Morte e desenvolvimento Maria Julia Kovacs (1)
132 pág.

Morte e desenvolvimento Maria Julia Kovacs (1)


DisciplinaPsicologia da Morte33 materiais216 seguidores
Pré-visualização50 páginas
Morte e desenvolvimento humano / Ma ria Júlia Kovács coordenadora. -
São Paulo: Casa do Psicólogo, 1992.
Bibliografia.
ISBN 85-85141-21-2
1. Comportamento humano 2. Medo. 3. Mo rte - Aspectos psicoló-
gicos 4. Suicídio I. Kovács, Maria Júlia.
92-1944 CDD-155.937
Índice para catálogo sistemático:
1. Doentes terminais: Atitudes comportamentais: Psicologia 155.937
2. Luto: Aspectos psicológicos 155.937
3. Morte: Atitudes comportamentais: Psicologia 155.937
Maria Júlia Kovács
Coordenadora
Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP)
(Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil)
MORTE
E DESENVOLVIMENTO HUMANO
Editor: Anna Elisa de Villemor Amaral Güntert
Capa
Criação e Arte: William Nahme
Computação gráfica: Mauro Minniti e Marilisa Minniti
Produção e diagramação: Casa do Psicólogo - Ma ria Celina Jurado
Revisão ortográfica: Sandra Rodrigues Garcia
Casa do Psicólogo®
Escritores
© 1992 Casa do Psicólogo Livraria e Editora Ltda.
Reservados os direitos de publicação em língua portuguesa à
Casa do Psicólogo Livraria e Editora Ltda.
Rua Alves Guimarães, 436 - CEP 05410-000 - São Paulo - SP
Fone: (011)852-4633 Fax: (011) 64-5392
É proibida a reprodução total ou parcial desta publicação,
para qualquer finalidade, sem autorização por escrito dos editores.
Daniela Rothschild - Psicóloga
Henriette Tognetti Penha Morato - Psicóloga, professora do Instituto de
Psicologia da USP, chefe do Serviço de Aconselhamento Psicológico da
USP
Laura Villares de Freitas - Psicóloga, professora do Instituto de
Psicologia da USP com formação na Sociedade Brasileira de Psicologia
Analítica de São Paulo
Maria Júlia Kovács - Psicóloga, professora do Instituto de Psicologia da
USP, coordenadora do curso "Psicologia da Morte"
Rauflin Azevedo Calazans - Psiquiatra.
Rachel Léa Rosenberg (in memoriam) - Psicóloga, psicoterapeuta,
professora do Instituto de Psicologia da USP.
Roosevelt Moisés Smeke Cassorla - Membro da Sociedade Brasileira de
Psicanálise de São Paulo. Professor do Departamento de Psicologia
Médica e Psiquiatria da Faculdade de Ciências Médicas da UNTCAMP.
Vicente A. de Carvalho - Médico psiquiatra, psicoterapeuta, diretor
técnico do Centro Oncológico de Recuperação e Apoio.
Impresso no Brasil / Printed in Brazil
Dedico este livro a todos aqueles que colaboraram
para o meu desenvolvimento como pessoa: meus pais,
parentes, os grandes amores, os amigos, os professores,
terapeutas e hoje os alunos.
Sumário
In memorianm:
Ferenc Otto KovAcs: que me ensinou os primeiros
passos, que nas suas exigências me impulsionou a
buscar as forças dentro de mim.
Katarina Bakk: Que me mostrou que é preciso falar
sobre a morte, quando ainda se está vivo, ela faz par-
te da vida. Espero que tenha encontrado resposta à
sua constante pergunta: "O que acontece após a mor-
te"?
Nélson Rosamilha: Que facilitou a pesquisa acadê-
mica sobre o tema da morte.
Rachel Rosenberg: Colega, professora, e depois ami-
ga. A sua calma e profunda sabedoria sempre me
impressionaram muito.
