A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
8 pág.
Apol Diversidade e Resistencia Artes Visuais

Pré-visualização | Página 2 de 3

assinale a alternativa correta:
	
	A
	O artista contemporâneo não precisa se filiar a um movimento artístico e estilístico 
específico, mas precisa escolher uma linguagem unânime para seu trabalho.
	
	B
	As proposições aparentemente transgressoras de Duchamp que influenciam os artistas 
brasileiros contemporâneos não são radicais, mas apenas se apropriam de objetos do 
cotidiano.
	
	C
	Duchamp liberou o artista de confeccionar manualmente a obra, necessitando apenas 
encontrá-la ou mesmo anunciar a sua existência.
	
	D
	A obra de Nelson Leirner questiona o uso dos objetos industriais em arte, criticando-os, 
enquanto as questões de Duchamp são a violência e a morte, fruto de sua experiência na 
Primeira Guerra Mundial.
	
	E
	Nelson Leirner foi um artista contemporâneo com a temática da cultura popular 
brasileira, utilizando-se principalmente das linguagens tradicionais, como a pintura.
Questão 6/10 - Artes Visuais, História e Sociedade: Brasil
Leia a citação a seguir: 
“Serão mãos de gente? Não. Bichos são elas na sua forma, na sua pujança, no seu nervosismo, na sua prematura velhice, na sua sabedoria no ato de criar, acariciar, sentir o mundo pela forma, pelo tato, conhecimento que vai muito além dos olhos”. 
Após esta avaliação, caso tenha interesse em ler o texto integral, ele está disponível em: CLARK, Lygia. Breviário sobre o corpo. Arte&Ensaios, Rio de Janeiro, n.16, p. 115-125, jul. 2008, p. 118.    
Fonte: CLARK, Lygia. Bicho em si. Escultura, 1962. Disponível em: https://www.wikiart.org/en/lygia-clark/bicho-em-si-1962. Acesso em 29 de mar. 2017.
 
De acordo com a citação, a imagem acima e o conteúdo do livro-base Diversidade e Resistência: a construção de uma arte brasileira sobre a obra de Lygia Clark, é correto afirmar que:
	
	A
	os Bichos são placas de metal fixas e soldadas que formam figuras específicas de animais
que a artista predeterminou.
	
	B
	o público interage com o trabalho de Lygia Clark com o sentido da visão e com a 
manifestação da palavra, a fim de esboçar textos críticos.
	
	C
	a artista buscava nas propostas artísticas uma solução geométrica, abstrata e racional 
para as novas definições da arte.
	
	D
	Lygia trabalhava com materiais perenes, pois se preocupava com a originalidade e o objeto
 artístico único e imperecível.
	
	E
	Lygia tirou suas obras das paredes e dos museus para aproximar-se do público, 
que podia manipular as obras para completar-lhes o sentido.
Questão 7/10 - Artes Visuais, História e Sociedade: Brasil
Atente para a seguinte citação do texto: 
“Logo no final dos anos 1960, Barrio surge na cena artística realizando trabalhos de grande impacto. Esses anos de grande efervescência na produção do artista coincidem no Brasil com um período de fortes embates entre a Ditadura Militar e os ‘movimentos contraculturais’”. 
Após esta avaliação, caso tenha interesse em ler o texto integral, ele está disponível em: FARIA, Luciana Campos de. Ações poéticas em Artur Barrio: Linguagens Inter (conta)minadas. Dissertação (Mestrado em Estudos de Linguagens), Belo Horizonte: CEFET-MG, 2016, p. 21. 
De acordo com a citação do texto e o conteúdo do livro-base Diversidade e Resistência: a construção de uma arte brasileira, sobre a produção artística de Artur Barrio é correto afirmar que:
	
	A
	Barrio recusa o papel de artista marginal, empregando em suas obras materiais
 tradicionais das artes visuais.
	
	B
	utiliza materiais nobres na confecção de seus trabalhos, como folhas de ouro, 
tintas tradicionais como têmpera e óleo.
	
	C
	as proposições do artista discutem efemeridade, experimentalismo, marginalidade e 
política.
	
	D
	apolítico, Barrio apoia o discurso institucional da arte, apoiando métodos e práticas dos 
museus e a mercantilização da arte.
	
