A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
15 pág.
RESUMO DE RITMO E DANÇA 2

Pré-visualização | Página 4 de 5

da sociedade e o tema de suas investigações coreográficas são os engajamentos sociais, a sexualidade, os movimentos políticos, a violência e a liberdade.
A DANÇA NO BRASIL: A primeira forma de manifestação da dança em solo brasileiro ocorreu através da cultura indígena. A mistura de vários povos, a miscigenação de culturas tão distintas traz um enriquecimento de ritmos, movimentos e repertórios para a construção da dança em nosso país. Influência indígena Influência europeia Influência africana
A dança erudita chega ao nosso solo através da corte de D. João IV, em meados do século XIX, para apresentar grandes espetáculos que eram executados na Europa.
DANÇA ERUDITA: utiliza a técnica para atingir seus objetivos, que são a performance e o rendimento técnico. Reforça padrões estéticos e biotipológicos ideais em relação ao corpo humano de um modo elitista, ou seja, nem sempre pessoas podem dançar, ou melhor, conseguem dançar.
PRINCIPAIS ESCOLAS DE BALÉ: Escola italiana, Escola Francesa, Escola Russa, Escola inglesa, Escola cubana.
DANÇAS DA CULTURA POPULAR: são danças que nascem do povo e se manifestam normalmente para expressar a cultura de uma determinada região ou país. Também podem ser uma forma de protesto, de festejo etc.
DANÇAS URBANAS- STREET DANCE: Foi um movimento revolucionário que era uma mistura de músicas intituladas de rap, dança break e a arte plástica chamada grafite. A cultura hip hop nasceu em 1960 nos guetos de Nova York. As pessoas marginalizadas usavam esse tipo de arte para romper com a discriminação e a desigualdade de direitos, e as letras das músicas tinham um caráter informativo, de cunho político-social.
CARACTERÍSTICAS DO HIP HOP: Mc, Dj, Rap, Grafite e Break.
DANÇA EDUCAÇÃO – Movimento expressivo: A dança-educação utiliza as possibilidades individuais do aluno para atingir seus objetivos, que são criar estratégias ou facilitações para a educação integral do ser humano, o prazer, a comunicação e a descontração. Não visa à performance, e sim ao que cada um pode buscar dentro de si de acordo com seus limites e respeitando-os. Não existe preocupação com técnica e nem com biótipo. Qualquer pessoa tem a capacidade de dançar.
Rudolf Laban: é conhecido como um estudioso na área de dança-educação, porém ele é reconhecido no globo como o “mestre do movimento”, pois seus estudos são usados nas mais distintas áreas do conhecimento. O notável húngaro tornou-se bailarino e coreógrafo. É autor de várias obras, as quais se tornaram famosas e que foram concebidas tanto para grandes grupos como para pequenas companhias, tanto para leigos quanto para profissionais. Ele buscava um tipo de arte que envolvesse ação e pessoas e também uma dança que não usasse as formas tradicionais de mímica e balé clássico. Laban foi um grande pesquisador das múltiplas e diversas manifestações do movimento no trabalho exercido nas fábricas, na vida cotidiana ou nas artes e baseou nos princípios básicos do movimento humano, e não apenas em estilos específicos.
MÉTODO DE Laban: • eucinética: “estuda os aspectos qualitativos do movimento; é o estudo do ritmo e dinâmicas do movimento; é o estudo das qualidades expressivas do movimento”;
 • labanotação: é um tipo de escrita dos movimentos da dança. É composta de sinais gráficos que possibilitam registrar os movimentos coreográficos. Possui a mesma função de uma partitura de música, e qualquer pessoa que consiga decodificá-la consegue executar seus movimentos; 
• corêutica: é o estudo do movimento corporal em relação ao espaço físico.
CINESFERA: é a esfera pessoal de movimento. Determina o limite natural do espaço pessoal, cercando o corpo, esteja ele em movimento ou imóvel.
FATORES DO MOVIMENTO: fluência, espaço, peso e tempo.
AÇÃO BÁSICA DO ESFORÇO: é o estudo da atitude interna e consciente dos movimentos corporais, buscando a qualidade do movimento empregado.
AÇÃO BÁSICA DO MOVIMENTO: são sacudir, torcer, pressionar, chicotear, socar, flutuar, deslizar e pontuar.