Apresentação ........................................................................................................ XI
Prefácio .................................................................................................................. XV
Capítulo 1. Representações de Morte ................................................... 1
Capítulo 2. Medo da Morte ................................................................... 14
Capítulo 3. Atitudes diante da Morte - Visão Histórica,
Social e Cultural ................................................................................ 28
Capítulo 4. Morte no Processo do Desenvolvimento Humano
A Criança e o Adolescente diante da Morte ................................. 48
Capítulo 5. Envelhecimento e Morte .................................................... 58
Capítulo 6. Reflexões sobre a Psicanálise e a Morte ............................ 90
Capítulo 7. 0 Ser Humano: Entre a Vida e a Morte
Visão da Psicologia Analítica ........................................................... 111
Capítulo 8. Morte Abordagem Fenomenológico-Existencial ..............142
Capítulo 9. Morte, Separação, Perdas, o Processo de Luto ................ 149
Capítulo 10. Comportamentos Autodestrutivos e o Suicídio ................ 165
Capítulo 11. Paciente Terminal e a Questão da Morte .......................... 188
Capítulo 12. Atendimento Psicossocial a Pacientes de Câncer
Relato de uma Experiência ..............................................................204
Capítulo 13. Profissionais de Saúde diante da Morte ............................ 226
Apresentação
Será a morte a grande musa inspiradora dos filósofos e dos psicólogos?
Sempre tive medo da morte, aliás, de tudo o que é novo, desconhecido e
portanto misterioso. Assim como escrever um livro para um marinheiro
de primeira viagem, é desconhecido. É uma espécie de morte e de renas-
cimento.
Este é um livro idealizado por uma psicóloga e é neste viés, ou recorte,
que ele deve ser compreendido. Ao escrever sobre um tema tão amplo e
ao mesmo tempo tão "tabu", correm-se sérios riscos.
O primeiro deles é o de ser superficial, incompleto e unilateral com ób-
vias limitações diante da vastidão e do aprofundamento que o tema exige.
Sou mortal, e esta não é uma opção, e sim uma certeza, daí a incompletu-
de. Mas escrever um livro pode ser uma opção ousada e pretensiosa. Ou
talvez seja uma forma de lidar com um grande medo. Ler, pensar, coletar
informações e, finalmente, transmitir algumas dessas reflexões pode ser
uma forma de desafiar a morte.
O segundo risco é o de ser considerada uma pessoa mórbida, por ler,
estudar e escrever sobre a morte. Muitos amigos e colegas meus fizeram
este comentário alguns tentando demover-me desse propósito. Não me
sinto mórbida, pois não é um caminho mórbido, trata-se de uma trilha de
vida, de questionamentos, de reflexões, de batalhas, de inovações. Posso
afirmar que para mim a busca da "compreensão" psicológica da morte
conduziu-me à elaboração de uma dissertação de mestrado, a uma tese
de doutorado, a um curso na graduação em psicologia, outro na pós-gra-
duação, e agora a este livro. Trata-se, efetivamente, de uma grande musa
inspiradora!
XIII
Morte e desenvolvimento humano
XII
De que morte falo "daquela do momento foral, da fantasia, a que nos
acompanha durante a vida, do sonho, do alívio, da dor, da ruptura". Falo
de todas e de nenhuma em particular.
Apresento vivências, reflexões, pensamentos e sentimentos, inspirada em
autores que me impressionaram, sobre "aquela morte" que não podemos
experienciar nem refletir a respeito, e que acontece no fim da vida, mas
também sobre aquela que está presente em toda nossa existência, e que
tem uma' significação marcante para a nossa trajetória de vida. É a morte
no processo do desenvolvimento humano.
A psicologia como ciência, arte, reflexão e prática cuida da questão do
homem, da sua relação com os outros e com o mundo, com a vida e
também com a morte. Portanto, acredito ser a questão da morte um tema
de suma importância para reflexão, sensibilização e questionamentos para
o psicólogo. A questão da morte e do morrer, em suas várias instâncias,
pode estar presente nas diferentes áreas de trabalho do psicólogo. Refle-
tir sobre o tema nos parece fundamental ao futuro profissional, que terá o
seu trabalho centrado na relação com o ser humano.
A partir destas idéias, criei em 1986 uma disciplina optativa intitulada
"Psicologia da Morte", no Instituto de Psicologia da USP, onde são abor-
dados vários temas, visando facilitar a sensibilização, reflexão e discussão
de alguns aspectos relacionados à questão da morte, dentre os quais des-
tacamos: a morte no processo do desenvolvimento, o medo da morte,
perdas e processo de luto, comportamentos autodestrutivos