Adaptação celular -
30 pág.

Adaptação celular -


DisciplinaProcessos Patológicos162 materiais1.502 seguidores
Pré-visualização2 páginas
PATOLOGIA GERAL
CÉLULA NORMAL
(Homeostasia)
ADAPTAÇÃO
LESÃO CELULAR
Morte Celular
Estresse
Aumento da demanda
Estímulo nocivo
Manutenção do estado de diferenciação 
celular
Tecidos 
lábeis
Tecidos 
estáveis
Tecidos 
Perenes
ADAPTAÇÃO CELULAR
\uf06e Alteração do volume celular
\uf06e Hipertrofia
\uf06e Atrofia
\uf06e Alteração da taxa de divisão celular
\uf06e Hiperplasia
\uf06e Hipoplasia
\uf06e Alteração da diferenciação
\uf06e Metaplasia
\uf06e Displasia
ATROFIA
\uf06e Diminuição de um órgão ou tecido
\uf06e Menos necessidade metabólica
Fisiológica
\u2713 Formação da notocorda no desenvolvimento fetal
\u2713 Útero diminui de tamanho após o parto
Patológica
\u2713 Redução da carga de trabalho (ex: osso fraturado)
\u2713 Perda de inervação (ex: atrofia das fibras musculares)
\u2713 Diminuição do suprimento sanguíneo (ex: aterosclerose)
\u2713 Nutrição inadequada (ex: caquexia)
\u2713 Perda de estímulo endócrino (ex: menopausa)
\u2713 Pressão (ex: compressão tecidual \u2013 tumor benigno)
ATROFIA
ATROFIA ENCEFÁLICA 
HIPERTROFIA
\uf06e Aumento do tamanho celular \u2013 aumento do órgão
\uf06e Necessidade funcional \u2013 estimulação de hormônios ou por 
fatores do crescimento
\uf06e Aumento da capacidade funcional tecidual 
\u2713 Tipos fisiológicos 
Musculatura esquelética (exercícios)
Útero durante a gravidez
\u2713 Tipo Patológico
Musculatura cardíaca (hipertensão arterial)
Hipertrofia Fisiológica 
HIPERTROFIA MIOCÁRDICA
HIPERTROFIA DO MIOCÁRDIO
Normal Hipertrofia
Mecanismos bioquímicos da 
hipertrofia do miocárdio
Alterações no miocárdio 
HIPOPLASIA
\uf06e Desenvolvimento incompleto (hiperdesenvolvimento) 
de um órgão ou tecido 
\uf06e Má formação (embriogênese) 
Hipoplasia pulmonar 
\uf06e Criptorquidismo
\uf06e Hipoplasia adquirida 
\u2713 Envelhecimento 
\u2713 Estresse profundo
\u2713 Má nutrição
\u2713 Glicocorticóides
HIPERPLASIA
\uf06e Aumento da quantidade (número) de células \u2013
aumento da massa de um órgão ou tecido 
\uf06e Hiperplasia fisiológica
\u2713 Hiperplasia hormonal \u2013 aumento da capacidade 
funcional de um tecido 
\u2713 Hiperplasia compensatória (ressecção ou lesão)
\uf06e Hiperplasia Patológica 
\u2713 Aumenta o risco de desenvolver um câncer (ex: 
pacientes com hiperplasia do endométrio)
\u2713 Associado a infecções virais
\uf06e Com a cessação do estímulo
\u2713 Tecido retorna ao tamanho normal
Hiperplasia Hepática 
Compensatória
METAPLASIA
Mudança de um tipo de célula adulta 
e madura em outro da mesma 
linhagem
Metaplasia
\uf06e Alteração reversível \u2013 tipo celular diferenciado 
(epitelial ou mesenquimal ) substituído por outro tipo 
celular
\uf06e Resultado de reprogramação
\uf06e Escamoso para colunar
\u2713 Ex. Esofâgo de Barret - adenocarcinomas
\uf06e Colunar para escamoso
\u2713 Ex. Cálculos no ductos excretores de glândulas 
salivares, pâncreas ou ductos biliares
\u2713 Ex. Deficiência da vitamina A 
Metaplasia Escamosa
Esôfago de Barrett
Metaplasia de Barrett
DISPLASIA
\uf06e Organização anormal das células
\uf06e Crescimento exacerbado
\uf06e Situação pré-neoplásica
\uf06e Alterações morfológicas
\u2713 Perda de polaridade, uniformidade das células e da orientação 
arquitetônica
\u2713 Pleomorfismo considerável
\u2713 Núcleos grande e hipercrómaticos
\uf06e Displasia com frequência em epitélio metaplásico, mas nem 
todo epitélio metaplásico e displásico
Displasia epitelial
Carcinoma in situ do colo 
uterino
Transformação Metaplásica 
para displásica
Exercício
1. Analisando os casos abaixo, relacione-os aos tipos de adaptações celulares de crescimento
e diferenciação: atrofia, hiperplasia, metaplasia e displasia. Para tanto, assinale a alternativa
que indica corretamente e respectivamente esta relação.