	E
	gosta de trabalhar com impressos, com o auxílio da máquina de Xerox, surgida à época.
Questão 8/10 - Artes Visuais, História e Sociedade: Brasil
Considere o extrato do texto: 
“O interesse pela pintura faz com que se matricule nas aulas do Núcleo Bernardelli, em 1933, tendo sido orientado pelo pintor polonês Bruno Lechowski. Ali, convive com vários artistas, mas não permanece por muito tempo. Nesse mesmo ano, expõe pela primeira vez no Salão Nacional de Belas Artes, que lhe premia diversas vezes nos anos seguintes”. 
Após esta avaliação, caso tenha interesse em ler o texto integral, ele está disponível em: SCHMIDLIN, Elaine. Pancetti: o marinheiro só. Material didático do projeto Arte na Escola. São Paulo: Instituto Arte na Escola, 2006, p.3. 
De acordo com o fragmento do texto e o conteúdo do livro-base Diversidade e Resistência: a construção de uma arte brasileira sobre as obras de José Pancetti, assinale a alternativa correta:
	
	A
	Ficou conhecido como pintor de marinhas, nas quais empregava um estilo com pinceladas lisas e rasas.
	
	B
	José Pancetti ficou conhecido por suas pinturas históricas e narrativas bíblicas.
	
	C
	Empregava em seus quadros pinceladas esparsas e grossas; por vezes usava a espátula e, na maturidade, 
pintou telas hiper-realistas.
	
	D
	Suas marinhas tinham um nível de fidelidade quase fotográfica, pois buscou até os
 últimos dias a reprodução fiel e detalhada do real.
	
	E
	Abandonou as marinhas assim que entrou para o Núcleo Bernardelli, se dedicando à 
figura humana.
Questão 9/10 - Artes Visuais, História e Sociedade: Brasil
Considere a citação e a imagem a seguir: 
“Duas características impressionam de imediato [na obra de Adriana Varejão]: a técnica e o apelo decorativo. Ambas, como sabemos, rejeitadas sistematicamente pela arte contemporânea. A artista consegue repô-las em foco sem deixar de lado seu interesse pelo presente. Há uma excitação sensorial que é muito da nossa época. Seus ‘azulejos’ tomam de assalto o espaço”. 
Após esta avaliação, caso tenha interesse em ler o texto integral, ele está disponível em: OSORIO, Luiz Camillo. Diálogo enviesado com a estética do barroco. Azulejões: Adriana Varejão volta com força ao Rio. Jornal O Globo, 2006. <http://www.adrianavarejao.net/pt-br/dialogo-enviesado-com-estetica-do-barroco>. Acesso em: 10 ago. 2016.
 
Fonte: VAREJÃO, Adriana. Linda do Rosário, óleo sobre alumínio e poliuretano, 2004. Acervo Instituto Inhotim. Foto: inhotim.org.br. <http://www.inhotim.org.br/inhotim/arte-contemporanea/obras/linda-do-rosario/>. Acesso em 30 de mar. 2017. 
Considerando a citação acima e o conteúdo do livro-base Diversidade e Resistência: a construção de uma arte brasileira sobre o neobarroco e a obra de Adriana Varejão, assinale a alternativa correta:
	
	A
	Os chamados neobarrocos são obras contemporâneas enraizadas na arte colonial 
brasileira, nas quais é visível um barroco latente.
	
	B
	Em entrevista, Adriana Varejão nega que seu trabalho tenha ligação com a arte barroca e
 com o período colonial.
	
	C
	A obra de Varejão conversa com o barroco por ser construída de entulhos encontrados 
em igrejas barrocas que foram reformadas.
	
	D
	Para Varejão, as igrejas barrocas são desprovidas de apelo decorativo, característica que 
a artista levou para sua obra.
	
	E
	As obras de Varejão empregam a técnica da xilogravura, são de escala pequena;
 portanto, são intimistas.
Questão 10/10 - Artes Visuais, História e Sociedade: Brasil
Leia o fragmento do texto e observe a imagem seguir: 
“Como desviante, o estilo do Aleijadinho atenua a expressão do barroco, fazendo-o ‘dócil’ e ‘pequenininho’, ‘feito para acarinhar’, segundo Mário, o que implica a contenção como afeição pela plasticidade”. 
Após esta avaliação, caso tenha interesse em ler o texto integral, ele está disponível em: BAGOLIN, Luiz Armando. “O Aleijadinho”: monstro herói. Estudos Avançados, São Paulo, v.23, n.65, p.353-358, 2009, p. 357.
 
Fonte: LISBOA, Antônio Francisco. Passos da Paixão de Cristo. (Detalhe de capela). Santuário Bom Jesus de Matosinhos, Congonhas,