lhe será muito útil no trâmite dos processos, com em épocas
futuras, servindo de fonte de consulta, ainda que arquivado esteja o processo em questão.
Pesquisa no direito material
 De posse do relato do cliente, deve, o advogado, buscar no direito material, os
dispositivos que amparem a pretensão do mesmo. Isto significa dizer que antes de se pensar
em propor a ação, deve-se ter o cuidado de buscar o amparo para o caso, junto ao direito
substantivo. De nada adianta, elaborar-se às pressas, a petição inicial ou, até mesmo, a
contestação, se o caso for em patrocínio do réu, pois existirá enorme probabilidades de se
cometer erros, que poderão ser graves. Justamente por essa razão, o legislador introduziu
o conceito de prazos no processo civil, no sentido de que todo aquele que procurasse a
tutela jurisdicional, ou a justiça e viesse se defender, pudesse fazê-lo com certeza absoluta
e com toda segurança.
Interpretação do direito material
Uma vez encontrados os dispositivos legais no direito substantivo, que possam vir
amparar a pretensão do autor ou a defesa do réu, deve-se procurar interpretar tais
dispositivos, redigindo, de forma sucinta, a fundamentação do caso, reforçando a tese
desenvolvida com as lições doutrinárias, dos mais conhecidos e renomados juristas, quer
sejam da atualidade ou não. O importante é ter-se ao final, a idéia desenvolvida, de forma
a dar sustentação ao pedido que se fará pelo autor, ou à defesa que se promoverá em favor
do réu.
10
 A fundamentação jurídica do pedido segundo as exigências da lei processual vigente
é exatamente a motivação para o pedido e deve estar amparada na melhor interpretação do
direito material, eis que este determina a norma de conduta, sendo pois, de altíssima
relevância que a tese abraçada encontre supedâneo na norma substantiva.
 Assim, é preciso que se faça um esboço da tese a ser defendida, de forma a dar-se
ao juiz as mais convincentes razões de que a parte é quem tem o direito a seu favor, não
esquecendo, quiçá, que a tese desenvolvida, ainda que amparada