a. Caso clínico n o qual o órgão reprodutivo masculino, os testículos, que nos humanos estão
localizados no escroto, diminui de tamanho e pode ser acompanhado pela perda de
funcionamento. Algumas medicações, como os esteroides anabolizantes, podem causar esta
alteração celular que irá sofrer uma reversão quando o ciclo do tratamento terminar, desde
que não dure muito tempo. Outras causas incluem a aterosclerose e produção insuficiente de
hormônio luteinizante, mais frequentemente observado em casos de hipotireoidismo.
_____________________________
b. Os três principais aspectos que determinam o quadro clínico dos pacientes com esta
alteração celular são: sintomatologia, crescimento prostático e obstrução infravesical. Sua
relação é variável de um paciente para outro. Alguns homens experimentam sintomas do
trato urinário inferior, mesmo na ausência de crescimento prostático. Da mesma forma,
pacientes com significativo aumento do volume prostático podem ser assintomáticos ou
apresentar sintomatologia leve, sem impacto em sua qualidade de vida. Comum em idosos.
_____________________________
Exercício
c. Esôfago de Barrett (EB ou síndrome de Barrett) é uma doença na qual há uma mudança
anormal nas células da porção inferior do esôfago. Acredita-se que seja causada por uma
exposição prolongada ao conteúdo ácido proveniente do estômago (esofagite de refluxo). O
esôfago de Barrett é encontrado em cerca de 10% dos pacientes que procuram tratamento
médico para a doença do refluxo gastroesofágico. O esôfago de Barrett possui relevância
clínica por ser considerada uma condição pré-maligna, ou seja, é uma lesão associada a um
risco aumentado d e câncer esofágico. _____________________________
d. Desenvolvimento anormal ou crescimento de células nas paredes das artérias, o que pode
levar o vaso sanguíneo a estreitar ou formar protuberância. As artérias carótidas, as quais
suprem sangue para o cérebro, são as mais comumente afetadas pela alteração
fibromuscular. Artérias dentro do cérebro e rins também podem ser afetadas. Pode bloquear
ou reduzir o suprimento de sangue para o cérebro, causando derrame ou mini derrame
cerebral. Alguns pacientes não sentem nenhum sintoma, enquanto outros têm pressão alta,
tontura ou vertigem, dor de cabeça crônica, aneurisma intracranial, zumbido no ouvido,
fraqueza, rubor na face ou alterações na visão. Esta alteração fibromuscular é mais f requente
em pessoas de 25 a 5 0 anos e afeta mais mulheres do que homens. Mais de um membro da
família pode ser afetado pela doença. _____________________________
Exercício
2. O crescimento fisiológico do útero durante a gravidez é um bom exemplo do
aumento de um órgão por estimulação hormonal, no caso pelo estrogênio. Neste
caso, ocorre tanto aumento no número (1) quanto no volume (2) das células
musculares lisas e células epiteliais. A prolactina e o estrógeno também causam
aumento do tamanho (3) das células mamárias. Os números entre parêntese
indicam os seguintes processos, respectivamente.
3. As células não são elementos estáticos e se adaptam na forma e função a
estímulos, a alterações ambientais e todo tipo de agressão. Quando ocorrem
adaptações patológicas as células precisam modular seu ambiente e talvez, assim,
escapar de uma lesão. Na figura abaixo estão representadas quatro formas de
adaptação celular. Analise a figura e as definições.
Exercício
A. Transformação de uma célula ou tecido em outro com características 
diferentes. Substituição de adaptação de células mais sensíveis por outros 
tipos celulares mais resistentes. 
B. Consiste na redução do tamanho celular resultante da perda de proteínas e 
outros materiais celulares (assim como de organelas), a redução das células se 
reflete também na redução do tecido ou órgão afetado. 
C. Crescimento de um tecido o u órgão pelo aumento do número de células. 
Ocorre em células com capacidade de mitose, quando estimuladas para maior 
atividade. 
D. Aumento do tamanho da s células e consequentemente do tecido ou órgão. 
É causada por demanda funcional maior ou estimulação hormonal. 
Estabeleça uma relação precisa