A DANÇA NA EDUCAÇÃO FÍSICA: está inserida nas atividades que compõem o universo da cultura corporal de movimento. A influência da dança no universo ginástico é muito presente, tanto no aspecto do desenvolvimento técnico de saltos, giros, piruetas e equilíbrios como na evolução do trabalho corporal para sensibilizar os movimentos e torná-los mais rítmicos e expressivos.
ELEMENTOS DA DANÇA NO UNIVERSO GINÁSTICO: • ginástica rítmica; • ginástica artística; • ginástica geral; • nado sincronizado; • hidroginástica; • ginástica aeróbica; • zumba; • balé fitness etc.
DANÇA COMO REABILITAÇÃO: a dança-terapia define-se como “o uso psicoterapêutico do movimento como um processo que visa promover a integração física e emocional do indivíduo” Atua no desenvolvimento e reabilitação das capacidades físicas, bem como na inclusão e no processo artístico.
DANÇA RELIGIÃO: a dança-religião faz parte dos rituais sagrados desde a Antiguidade. Com ela, o homem pode se conectar com uma energia ou um ser superior e, por meio dela, também pode agradecer aos seus deuses. Fica claro que a dança religião foi se fortalecendo e sendo transmitida de geração em geração, nas mais diversas regiões do nosso planeta.
DANÇAS INTEGRATIVAS: são exercícios de dança e movimentos corporais que têm como objetivo introduzir de maneira educativa, alegre e prazerosa a arte de se expressar, de conhecer nosso corpo e nossa mente, para que possamos integrar e administrar nossa saúde, além de promover uma linguagem por meio da qual o indivíduo possa sentir, perceber, conhecer e manifestar-se através de atividades artísticas que desenvolvam a sensibilidade, a imaginação, a criatividade e a comunicação humana. A dança integrativa é uma das maneiras de se conectar com “a força”, pois você se concentra, focaliza uma ação, gera um movimento intencionado num determinado ritmo e alinha, integra e harmoniza suas quatro forças – corporal, emocional, mental e espiritual.
Benefícios das danças integrativas: • promove autoconfiança; • gera sociabilização e divertimento; • estimula a circulação sanguínea; • desenvolve a coordenação motora; • melhora o sistema cardiorrespiratório; • dá agilidade e flexibilidade; • diminui o estresse; • aumenta a resistência muscular (principalmente pernas e quadris); • desenvolve ritmo e percepção corporal.
DANÇAS QUE TRABALHAM COM UM NÚMERO GRANDE DE PESSOAS SÃO CONSIDERADAS INTEGRADORAS: São elas: danças circulares, danças de salão e danças folclóricas.
DANÇAS CIRCULARES: são simples e de fácil aprendizado. Elas são realizadas em roda, normalmente executadas por um grande número de pessoas, ao ritmo de músicas alegres ou meditativas. São inspiradas em certas tradições ou originárias de várias culturas ou regiões de um país. Dançar em círculo é uma das formas mais antigas de se dançar.
DANÇAS SOCIAIS OU DANÇA DE SALÃO: A dança de salão é uma dança social praticada e interpretada por pares, que realizam movimentos expressivos e coreografados, de forma simples ou com evoluções mais complexas, nos mais diversos ritmos musicais. Em geral, é executada por prazer e para integração. Além dos aspectos socioafetivo e lúdico, a dança de salão é considerada uma das formas mais relaxantes de exercitar o corpo, pois desenvolve boa postura, coordenação, flexibilidade e equilíbrio e fortalece o tônus muscular. Por todas essas características, ela é muito indicada para a terceira idade.
DANÇAS DA CULTURA POPULAR BRASILEIRA OU DANÇAS FOLCLÓRICAS: Dança folclórica é uma manifestação cultural desenvolvida pelos costumes de uma determinada comunidade e que se perpetua por ser transmitida de geração a geração. A principal característica das danças folclóricas é a valorização do modo de pensar e agir de uma cultura específica. São executadas com passos simples e repetitivos com o objetivo de integrar, sociabilizar e divertir os membros desse grupo.
FOLCLORE: maneiras de pensar, sentir e agir de um povo, preservadas pela tradição popular. Folclore é a cultura do popular, tornada normativa pela tradição.
Luís da Câmara Cascudo:

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.